5 provas de que boas fotografias fazem a diferença na hora de vender o seu produto

A fotografia pode ser um item determinante para quem vende produtos online. Infelizmente, é comum acessarmos sites e redes sociais de determinadas marcas ou empresas e encontrarmos fotos que “deixam a desejar”. Sejam fotos feitas por celular, tremidas ou de má qualidade, se um possível comprador está em dúvida na hora de adquirir um produto, uma foto bem feita provavelmente o convencerá de que o produto vale a pena (e vice versa). Não há dúvidas: uma boa fotografia, vende. Quer saber porque? Abaixo, listamos 5 motivos que comprovarão isso:

  • BOAS FOTOGRAFIAS PASSAM CREDIBILIDADE: Quem faz vendas online, precisa passar confiança ao cliente, pois ele não conhece o produto pessoalmente e não quer ser enganado, comprando algo que não cumpra com as suas expectativas. Uma foto bem feita, que mostre todas as características do produto, ajudarão o seu cliente a acreditar que o seu produto possui qualidade, que é bem feito e que você e sua empresa são sérios.
  • BOAS FOTOGRAFIAS REPRESENTAM CAPRICHO: A foto pode ser simples, mas precisa ser bem feita. Iluminação, enquadramento, cenário…são inúmeros detalhes que ajudam a mostrar para o seu cliente que você se importa. Fotos tortas, tremidas ou mal iluminadas passam a sensação de que foram “feitas de qualquer jeito”.
Annie Spratt
  • BOAS FOTOGRAFIAS REPRESENTAM ESTILO/PERSONALIDADE: Uma foto pode dizer muito sobre o estilo, personalidade e valores da sua empresa. Se as fotos forem feitas no campo, por exemplo, os clientes já perceberão que é uma empresa que se importa com o meio ambiente. Não adianta fazer milhões de fotos em estilos diferentes, pois assim você confundirá a todos e não conseguirá atingir o público ideal.
  • BOAS FOTOGRAFIAS DEMONSTRAM O SEU COMPROMETIMENTO COM A SUA EMPRESA: Uma boa seleção e curadoria, na hora de publicar as suas fotos, mostram cuidado e comprometimento, pois seu cliente verá que você cuida de tudo, até dos mínimos detalhes. Lembra daquilo que falei sobre “fazer de qualquer jeito”?
  • BOAS FOTOGRAFIAS APAIXONAM QUEM AS VÊ: Quem nunca viu uma fotografia de bolo e sentiu vontade de comê-lo? Ou então viu uma foto de praia e sentiu vontade de viajar? Fotografias possuem esse poder!
Jesse Orrico

E você, está precisando de boas fotografias? Seja foto de produtos, fotos corporativas suas ou até mesmo um editorial, nós, do Pagu, agora realizamos esse serviço. Entre em contato com a gente, para saber mais. E deixe o seu site, portfólio e até mesmo as redes sociais, ainda mais bonitos e cativantes.

Como começar a fotografar? (parte 1)

A fotografia é uma profissão muito subestimada. Muita gente acredita que fotografar é a coisa mais fácil do mundo, que basta apertar um botão e a foto aparece magicamente ali, na telinha, prontinha pra ser compartilhada. E, por esse motivo, tem muita gente que quer “virar fotógrafo” da noite para o dia. Se você quer começar a ter uma carreira na fotografia e acha que vai ser molezinha, já te adianto: não vai. Agora, se você tem persistência, gosta de enfrentar desafios e, assim como eu, é apaixonado por essa arte, pode continuar a ler esse texto. 🙂

Koko Curio

Como começar a fotografar?

Com a facilidade de comprar uma câmera boa, ou até mesmo com a facilidade de usar smartphones, a profissão do fotógrafo se desvalorizou muito nos últimos tempos. Há muita gente que (INFELIZMENTE) deixa de contratar um fotógrafo, porque acha que com a câmera boa do seu celular, vai ter um resultado satisfatório. Esse pensamento é lamentável, pois um fotógrafo estuda muito sobre iluminação, enquadramento, composição, edição de imagens, etc.

Então abaixo, algumas dicas bem básicas que ajudarão você a se inserir nesse mercado da fotografia:

  • ESTUDE: Parece óbvio, né? Mas não é. Já ouvi muita gente dizer “sério que existe uma faculdade pra aprender a tirar foto?” ou “é só apertar um botão, não tem segredo”. Então uma pequena dica: se você gosta de fotografar e não conhece as palavras ISO, Velocidade e Abertura, comece por aí. Essas palavrinhas acompanharão você durante toda a vida.
  • ESTUDE MAIS: Já aprendeu as regrinhas básicas? Então agora é hora de aprender mais! Estude enquadramento, tipos de iluminação, regra dos terços, composição, etc. Teoria é muito importante!
Thought Catalog
  • DEFINA SUA ÁREA: Você já descobriu em qual caminho da fotografia deseja seguir? São muitos: fotografia publicitária, fotografia ambiental, fotografia de arquitetura, fotografia de eventos e assim por diante… ninguém consegue abraçar tudo. Portanto, definir o seu nicho é essencial para poder se aprimorar nele.
  • COLOQUE EM PRÁTICA: Agora que você já sabe fotografar e também já descobriu o que gosta de fotografar, chegou a hora de praticar. Afinal, a prática leva à perfeição, né? Se você gosta de fotografar pessoas, convide um amigo para ser fotografado. Caso você prefira fotografar arquitetura, passeie pela sua cidade registrando prédios e linhas. Se a sua área é a fotografia ambiental, um passeio pelo Zoo da cidade é uma boa ideia… e assim por diante. Aproveite para testar novas técnicas, tipos de iluminação, ângulos… deixe a criatividade fluir!
Artem Sapegin
  • DIVULGUE: Depois de praticar muito (fotografe vários amigos, passeie por vários parques… continue praticando! O legal é que você sempre tente melhorar), chegou a hora de divulgar o seu trabalho. Que tal criar um blog? Uma conta no Instagram? Não tenha medo de mostrar o que você tem feito, desde que você esteja satisfeito com o resultado.

Esse texto foi dividido em duas partes. Essa primeira parte que você leu, trata mais sobre a técnica fotográfica em si. Já a segunda parte desse texto, que será publicada em breve, abordará dicas práticas de como começar a vender  seu trabalho fotográfico e como começar a ter clientes. Não vai perder, né? 🙂

Resenha: Livro Mostre seu Trabalho

Mostre seu Trabalho, ou “Show your Work” é um livro do americano Austin Kleon (mesmo autor de Roube como um Artista, que você pode conhecer mais clicando aqui). Um livro ótimo para quem está precisando de dicas práticas de como divulgar seu trabalho artístico da maneira mais fácil e eficaz possível.

No livro, Austin sugere que cada artista mostre um pouquinho do seu trabalho, por dia. Seja seu ambiente de trabalho, o processo criativo do trabalho que você está trabalhando, ou até trabalhos de outros artistas que inspiram você. O importante mesmo, é mostrar conteúdo interessante, ou seja, mostrar detalhes que de fato agreguem valor à sua relação com o publico. É bom também ensinar algo para as pessoas.

A pessoa que irá ver o seu trabalho, precisa se identificar também com o que você gosta, com o que você faz e com a maneira que você pensa. Isso tudo cria um vínculo e, todas as pessoas que se identificarem com você e com o que você faz, se tornarão fãs da sua arte.

Outra dica super importante, tem relação com aquela velha frase “quem não é visto, não é lembrado”. E a realidade é essa, mesmo! Se você aparecer um pouquinho por dia, as pessoas não esquecerão de você. Não suma!

O bom é que hoje, com as redes sociais, conseguimos estar presentes a todo instante, mostrando o nosso trabalho até mesmo em tempo real. Um exemplo são os Stories, do Instagram. Por falar nisso, você já segue o nosso? Todos os dias publicamos conteúdo, dicas e muita inspiração! <3

E aí, você já leu esse livro? Nos conte o que achou! E se você ainda não leu, leia! Vale muito a pena! 🙂

5 Canais de mulheres incríveis que amamos | Parte 2

No ano passado, havia feito um post com 5 canais de mulheres incríveis que amamos. Como (felizmente) tem muita mulher fabulosa nesse nosso mundão a fora ❣, resolvi fazer a segunda parte destas indicações. Sério, tem MUITO conteúdo foda, feito por mulheres mais fodas ainda.

1 | AFROS E AFINS, POR NÁTALY NERI

A Nátaly é simplesmente uma das mulheres que eu mais respeito dentro do Youtube, sério, sem exageros. Essa jovem mulher é estudante de ciências sociais e aborda temas polêmicos de maneira sensata e respeitosa. Ela fala principalmente sobre vivências da mulher negra, feminismo negro, em outros diversos temas que eu nem sabia que existiam, mas que passei a conhecer através do seu canal. Toda vez que eu tenho dúvida sobre algum tema atual, eu corro pro canal da Nátaly pra ver se ela já falou sobre aquilo, hahaha. Nesse vídeo que destaquei, ela faz um vlog sobre passar uma semana sem usar maquiagem e com o seu cabelo natural. É muito legal ver os seus comentários, indico muito. Recentemente, ela também fez um vídeo sobre a sua experiência de ficar 7 dias SEM INTERNET, sim isso mesmo! O resultado você pode conferir aqui, ficou simplesmente demais. Clique aqui para se inscrever no seu canal.

2 | LULLY DE VERDADE

A Lully é uma querida e entende TUDO de cinema. O canal dela se chama Lully de Verdade, e fala basicamente de filmes e séries, trazendo o seu relato pessoal em torno das obras. Ela também tem alguns vídeos mais pessoais como vlogs, ou de comentários de outros assuntos. Nesse vídeo que eu destaquei, ela fala da importância do novo filme da Mulher Maravilha, de um ponto de vista de alguém que nunca foi tão fã da história, mas que mesmo assim entende e respeita a produção. Se você é mulher e curte cinema, tá na hora de conhecer a Lully! Te inscreve lá no canal dela já, clique aqui.

3 | LOUIE PONTO

A Louie é outra querida que eu sigo e recomendo muito. Pensa numa mulher doce e calma, amante de livros e muito bem posicionada em vários aspectos. Ela fala sobre relacionamento, auto-estima, vivências LGBT, preconceito, filmes,  livros, e qualquer outro assunto que julgue pertinente, mas sempre a partir de um olhar reflexivo e doce sobre o tema. Ela tá sempre com o seu chá na mão, e você sente que ela está realmente conversando com você, é muito legal. Clique aqui para conhecer.

4 | NUNCA TE PEDI NADA, POR MAÍRA MEDEIROS

Essa é com certeza a mulher mais colorida da nossa internet atualmente, hahaha. A linda Maíra Medeiros comenta sobre auto-estima, relacionamento, empoderamento feminino, feminismo, entre outro diversos temas que particularmente, acho bem bacana a visão que ela traz. A Maíra tem esse cabelo todo colorido e não tem medo de expressar todo o estilo dela. Nesse vídeo que inseri aqui no post, ela fala sobre a pressão estética que a cantora Rihanna vem sofrendo por ter engordado. Sério, gente, você viram isso? Patético não? A Maíra ta sempre comentando sobre esses assuntos que dão um nó na nossa mente. Te inscreve clicando aqui.

5 | DE PRETAS, POR GABI OLIVEIRA

Por fim, o De Pretas é o canal mais recente dessa lista que eu me inscrevi, e devo dizer que estou amando tudo o que a Gabi tem produzido. Recentemente, ela viajou para os EUA e está passando um tempo lá aprendendo inglês e vivendo diferentes culturas. Quem acompanha ela pelo Instagram também, pode ver de perto a sua rotina, e todas as vezes que ela perde o ônibus, hahaha (pra quem acompanha o stories). A Gabi fala de auto-estima da mulher negra, feminismo, relacionamento, vivências da mulher negra e vários outros temas que envolvem questões como preconceito, beleza afro, entre muitos outros. Para visitar o canal dela, clique aqui. 🙂

E aí gente, gostaram dessa lista? Têm mais algum canal de uma mulher incrível pra indicar? Deixa aí nos comentários se você conhece mais alguém, e não deixa de se inscrever no nosso canal também né? 😛 Clique aqui e vem acompanhar os nossos vídeos de perto. 😀

Sobre trabalhar com o que se ama | Parte 2

Na primeira parte deste post (se você ainda não viu, clique aqui agora mesmo :P), fiz uma reflexão sobre trabalhar com o que se ama. No texto eu falei que essa nem sempre é uma tarefa fácil, e que é preciso se conhecer e se questionar sempre para saber que caminho tomar. Se você chegou a conclusão que é feliz trabalhando em uma emprego das 8h as 18h, batendo ponto todos os dias, nós não estamos aqui para julgar você. Como sempre dizemos: nós acreditamos no trabalho com amor sim, mas sempre com consciência e significado.

Mas então, digamos que você realmente queira trabalhar com o que ama. Que você tem um hobby ou gosta muito de uma área/serviço específico e gostaria muito de ganhar dinheiro com ela, porém, não tem a mínima ideia por onde começar. Primeiramente: muita calma nessa hora. Vamos por partes!

Por que trabalhar com o que se ama é difícil?

Primeiramente, como vocês já devem imaginar, trabalhar com o que mais gosta exige organização, empenho e força de vontade constantes, assim como qualquer emprego no mundo. Muitas pessoas têm a ilusão de que quando trabalharem com aquilo que mais amam, a vida delas irá mudar completamente. Lamento informar, mas isso é a mais pura mentira. Tudo o que envolve ganhar dinheiro exige foco e determinação. Infelizmente, vivemos em uma sociedade que valoriza mais o ter do que o ser, e justamente por conta disso ficamos tão perdidas nessas situações.

Pense comigo: você sai da escola (ensino médio), e então com 18 anos já é forçado a escolher uma profissão que deverá seguir para o resto da vida (argggh! Só de pensar nisso me arrepio). Além disso, você precisa provar para o mundo inteiro o quanto se tornou uma pessoa boa naquilo que faz. Qualidades como criatividade, flexibilidade, bom senso, infelizmente não são muito valorizadas. Ao contrário de palavras como especialização, foco, resultados e metas. Por isso, use sua consciência com sabedoria na hora de escolher um caminho.

Mas olha, não se engane, trabalhar com o que se ama é verdadeiramente uma DÁDIVA. É quase como droga, que num primeiro momento te deixa fora do ar, mas que depois te joga pro mundo real de novo e com toda a força. Ok, talvez esse não tenha sido o melhor exemplo, hahaha. Mas, ao meu ver, toda a canseira (que todo trabalho tem) não fica tão pesada quando seus olhos se enchem de brilho pelas atividades que você mais adora. Quando você vê o seu produto/serviço tomando forma, e claro, tendo retorno financeiro também, é como um momento de alinhamento com o que você é e o que você mais deseja, e eu acho tudo isso particularmente especial. 🙂

Por onde devo começar?

A seguir, destaco alguns itens que considero importantes na hora de trabalhar com o que mais se ama. Se você acompanha o nosso canal no Youtube, tem um vídeo lá que já falamos um pouco sobre isso, clique aqui para ver. Mesmo assim, acho que falar sobre isso nunca é demais não é? Então, segura na minha mão e vem!

DICA 1 | TENHA CERTEZA DAQUILO QUE VOCÊ QUER

Não adianta você querer trabalhar com aquilo que mais ama, se você nem ao menos sabe o que deseja. Por isso, como já disse no texto anterior, autoconhecimento é fundamental para alcançar os seus objetivos. Não só para um carreira profissional, mas também pra vida como um todo. Além disso, nós estamos sempre mudando, e em constante evolução, muitas vezes a pessoa que você era ontem, não é mais a mesma que é hoje. Tenha o autoconhecimento como uma tarefa diária, assim como um exercício físico por exemplo. Pergunte-se: o que alimenta a minha alma? Quais são os meus hobbies? Quais os meus desejos? Gostos? O que não gosto? O que eu faço de olhos fechados? Esteja preparada para responder perguntas como: como você se vê daqui a 10 anos? Lembre-se sempre: pra quem não sabe pra onde vai, qualquer caminho serve. E você não quer ir para qualquer caminho não é mesmo? Pense nisso!

DICA 2 | PLANEJAMENTO, PLANEJAMENTO E PLANEJAMENTO

Pois é, de nada adianta você saber o que mais ama, se na hora do “vamo vê” você fica parada igual uma estátua, sem ação nenhuma, e muitas vezes reclamando da vida. Não seja uma pessoa assim. Coloque-se em ação! Você decidiu que ama muito artesanato e gostaria de trabalhar com isso? Faça um plano de ação. Pesquise na internet, veja Youtube, leia revistas e jornais. Falar que você não fez nada porque não tinha conhecimento suficiente, é praticamente uma obscenidade nos dias de hoje, com tanta informação ao nosso dispor. Pense: qual é o meu próximo passo? O que eu posso fazer HOJE para chegar um pouco mais perto do meu sonho? E FAÇA!

DICA 3 | TRABALHE CONSTANTEMENTE PARA QUE O SEU SONHO SE TORNE REALIDADE 

Talvez eu seja um pouco repetitiva nesse texto, mas eu não vejo outra solução a não ser bater na mesma tecla e escrever: não é fácil, portanto, trabalhe constantemente! Muitas pessoas têm a ilusão de quando trabalharem com aquilo que mais amam, a vida delas será linda, cheia de unicórnios e purpurinas. Se você for uma decoradora de festas, acho até que isso possa se tornar verdade uma vez ou outra, do contrário, sua rotina será tão extensa e cansativa como qualquer outro trabalho. A única diferença, como já falei antes, é que em alguns momentos o seu cansaço será preenchido com a sua alegria de trabalhar com algo que adora tanto. Mas, não pense que por isso o seu corpo também não sentirá os efeitos. Então, não pare nunca. Trabalhe constantemente para colher os frutos mais tarde.

DICA 4 | ESTEJA PREPARADA PARA TRABALHAR DE GRAÇA AS VEZES 

Essa pode ser a dica mais chata de todas, mas é necessária. Quando decidimos trabalhar com o que amamos, principalmente se você resolver se tornar empreendedora, é preciso que você esteja aberta a conquistar alguns de seus clientes trabalhando de graça. Mas calma, não to dizendo que isso é uma regra. Ninguém é obrigado a nada. No entanto, é bem comum isso acontecer, então, o melhor remédio para isso com certeza é o planejamento (dica 2). Busque ter uma reserva financeira guardada, mesmo que pouca, até você conquistar seus clientes de vez, essa atitude poderá lhe evitar muitas dores de cabeça no futuro.

DICA 5 | DÊ O SEU MELHOR APESAR DE TUDO 

E por fim, é claro que essa dica não poderia ser outra. Apesar de todas as dificuldade pelo caminho, dê o seu melhor sempre! Eu diria que trabalhar com o que se ama é ser alguém muito teimoso, mesmo apesar das dificuldades. Por isso, mais uma vez, tenha certeza do que você quer, e corra atrás disso para que se torne realidade. Agende um compromisso com você mesma e cumpra, mesmo que todos ao seu redor lhe digam o contrário. ❣

E aí, gostou das dicas? 😀 Quer que a gente fale mais sobre isso ou sobre empreendedorismo? Deixe aí nos comentários a sua opinião, e não esquece de compartilhar o texto com suas amigas(os). 😉

Vídeo #5: Dicas para viver fazendo o que ama! (Profissões criativas)

Olá pessoas incríveis! No vídeo de hoje, a gente resolveu trazer algumas dicas para as pessoas que desejam trabalhar com profissões criativas (e que AMAM), mas que por algum motivo ainda não conseguiram realizar esse sonho. Decidimos fazer um bate-papo em lugar mais descontraído e diferente, ao ar livre, para poder abordar toda a conversa de forma leve e dinâmica! 😛

Além disso, pra quem assistir todo o vídeo até o final, tem uma DICA ESPECIAL esperando por vocês. Esperamos que gostem! 🙂

INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL!

Ela fotografou Hillary Clinton com apenas um iPhone

Se tem uma frase que enfurece os fotógrafos (e infelizmente ouvimos essa frase com mais frequência do que gostaríamos) é a famosa “também, com uma câmera dessas até eu faço boas fotos…” Mas, vem cá, vou te contar um segredo: não é o equipamento que torna um fotógrafo bom ou ruim. A qualidade profissional de um fotógrafo vai muito além disso.

Um bom fotógrafo precisa ter conhecimento e estudo. Um bom fotógrafo precisa entender de iluminação, composição, cores, posicionamento. Um bom fotógrafo precisa conhecer o interior e exterior do seu equipamento. Um bom fotógrafo precisa levar em consideração inúmeros fatores ao planejar uma boa fotografia.

Arquivo pessoal de Luísa Dörr

Quer um bom exemplo de que o equipamento não faz o fotógrafo? Então aqui vai: Você já ouviu falar da gaúcha de apenas 28 anos que fotografou mulheres como Hillary Clinton e Oprah Winfrey, usando apenas um iPhone? É verdade. Luísa Dörr fotografou 46 das mulheres mais importantes dos Estados Unidos, para um projeto da revista Time. Ela também já retratou muitas mulheres das mais diversas etnias e culturas e todas as suas fotos são feitas com o celular.

Arquivo pessoal de Luísa Dörr

Viu só que máximo? Até com iPhone é possível arrasar na fotografia, desde que você tenha um bom conhecimento. Eu, particularmente, adoraria a experiência de fotografar um casamento inteiro com iPhone. E você, o que fotografaria?

Ah! E se quiser conhecer mais sobre o trabalho da talentosíssima Luisa Dörr, aqui está o Instagram dela e aqui, o projeto Firsts(da revista Time).

Como transformar o hobby em profissão?

Quando falamos sobre profissões que envolvam arte e criatividade, tem muita gente por aí que não as enxerga como profissões e sim como apenas um hobby. Uma certa vez, durante uma festa em que eu estava fotografando em um sábado, um convidado me questionou sobre qual era o meu trabalho durante a semana. Oi? Eu sou fotógrafa em tempo integral! Durante a semana eu trabalho na edição de fotos, contabilidade, prospecção de novos clientes, redes sociais, montagem de álbuns, etc. etc. etc. Tem muuuuita coisa para ser feita além de fotografar efetivamente.

Quem tem uma empresa, tem muito trabalho a ser feito. É uma constante evolução e uma constante batalha, dia após dia, para convencer aos outros que as nossas profissões criativas são tão necessárias e importantes como qualquer outra e que precisam ser levadas a sério. Você desenha, pinta, borda ou realiza algum trabalho criativo e quer torná-lo sua profissão? Temos algumas dicas para começar com o pé direito e desde cedo ter bastante credibilidade com os clientes e parceiros.

  • CRIE UM PLANEJAMENTO E TRILHE PASSOS PARA ONDE VOCÊ QUER CHEGAR: É muito importante saber onde você está, onde você quer chegar e o que você precisa para chegar lá. Crie metas realizáveis dentro de três meses, um ano, cinco anos… E claro, trabalhe muito para realizá-las!
  • TENHA UMA IDENTIDADE VISUAL QUE CONDIGA COM O SEU TRABALHO E SUA PERSONALIDADE: As pessoas julgam sim um livro pela capa. Pensando nisso, é muito importante que você tenha uma identidade visual. Pode ser simples, mas precisa ser bem feita e com a sua personalidade. Não adianta ter um logotipo em tons de amarelo, se você odeia amarelo. Entendeu? Transmita em cada detalhe um pouquinho de você. Lembre-se também do material gráfico: cartões de visita, pdf de apresentações e orçamentos. Faça tudo com capricho, para surpreender seu cliente, anotado?

    Hipster Mum
  • ESTEJA PRESENTE NAS REDES SOCIAIS: Agora que você já sabe onde quer chegar com o seu trabalho e também já tem uma identidade bacana, chegou a hora de mostrá-la para o mundo. Ter uma conta profissional no Instagram e no Facebook, por exemplo, para divulgar os seus trabalhos, é uma excelente maneira de conquistar clientes novos. Lembre-se sempre de publicar conteúdo relevante e o que o seu público alvo QUER ver!
  • AS PESSOAS PRECISAM ENCONTRAR VOCÊ. TENHA UM E-MAIL E SITE: Novamente, repito: Não precisa ser um site cheio de brilhos e luzinhas pisca-pisca para atrair a atenção do seu cliente. Um site claro e básico é o suficiente, desde que seja bem feito. É importante que seja fácil para os clientes encontrarem você e seu trabalho na internet, no meio de tanta informação.

    Jiri Wagner
  • REGISTRE SUA EMPRESA: Aquela parte burocrática que ninguém gosta, mas que é necessária…Com o registro da sua empresa, você pode emitir nota fiscal, adquirir um alvará da prefeitura caso queira ter um estabelecimento, além de ter todos os benefícios de qualquer outro cidadão.
  • MARKETING: Muitas pessoas não investem em marketing, por achar que não é necessário. Eu já digo totalmente o oposto! Pra você ter uma noção, um bom marketing possibilita você até a vender cachecol no deserto. Tenha boas noções sobre marketing e, se possível, peça ajuda a um profissional.
Jon Tyson
  • NUNCA PARE DE ESTUDAR: É um erro pensar que já se sabe tudo e que não precisa mais estudar. O mundo se atualiza constantemente e nós precisamos nos atualizar também. Ainda mais com o auxílio da internet: Canais no youtube, blogs, ebooks… tem tanto material ótimo (e gratuito) que só não aprende quem não quer.

E aí, gostou das nossas dicas? Bora transformar a sua arte em profissão e viver trabalhando com o que você ama? A gente apoia você!

Afinal, quem é? E o que faz um artista visual?

Muitas pessoas hoje em dia ainda me fazem essa pergunta: afinal, o que faz um artista visual? Resumidamente, um artista visual é a pessoa que produz e desenvolve trabalhos artísticos nos mais diversos meios: fotografia, pintura, desenho, escultura, instalação, vídeo, entre outros formatos. No meio acadêmico o curso de Artes Visuais desenvolve “estudos teórico-práticos que inter-relacionam processos de criação nas diferentes linguagens e mídias artísticas, como desenho, pintura, gravura, escultura, imagem digital, videoarte e fotografia, além da investigação da arte na contemporaneidade”. (fonte).

Além dos estudos práticos, no curso de graduação os alunos também aprendem noções de história da arte, teoria e crítica, debates sobre arte contemporânea, museologia, estudos sobre a arte na sociedade, entre outras aprendizagens. Há também a modalidade de licenciatura do curso, onde basicamente existem as mesmas diretrizes, porém, este aluno ainda se forma capacitado a dar aulas no ensino formal básico. Ou seja, o bom e velho professor de artes. Salve, salve!

Foto por Igor Miske

É claro que a graduação é algo totalmente opcional em se tratando do artista visual, a não ser na modalidade de licenciatura. Como não existe nenhum órgão regulamentador que conduz a área, qualquer pessoa que queira tornar-se um artista poderá fazer, afinal, pra fazer arte qualquer um é livre né! Aliás, existe bastante debate em torno da figura do artista visual e das artes como um todo. Como é uma área muito ampla e controversa, é difícil catalogar tudo e designar significados. Assim como a área das ciências, da sociologia e da história, tratam-se de áreas de estudo muito abrangentes e que tratam-se de bens da humanidade. 

Eu gosto de indicar a graduação em artes visuais para aquelas pessoas que tem uma forte inclinação para o mundo artístico mas não sabem exatamente que caminho tomar ainda. Minha trajetória acadêmica já teve muitos altos e baixos (outra hora faço um post somente sobre isso), mas de certo modo eu sempre gostei de arte e sempre tive curiosidade de aprender um pouco mais sobre essa área. Quanto as questões mais formais de emprego e renda, como disse anteriormente, tudo é muito instável e incerto em se tratando de arte. É claro que sempre tem a opção de você fazer muitas exposições e ganhar dinheiro como artista mesmo, desenvolvendo uma linha de trabalhos que pode fazer muito sucesso. Mas, essa é uma equação bastante complicada e que requer muito empenho. Eu particularmente sempre tive que trabalhar pra pagar a faculdade e estudar a noite, o que torna tudo um pouco difícil, ter 100% do meu tempo para me dedicar a pesquisa e produção de obras de arte. Mesmo assim, há sempre a opção de você trabalhar dentro dos nichos também, como por exemplo eu que acabei migrando para a fotografia.

Foto por Khara Woods

Para finalizar o texto, devo dizer que sou suspeita pra falar sobre as artes visuais. Eu tenho uma paixão enorme por ela e acho que todos que estão principalmente na faculdade também tem. Devo dizer que é preciso coragem pra encarar um curso como esse e principalmente desenvolver obras de arte em uma época onde todo mundo só pensa no retorno financeiro. É claro que eu também me preocupo com isso e preciso de dinheiro, todos precisamos! Mas, escolher seguir uma carreira simplesmente por amor é uma sensação boa demais e que necessita culhões, hehehe. Sou muito feliz de poder fazer parte desse grupo, o resto a gente corre atrás. 🙂

Colaboradoras #1: “O caminho mais difícil”, por Morgana da Silva Luz

Pra iniciar com tudo a nossa nova categoria (pra quem não sabe do que estamos falando, clique aqui), um texto pra lá de especial de uma mulher criativa que já passou por aqui antes. Convidamos a Morgana para escrever pra gente, e ela topou na hora. Cheia de histórias, ela fez um compilado das suas vivências, misturadas com um gostinho de incentivo. Se você ainda não viu, ou não lembra do bate-papo da Mor, clique aqui para ver.  Boa leitura! 


“O CAMINHO MAIS DIFÍCIL “, por Morgana da Silva Luz

Foto por Matt Duncan

Eu escolhi o caminho mais difícil. Mas, CAAAALMA AÍ!

Primeiro: é um prazer escrever para este blog e projeto que tanto admiro! Gurias, vocês são SHOW!

Segundo: sim, o mais difícil.

Eu tinha 19 anos quando ingressei na faculdade de Artes Visuais, muito pela vontade de cursar fotografia e por uma certa aptidão e gosto pelas artes de modo geral.  Mas eu não sabia ao certo o que ia acontecer ou por qual caminho seguir. O meu trabalho atual não era a realidade nem o sonho daquele momento. Enfim, segui.

Tive alguns empregos no comércio até que ingressei na licenciatura. AÍ SIM, eu teria uma profissão. Porque, eu não sei se vocês sabem, mas ARTISTA não é profissão (risos irônicos). Depois de longos 6 anos, me formei. Então, comecei a atuar em escola e até aí tudo certo. SÓ QUE NÃO.

O Otília e Cristina Atelier de Criação era uma realidade já, há alguns anos, mas AQUELE empurrãozinho sempre faltou. Sempre tinha algum apoio, algum projeto, algum estágio que me segurava “nas escuras” do atelier. Viver de criação, de modo geral, requer MUITA paciência. E persistência.

Foto por Joe Shillington

Cara, tu dá de cara no chão algumas muitas vezes…. Mas eu tinha tudo! Tinha um espaço, tinha o talento, tinha a vontade e apoio de todos os lados.

Mas vai dizer que não é tri ter dindim caindo na conta todo mês?

Não é, quando se tem instabilidade emocional.

Dito e feito. Larguei a escola e optei por viver  o meu sonho, da forma mais intensa possível! O meu sonho? Bem, viver do que eu amo fazer, talvez seja o meu sonho. As coisas mudam muito na minha mente, mas sempre com foco no trabalho que eu desenvolvo.

Escolhi uma linha de trabalho. Fiz meus planejamentos. Guardei grana. Investi em divulgação. E TCHARÃM! Cá estamos, trabalhando com uma equipe LINDA, reformulando ideias e realizando sonhos.

Atualmente, aluguei uma casa para o atelier e eu acho incrível pagar aluguel! hahaha Calma, eu explico: viver de arte, em um país que acha que cultura é balela, saúdeeducaçãoeoescambal são desnecessários e artista é tudo vagabundo, é complicado. Mas não é impossível.

Eu acredito muito no ser humano. Acredito muito nessa gente que tem colocado a cara a tapas. Nas coisas que tem acontecido na minha cidade e nos arredores. Nas pessoas que acreditam no meu trabalho. E no trabalho que eu desenvolvo para  o mundo.

É preciso ter um propósito. Produzir em massa já é coisa do passado, apesar dos pesares. O que eu faço, exatamente, envolve gente, envolve amor, envolve criação e envolve, sobretudo, uma preocupação imensa em passar todo o carinho e respeito que temos pelo planeta.

Escolher  o caminho mais difícil, portanto, é difícil! Cada ser humano é um universo, e nós sabemos onde apertam os nossos sapatos.

Largar TUDO as vezes não funciona. É necessário dosar as possibilidades, planejar com cuidado e acreditar. Algumas pessoas vão dizer que não dará certo, mas existirão outras que apoiarão. O bacana é escutar os dois lados e ter bom senso para medir os riscos. Pode dar tudo errado. Mas você foi lá e tentou! Tentar, na verdade, não. Você CONSEGUIU. O prosseguimento dos projetos vai muito do quanto você se apropriou do assunto em questão, e do quanto você está preparado para possíveis tombos. E eles vão acontecer. O negócio é acreditar, perseverar e , se preciso, agir com resiliência!


Vídeo #2 : Esteriótipos que toda pessoa criativa enfrenta

Ser uma pessoa criativa não é nada fácil nesse mundo! Pensando nisso, elaboramos nesse vídeo 4 tipos de esteriótipos que todas as pessoas criativas enfrentam. Com certeza, se você ainda não passou por alguma destas situações, ainda vai passar em algum momento. A ideia é desmistificar estes preconceitos, e mostrar que as profissões criativas são tão importantes como qualquer outra!

Ainda não está inscrita em nosso canal? 😮 Então vem logo, e da essa força pra gente continuar fazendo mais vídeos! INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL AQUI!  

 

O vendedor de abacaxi & as oportunidades de negócio

Há algumas semanas, estava passando em frente à feira e decidi observar o movimento. Muitos feirantes, frutas, legumes, cores e flores. Porém, do outro lado da rua, havia um vendedor solitário de abacaxis. (Daqueles que oferecem abacaxi pela rua com um carrinho de mão, sabe?).

Logo de cara, pensei: ” Que péssimo lugar ele escolheu pra vender abacaxi. Justo na frente da feira! Ninguém vai comprar abacaxi, tendo tantas opções de frutas do outro lado da rua”. Mas foi aí que me surpreendi: Durante os 10 minutos em que o observei, ele conseguiu vender 10 abacaxis entre diversos compradores da feira.

Poliana de Aguiar

Sabe como? Logo que os carros estacionavam, ele já ia até o cliente e oferecia um pedaço de abacaxi. Os clientes gostavam do abacaxi e compravam. Mas, o que isso tem a ver com oportunidade de negócio?

Pineapple Supply Co.

O vendedor soube aproveitar muito bem a oportunidade e eu vou listar alguns dos porquês:

  • Ele se posicionou em um local onde o seu público alvo (pessoas interessadas em comprar frutas) estava. Assim, não precisou circular com seu carrinho de mão procurando qualquer pessoa que desejasse comprar abacaxis.
  • Ele foi pró-ativo. Não esperou os compradores voltarem com suas sacolas cheias da feira para oferecer seu produto. Ele foi até o seu potencial cliente antes que tivessem oportunidade de ter outras opções de frutas para comprar.
  • As pessoas gostam de ganhar coisas de graça. Dando uma “provinha” do seu produto, ele deixou os compradores em uma posição difícil para dar qualquer resposta que fosse diferente de “sim”.
  • Ele ofereceu, barganhou, insistiu. O “não” ele já tinha. Tendo em vista que já eram 17h da tarde, toda venda que ele conseguisse fazer naquela hora, seria lucro para seu dia. E funcionou!

Na nossa profissão, seja ela qual for, precisamos sempre ficar atentos à novas oportunidades. Aproveitar quando elas surgirem e não deixá-las passar enquanto vagamos por aí, como nosso “carrinho de mão”.

A Rotina de Viver sem Rotina

Mais uma segunda-feira que chega: você acorda, vai para o escritório, bate o ponto e fica por lá até às 18h. Os seus chefes não estão preocupados se você está inspirado para trabalhar. Eles apenas querem que você produza (com vontade ou sem). Essa é a rotina de 90% das pessoas que eu conheço. Mas, por ser a maior porcentagem, significa que ela está certa? Óbvio que não.

É comum para quem possui profissões criativas ou para quem trabalha em home office, sofrer preconceito por não seguir estes padrões. Eu, particularmente, já me senti inferior muitas vezes por não precisar obrigatoriamente acordar cedo e sair para trabalhar. (Porque poder dormir segunda-feira de manhã e trabalhar apenas à tarde é coisa de “gente preguiçosa”, né?!) E, conversando com mais pessoas de diversos ramos, descobri que MUITAS pessoas se sentem assim também!

Foto por: Mihai Surdo

Então, se você é autônomo, trabalha em seu home office ou então possui uma profissão que depende da sua criatividade, vou listar aqui alguns motivos para você se sentir muito orgulhoso e satisfeito por isso:

  1. Você cria o seu horário de trabalho: Se você produz melhor pela manhã, não há nada de errado em acordar cedo. Porém, se você é mais criativo na parte da noite, por que não trabalhar das 16h às 00h?
  2. Não precisa se arrumar para trabalhar: Trabalhar o dia todo usando pijama. Tem coisa melhor? Sem salto alto, sem maquiagem… não preciso enfatizar o quanto isso é bom, né?
  3. Poder passear em horários improváveis: Fazer as compras do mês em uma terça às 10h da manhã. Ou então, passear no shopping durante a tarde. Além de sentir a maravilhosa sensação de liberdade, você ainda aproveita todos os lugares sem perder tempo em filas.
  4. Não precisa enfrentar trânsito: Engarrafamentos, trens lotados e a possibilidade de não chegar a tempo, simplesmente não existem quando se trabalha em casa.
  5. Liberdade: Você pode ouvir sua música favorita sem precisar de fones de ouvido! E o melhor: pode cantar junto sem parecer uma doida!

    Foto por: Jaroslaw Ceborski
  6. Não precisa lidar com chefes e colegas chatos: Todo mundo tem (ou já teve) um chefe ou colega de trabalho chatos.  O bom é que, trabalhando em casa, você não precisa lidar com nenhuma das duas opções 🙂
  7. Trabalhar com menos pressão e cobranças: Você pode trabalhar no seu ritmo, com os seus próprios prazos.
  8. Pausas: Você pode fazer pausas a hora que desejar. Seja para fazer um lanche, assistir a um filminho ou cochilar depois do amoço. Mas, claro, lembre-se de compensar esse tempo, mais tarde.
  9. Reservar um tempinho para se inspirar: Ao menos uma hora por semana, reserve um tempo para meditar, planejar seu futuro e criar metas. Outra maneira de se inspirar é assistir filmes, ouvir música ou conhecer algum lugar novo na cidade.
  10. Economia: Ao trabalhar em casa, você não precisa gastar com transporte, almoços em restaurantes, roupas de trabalho, aluguel, etc.

Mas, lembre-se: Trabalho é trabalho. Por isso, precisa de muita dedicação e compromisso. Não é por estar trabalhando em um ambiente confortável, que você está “de férias”. Nada de ficar dormindo e deixar o trabalho para amanhã, viu?! Com metas bem definidas, força de vontade e persistência, você chegará onde deseja 😉