A felicidade que está dentro de nós

Todas nós queremos ser felizes, isso é fato. O problema é quando depositamos toda essa alegria em coisas, pessoas ou situações que estão além de nós mesmas. Pensamentos como “eu só serei realmente feliz quando conseguir aquela promoção”, ou “só serei uma pessoa feliz de verdade quando emagrecer 10 quilos”, “só serei plena e linda quando achar um emprego novo”, “começarei a cuidar mais de mim mesma depois que eu encontrar um namorado”, etc, etc, etc. Certamente, muitas de vocês já passaram por isso. A verdade é que essa felicidade em longo prazo nunca chega a existir de verdade.

Jiří Wagner

Aprendemos durante toda a nossa vida que finais felizes existem, os filmes nos mostram muito bem isso. A mocinha que sofreu durante toda a sua vida e no fim encontra no seu melhor amigo, o seu príncipe encantado. A professora que passa o diabo nas mãos dos alunos, mas no fim, aleluia! Consegue colocá-los nos eixos, e todo mundo se abraça e comemora chorando. O garoto que sofreu durante toda a sua a infância, mas no fim, cresce alguém super inteligente e determinado, e finalmente pode mostrar a todos que lhe fizeram sofrer o quanto venceu na vida. Que alegria seria se toda a nossa vida se resumisse apenas a uma história de ficção. Só que não. 

Mas, e depois? O que acontece após o fim do filme com aqueles personagens, quando o letreiro sobe, a televisão se desliga e nós (pobres mortais) voltamos para as nossas vidas comuns e rotineiras? A verdade é que a felicidade não é um sentimento final e permanente, daqueles que encontramos após duas horas de filme. Mas, sim, um estado momentâneo, e que precisa, a todo momento, ser estimulado por nós mesmas.

Allef Vinicius

O meu conselho, após todas essas palavras aparentemente desanimadoras é: não deposite toda a sua felicidade em situações, coisas ou pessoas que estão além de você mesma. Isso pode parecer bem clichê num primeiro momento, tipo papo de auto-ajuda. Mas, só quem já passou pela situação de ter todas as suas expectativas jogadas por água abaixo, sabe o quanto a base da nossa felicidade não deve, nunca, estar apoiada em nada, nem ninguém. Aprenda a se amar, e a nutrir suas próprias expectativas, e acima de tudo, a ser a única responsável pela sua felicidade. Você verá que tudo vai ficar mais leve!

Haley Phelps

A Rotina de Viver sem Rotina

Mais uma segunda-feira que chega: você acorda, vai para o escritório, bate o ponto e fica por lá até às 18h. Os seus chefes não estão preocupados se você está inspirado para trabalhar. Eles apenas querem que você produza (com vontade ou sem). Essa é a rotina de 90% das pessoas que eu conheço. Mas, por ser a maior porcentagem, significa que ela está certa? Óbvio que não.

É comum para quem possui profissões criativas ou para quem trabalha em home office, sofrer preconceito por não seguir estes padrões. Eu, particularmente, já me senti inferior muitas vezes por não precisar obrigatoriamente acordar cedo e sair para trabalhar. (Porque poder dormir segunda-feira de manhã e trabalhar apenas à tarde é coisa de “gente preguiçosa”, né?!) E, conversando com mais pessoas de diversos ramos, descobri que MUITAS pessoas se sentem assim também!

Foto por: Mihai Surdo

Então, se você é autônomo, trabalha em seu home office ou então possui uma profissão que depende da sua criatividade, vou listar aqui alguns motivos para você se sentir muito orgulhoso e satisfeito por isso:

  1. Você cria o seu horário de trabalho: Se você produz melhor pela manhã, não há nada de errado em acordar cedo. Porém, se você é mais criativo na parte da noite, por que não trabalhar das 16h às 00h?
  2. Não precisa se arrumar para trabalhar: Trabalhar o dia todo usando pijama. Tem coisa melhor? Sem salto alto, sem maquiagem… não preciso enfatizar o quanto isso é bom, né?
  3. Poder passear em horários improváveis: Fazer as compras do mês em uma terça às 10h da manhã. Ou então, passear no shopping durante a tarde. Além de sentir a maravilhosa sensação de liberdade, você ainda aproveita todos os lugares sem perder tempo em filas.
  4. Não precisa enfrentar trânsito: Engarrafamentos, trens lotados e a possibilidade de não chegar a tempo, simplesmente não existem quando se trabalha em casa.
  5. Liberdade: Você pode ouvir sua música favorita sem precisar de fones de ouvido! E o melhor: pode cantar junto sem parecer uma doida!

    Foto por: Jaroslaw Ceborski
  6. Não precisa lidar com chefes e colegas chatos: Todo mundo tem (ou já teve) um chefe ou colega de trabalho chatos.  O bom é que, trabalhando em casa, você não precisa lidar com nenhuma das duas opções 🙂
  7. Trabalhar com menos pressão e cobranças: Você pode trabalhar no seu ritmo, com os seus próprios prazos.
  8. Pausas: Você pode fazer pausas a hora que desejar. Seja para fazer um lanche, assistir a um filminho ou cochilar depois do amoço. Mas, claro, lembre-se de compensar esse tempo, mais tarde.
  9. Reservar um tempinho para se inspirar: Ao menos uma hora por semana, reserve um tempo para meditar, planejar seu futuro e criar metas. Outra maneira de se inspirar é assistir filmes, ouvir música ou conhecer algum lugar novo na cidade.
  10. Economia: Ao trabalhar em casa, você não precisa gastar com transporte, almoços em restaurantes, roupas de trabalho, aluguel, etc.

Mas, lembre-se: Trabalho é trabalho. Por isso, precisa de muita dedicação e compromisso. Não é por estar trabalhando em um ambiente confortável, que você está “de férias”. Nada de ficar dormindo e deixar o trabalho para amanhã, viu?! Com metas bem definidas, força de vontade e persistência, você chegará onde deseja 😉