Como criar o hábito de ler?

A leitura só traz benefícios para a nossa vida. Entre eles, adquirir conhecimento, aprimorar a concentração e também expandir o vocabulário. Mas nem todo mundo gosta de ler. Muitas vezes bate aquela preguiça, ou até mesmo a famosa desculpa da “falta de tempo”. Você também usa alguma das desculpas citadas, mas está querendo reverter essa situação? Nós podemos te ajudar!

O primeiro passo, é escolher um livro de algum assunto que lhe agrade. Não precisa ser livro técnico ou um livro clássico, com difícil vocabulário. Pode ser até aquele romance “água com açúcar”, sabe? O importante é que você se identifique com o resumo da história.

Nguyen

Você também não precisa ler o livro de uma só vez. Leia aos poucos, com calma. Vá saboreando cada página, imaginando os acontecimentos e os personagens em sua cabeça. Leia em torno de um capítulo, ou 10 páginas, por dia. Isso basta. Você perceberá que aos poucos, ficará curioso para querer saber o que acontece em seguida, e assim, não conseguirá desistir da história antes de chegar ao final.

Se você precisa de muita concentração, escolha praticar a leitura em locais calmos e vazios, como por exemplo o seu quarto, antes de dormir. Deite em sua cama, de maneira confortável e assim absorva a história escolhida. Agora, se você não possui problemas com barulhos externos, aproveite para ler nas horas vagas, como por exemplo no trem, durante o trajeto até o trabalho, ou em um café, enquanto aguarda o cliente chegar para a reunião.

Alice Hampson

A leitura é um hábito, assim como exercícios físicos, e também requer muita disciplina para ser levada adiante. Mas, acredite: depois de adquirir esse hábito, você não conseguirá mais viver sem um livro ao lado da cama ou até mesmo na mochila. Seja ele digital ou do bom e velho papel.

Tudo bem não estar bem

O outono chegou. E não sei vocês, mas a mim ele sempre causa transformações. O frio começa a entrar pela janela, os dias terminam mais cedo e o desânimo começa a querer se aproximar. E sabe de uma coisa? Ao invés de ensinar você a espantar o desânimo, vou ensinar você a entendê-lo melhor.

Tem dias (ou até mesmo semanas) que a gente fica meio sem rumo, né? Seja por algum acontecimento específico, ou por múltiplas situações, chega um ponto em que a gente parece só querer ficar ali, quietinha, esperando o ânimo dar as caras novamente. E vou te contar um segredo: ele vai voltar! Você não precisa fingir que está tudo bem, forçar risadas ou sentir-se ingrata por estar meio pra baixo. É normal! Ninguém no mundo fica bem e feliz 24h por dia, 365 dias por ano.

Cada um de nós possui os seus ciclos e, em cada um de nós, ocorrem transformações internas. Já andei falando sobre isso a importância de fazer uma pausa, AQUI. Use esse tempo para tentar clarear seus sentimentos. Use esse tempo para colocá-los para fora. Escreva um texto, chore, medite. Calma, não precisa tomar nenhuma decisão importante! Não precisa também ser super produtiva. Se você tiver vontade de dormir uma horinha a mais, tudo bem também. Leve seu tempo para se recuperar. Não se cobre demais e também não deixe os outros cobrarem de você.

Porque, afinal de contas, a gente passa por muitos outonos e invernos em nossa vida. Mas no final, a gente sempre sabe que o sol e o calor da primavera e verão, voltarão a brilhar. É tudo questão de tempo.

Como superar o medo de fracassar?

Quando estamos iniciando uma nova fase em nossas vidas, ou um novo projeto, é muito comum que tenhamos medo de fracassar. Não adianta. Você pode ser a pessoa mais feliz ou mais bem resolvida do mundo, vai chegar aquele momento em que o seu coração irá acelerar e sua mente questionará: Será mesmo que sou capaz?

Nesse texto aqui, eu havia comentado sobre a minha ansiedade e a síndrome do pânico que me acompanharam fortemente no ano de 2016. Como eu comentei, não foi fácil, e continua não sendo. Apesar de eu já estar 100% “curada”. Escrevo “curada” entre aspas, porque não existe cura para ansiedade ou síndrome do pânico.  Apenas, temos que aprender a conviver com isso, reparando no nosso corpo e cuidando da nossa mente.

Com a nossa sensação de fracasso é a mesma coisa. Faz parte da natureza humana nos sentirmos inseguras de vez em quando. O que importa nesse momento, não é a sensação que você tem, mas sim, o que você fará com isso. Você vai escolher sentir pena de si mesma e aceitar essa sensação? Ou você vai levantar do sofá e fazer alguma coisa a respeito?

A maneira como nos portamos diante dos nossos problemas, nos dizem muito sobre quem somos. Por mais que você seja uma pessoa que tem tendência a reclamar e questionar tudo (e olha que eu já fui muito assim), você pode mudar a sua postura aos poucos. Aos invés de ficar o tempo todo se perguntando “será mesmo que sou capaz?”, tente mudar a frase para: “De que forma eu serei capaz?”.

A verdade é que não existe um modo de burlar a sensação de fracasso, mas, você pode arrumar maneiras de não se deixar abater tanto com isso. Está sentindo que não vai dar contar? Silencie os seus pensamentos. Se puder, medite. Essa é a melhor forma de deixar os sentimentos e pensamentos ruins para trás. Supere o fracasso da maneira mais óbvia e mais simples possível: vivendo.

As ilustrações de Oana Befort

Oana Befort é uma artista gráfica nascida na Romênia, que agora mora Estados Unidos com seu marido e filhos. Ela trabalha como freelancer e faz ilustrações para livros, estampas, logotipos, etc. A sua arte é delicada, realista e inspiradora, principalmente quando se trata de fauna e flora.

Oana Befort

Oana publica alguns de seus trabalhos em seu BLOG e, a cada publicação, arranca suspiros com sua arte tão bonita.

Oana Befort
Oana Befort

Além disso, ela ainda compartilha imagens e histórias da sua família, da sua casa e seu cotidiano. Fotos pessoais cheias de luz natural, super lindas e minimalistas.

Oana Befort
Oana Befort

E aí, gostou? Quer ver mais e se inspirar? Então conheça mais aqui no Instagram e Facebook da artista. 🙂

6 Dicas para atingir as suas metas em 2018

Todo começo de ano é sempre igual. Começamos o novo ciclo com aquela sensação de que está faltando alguma coisa. Sobram planos e desejos, mas faltam ações. Queremos realizar muitas coisas, e muitas vezes acabamos frustradas por não conseguirmos atingir nem metade dos planos. O ano passa voando e mais uma vez, sentimos o tempo escorrer por nossas mãos. Mas, e se mudássemos nossa postura em 2018? E se começássemos a levar realmente a sério nossos planos e metas? Chega mais, porque essas dicas abaixo vão te ajudar a virar esse jogo!

via Dose Media

1 | COLOQUE SUAS METAS NO PAPEL

Pode parecer bobagem, mas muitas pessoas falam em metas, mas nem se quer chegam a colocá-las no papel. Isso significa tomar a atitude de tirar algumas horas do seu dia para realmente sentar e escrever os seus objetivos do próximo ano. Não doí, não arranca pedaços, e te garanto que as coisas ficarão bem mais claras. Faça uma análise do que realmente deseja e coloque tudo no papel, JÁ!

2 | ESTABELEÇA METAS REAIS (REALIZÁVEIS)

As vezes, na ânsia de querermos realizar muitas coisas, acabamos extrapolando nas metas. Portanto, estabeleça objetivos razoáveis, ou seja, objetivos que realmente condizem com o seu aporte financeiro, psicológico e físico. Por exemplo, eu desejo muito comprar uma casa, mas sei que no próximo ano isso será impossível, pois meu retorno financeiro ainda é muito baixo. Um dia sei que atingirei esse objetivo, mas, ao que tudo indica, ainda não será em 2018. E TUDO BEM! Tudo bem você não ter metas tão grandiosas assim, o importante é você ter consciência delas e manter os dois pés no chão na hora de traçá-las.

3 | AJUSTE SUAS METAS SEMPRE QUE FOR PRECISO

Nada nessa vida é imutável, e suas metas também não devem ser. As vezes temos mania de achar que na vida tudo é 8 ou 80. Ou seja, se você não chegar lá (seja onde esse “lá” quer dizer), significa então você não foi boa o suficiente, e não fez nada certo. PARE COM ISSO JÁ! Esteja preparada para consultar suas metas ao longo do ano, revê-las, e se preciso, modificar uma ou outra. Imprevistos acontecem e ninguém está imune a eles. Seja uma pessoa flexível e saiba quando é hora de ajustar e mudar.

4 | SEPARE SUAS METAS EM PEQUENAS AÇÕES

Uma grande dica na hora de traçar e realizar suas metas, é separá-la em outras pequenas ações. As vezes quando um objetivo é muito grande fica difícil visualizarmos seu final. Para facilitar, separe uma grande meta em outras menores, você verá que ficará mais fácil perceber o seu caminhar ao longo do tempo.

5 | TRABALHE COM VONTADE PARA REALIZAR

É isso aí! De nada adianta planejar e seguir todas as dicas acima, se no primeiro obstáculo sua mente fica lhe dizendo: “você não vai conseguir! você não vai conseguir!”. Mude sua postura agora! E trabalhe nos seus objetivos desejando realmente que eles se concretizem. Mude seu pensamento para: “eu vou conseguir! eu vou conseguir!”, e veja como esse pequeno gesto pode fazer uma grande diferença.

6 | NÃO FIQUE TRISTE SE VOCÊ NÃO CONSEGUIR ATINGIR SEUS OBJETIVOS

Se por acaso, você tiver seguido todas as dicas e planos, e mesmo assim, quando chegar Dezembro nada tiver dado certo. Não desanime! Muitas vezes nossas expectativas não estão alinhadas com a realidade, e ta tudo bem errar! O importante é que você sempre se questione e tenha consciência do que pode melhorar ao longo do ano. Trabalhando com dedicação e sabedoria, todos os seus objetivos serão alcançados, de uma maneira ou outra. 🙂

Série de fotos mostra a beleza do cabelo afro

O casal de fotógrafos Regis e Kahran, de Atlanta, EUA, criaram uma série de fotos linda chamada AfroArt. Os dois são especializados em fotografia infantil e lifestyle, e estão a frente da Creative Soul, empresa criada a mais de sete anos, que tem como principal objetivo divulgar toda essa paixão por uma fotografia mais autoral e bela.

Impulsionados pela falta de representatividade das pessoas com cabelo afro nas mídias, os dois decidiram viajar diversos estados fotografando crianças em composições pra lá de estilosas. Eles afirmam:

“Infelizmente, a falta de diversidade muitas vezes  cria estereótipos de que estas crianças não são “suficientemente boas” e muitas vezes as obriga a terem baixa autoestima. Nós tentamos combater esses estereótipos em nossa fotografia mostrando imagens de pequenos que amam a pele em que estão, seus próprios cachos naturais e sua cultura. Histórias como estas são importantes para mostrar como podemos destruir os padrões atuais de beleza”.

Além da própria série, eles também criaram um calendário com as fotos, e que pode ser adquirido no próprio site da empresa. Veja como ficaram algumas das fotos abaixo! ?

Siga o casal nas redes sociais:

Site | Facebook | Instagram | Pinterest | Twitter

Sobre nossos medos e fraquezas

Eu sempre fui uma pessoa calma, ao menos era isso o que a maioria das pessoas me dizia. Sentia meu coração acelerar em determinadas situações desde muito nova, mas sempre imaginei que isso fosse algo natural do ser humano. E é. Até o momento em que você começa a não querer mais sair de casa, e achar que vai morrer sem motivo. Aí, estamos falando da síndrome do pânico.

Tanja Heffner

Pra quem não conhece:

“A síndrome do pânico é um transtorno de ansiedade, caracterizado por um grande medo/mal-estar com sintomas físicos e cognitivos, que se iniciam de forma brusca, e que causam um medo recorrente de morte”. (Fonte)

Ou seja, imaginem uma ansiedade típica daquela onde você (pessoa que nunca teve síndrome do pânico) sente antes de apresentar um trabalho na escola ou na faculdade, por exemplo. Aquele friozinho na barriga que sentimos antes de algum compromisso importante, e que é extremamente normal e saudável. Agora, multiplique essa pequena sensação por MIL e faça ela durar em torno de 20 a 30 minutos. Pois é, posso afirmar com precisão que esta não é uma sensação nada agradável.

Como dizia no começo do post, eu sempre fui considerada uma pessoa tranquila, pelo menos pelas pessoas que me viam de longe. O problema era que eu tinha dificuldade em expressar meus pensamentos e emoções (ainda sinto bastante as vezes). Fazer esse texto e relatar tudo isso pra mim é um exercício de eterna consciência de mim mesma. Aceitar os meus defeitos e entender que não tenho controle de tudo, muitas vezes das minhas próprias ações é algo que estou cada vez mais tentando aprender e aceitar. A verdade é que o aprendizado nunca termina.

jordan Bauer

Agora no mês de Dezembro estou parando de tomar medicação, depois de 1 ano e meio indo quase todos os meses ao médico e depois de um ano de terapia, aprendi que eu tenho várias fraquezas, e mais, que as pessoas ao meu redor também as tem, e que não podemos ter medo de assumi-las. Não como forma de nos vitimizarmos ou levantarmos qualquer troféu, muito pelo contrário. Mas sim, porque essa é a nossa condição natural de SER HUMANO. Não podemos ser nada além daquilo que já somos.

Vivemos em um mundo frenético onde cada vez mais nos sentimos pressionados para sermos pessoas perfeitas, filhos, pais, mães, profissionais exemplares que nunca erram. E sem chorar, porque chorar é feio, ainda mais se você for homem. Neste caso, tenho que dizer que nós mulheres saímos na frente, porque pelo menos podemos expressar nossas decepções com mais liberdade, até certo ponto, é claro. As redes sociais estão aí para nos lembrar a todo instante dessa vida perfeita de faz de conta. Sim, digo de faz de conta porque nos esquecemos que nunca seremos assim, que não somos máquinas. Somos seres humanos cheios de defeitos e manias, e que muitas vezes só necessitam de um colo para se sentirem melhores.

E você, está já sofreu alguma vez com seus medos e fraquezas? Já teve medo de assumi-los? Conta pra gente aí nos comentários! Queremos ouvir a sua história!

A palavra da vez é: consistência!

Seja na nossa vida pessoal, ou nos negócios, ter consistência é uma das grandes chaves para o sucesso. Ansiosa que sou, demorei um bocado para perceber como ela era essencial na minha vida. Nesse mundo cada vez mais frenético em que vivemos, informações chegam a nós a todo momento. Se você não está consciente da importância de dosar as informações e manter o equilíbrio, certamente cedo ou ou tarde, acabará sofrendo as consequências. Muitas vezes, na ânsia em acertar acabamos colocando os pés pelas mãos, é neste momento que precisamos nos lembrar da importância dessa palavra.

Jamie Street

Segundo o dicionário online, consistência significa:

“Característica de um corpo do ponto de vista da homogeneidade, coerência, firmeza, compacidade, resistência, densidade etc. dos seus elementos constituintes (…)”

Vou dar um exemplo pra vocês, do que vem a ser ter consistência para nós aqui do blog Pagu. Nós gostamos muito de escrever, e adoramos produzir conteúdos pra vocês. Quanto mais posts produzimos, mas visualizações vão surgindo em nosso blog, e consequentemente, mais reconhecimento ganhamos com o nosso trabalho. Porém, de nada adianta simplesmente postarmos todos os textos aqui de uma só vez, sem ordem, todos no mesmo dia, sem divulgação, sem preparação. Certamente se fizéssemos isso, vocês não dariam conta de ler todos, e possivelmente se perderiam no meio de tanta informação nova. Então, quando vamos postando um texto a cada dia, de forma organizada e objetiva, conseguimos atingir um público muito maior, assim como realizar nosso sonho de ser um blog de referência.

Da mesma forma, se você tem alguma habilidade ou talento específico, e gostaria de mostrar isso ao mundo, ter mais visibilidade e ganhar dinheiro com isso, você vai precisar ter consistência na forma como apresenta o seu trabalho as outras pessoas. Isso significa que terá que se sentar e planejar seus objetivos, desenvolver uma marca que seja só sua, uma identidade visual, definir as mídias com as quais irá trabalhar, tudo para que a sua mensagem seja o mais clara possível, e você se torne um profissional sério e respeitado. Dando um passo de cada vez você com certeza chegará mais longe. 

Lindsay Henwood

Entendeu um pouco mais o que quero dizer? Não adianta você querer fazer tudo e saber tudo ao mesmo tempo, isso é humanamente impossível. É preciso que tenhamos planos, objetivos, firmeza e coerência. Sei que parece meio óbvio escrever isso, mas acredite, na nossa rotina diária, muitas vezes esquecemos o poder que a consistência pode ter em nossas vidas.

“Mude
Mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade”.

Autor Desconhecido

Para finalizar, preparei alguns tópicos sobre o que exatamente ter consistência significa pra mim e pra nós aqui do Pagu, seja na vida particular ou no trabalho. Pensei em algumas lições básicas onde ser alguém consistente pode resultar em uma melhor qualidade de vida. Vamos lá?

Estee Janssens
  • Tudo na vida é equilíbrio. Ser alguém consistente é acima de tudo ter consciência disso, sabendo se respeitar e respeitando as demais pessoas;
  • Vivemos tempos em que podemos ser o que quisermos, e por isso muitas vezes, podemos tomar algumas decisões precipitadas, ou pior, podemos ficar paramos sem saber como agir. Não seja nem um outro e nem outro. Saiba agir antes de estar totalmente pronto, e de ficar parado mesmo que todo mundo saia do lugar;
  • Mudar é extremamente necessário e importante. Porém, tenha sabedoria para saber se uma nova mudança é realmente necessária. Se faça perguntas: eu realmente desejo mudar? Qual o pior que pode me acontecer? O que essa mudança pode significar para mim e para as pessoas que eu amo? O quanto essa mudança poderá interferir no meu trabalho, na minha vida, e na minha consistência como um todo? 
  • Trabalhe em um projeto de cada vez. Seja onde for, qual for o objetivo tenha, delegue sua força para um trabalho de cada vez. Verá que os resultados serão muito mais rápidos e satisfatórios;
  • Tenha paciência. Acima de tudo, entenda que ninguém nesse mundo tem o conhecimento de tudo. Então, tenha calma na hora de tomar suas decisões, e saiba esperar o momento certo para agir, caso precise;
  • Não há como ser bom em tudo, portanto, escolha um caminho e siga em frente;
  • Ser alguém consistente é também ser alguém de palavra. Não seja uma pessoa leviana, ou seja, alguém que julga algo sem nem conhecer. Aproprie-se das coisas que você gosta, e só depois faça algo a respeito.

E aí, gostou das dicas? Que tal deixar a sua opinião aqui nos comentários abaixo? O que ser consistente significa pra você? Queremos saber a sua opinião, e o quanto que isso poder ser importante na sua vida pessoal ou nos seus negócios. 😉

5 dicas para ser uma pessoa mais produtiva

Com o tempo e a maturidade, vamos aprendendo que ser produtiva é uma qualidade mais do que necessária. Com uma rotina cada vez mais corrida, ser alguém organizada e comprometida com as suas atividades, é garantia quase certa de um grande diferencial. Pensando nisso, elaboramos 5 dicas para quem deseja ser mais produtiva, seja no trabalho, ou na vida pessoal, ou nos dois ao mesmo tempo. Let’s go! 🙂

1 | ESTABELEÇA UMA ROTINA

Muito temida por grande parte das pessoas, a rotina tem sim o seu lado bom. Ter uma rotina é fundamental para que as coisas fluam de maneira saudável, seja no trabalho ou em casa. Quando nos comprometemos a entrar numa rotina, é porque realmente estamos dispostos a determinada ação. Isso significa que você terá que colocar no papel todas as suas atividades e demais obrigações, ficando comprometida a estabelecer hábitos. Acredite, faz toda a diferença na hora de mostrar resultados. Faça da rotina sua grande amiga!

2| UMA COISA DE CADA VEZ

Parece bobagem né? Mas ter calma e ponderação para fazer uma coisa de cada vez é um privilégio de poucos, e pode lhe garantir mais energia. Ansiosa que sou, sempre fui daquelas pessoas que não sabe esperar, principalmente em se tratando de trabalho. Quero fazer tudo, e ao mesmo tempo! O resultado são tarefas não tão bem executadas, e que poderiam ter obtido melhores resultados se eu tivesse feito uma coisa de cada vez. Saiba dosar as suas energias e faça uma coisa de cada vez!

3| FAÇA INTERVALOS

Nosso cérebro não é uma máquina, definitivamente. Apesar de vivermos tempos cada vez mais acelerados, fazer intervalos entre as atividades é ESSENCIAL para o bom resultado e comprometimento dos seus afazeres. Estabeleça pequenos intervalos ao longo do seu dia, saia para dar uma volta, pare para fazer um lanche, tomar um café, conversar com os amigos… não caia na tentação de achar que assim você está rendendo menos, e portanto, será menos produtiva. Fazer pausas é mais que necessário. Você verá que ao voltar as suas atividades estará com mais disposição e com a cabeça mais fresca para poder se concentrar melhor, produzindo assim com mais dedicação.  Acredite em mim.

Tatiana Nino

4| DEFINA O QUE É MAIS URGENTE

As vezes ficamos com tantas coisas para fazer, que mal sabemos por onde começar. Se você já passou por isso, ou se encontra assim agora, pare tudo o que está fazendo já! Antes de qualquer coisa, faça uma lista do que é mais urgente. Pode parecer que você estará perdendo mais tempo ainda com essa atitude, mas acredite, ela é fundamental para que possamos ter consciência do que realmente devemos fazer, e portanto, da nossa rotina como um todo. Aos poucos, comece a adotar essa lista como hábito, e verá que o seu dia fluirá ainda melhor.

5| SEJA GRATA

Nada mais óbvio não? Mas, muitas pessoas esquecem deste pequeno detalhe. Seja no trabalho ou na vida pessoal, seja sempre grata pelas oportunidades que você encontra pelo caminho, sejam elas boas ou ruins. Momentos ruins também servem para que possamos aprender a valorizar os bons. Tenha essa consciência. Seja uma pessoa positiva e que valoriza a vida como um todo, atitudes assim são essenciais para a boa produtividade da vida.

E aí, gostou das dicas? Tem mais alguma que gostaria de acrescentar? Conta aí nos comentários pra gente! 🙂

Música empoderada: Karol Conka

Se você mora nesse mundo, certamente já ouviu o nome dessa mulher em algum lugar. Ou talvez não saiba quem ela e, mas possivelmente ouviu a sua música em alguma rádio. Karoline dos Santos Oliveira, mais conhecida como Karol Conka, é a atual mulher empoderada da música brasileira que você respeita.

Com suas madeixas rosas, seja de cabelo curto, num black, ou de tranças, a curitibana de  apenas 30 anos, (sim, mulheres de 30 vocês estão na flor da idade), TOMBA MUITO por onde passa.

Eu vou ser sincera pra vocês e dizer que ouço pouca música brasileira. Eu sei, isso é um erro. Com tantos talentos incríveis por ai, as vezes me sinto culpada por não estar tão atenta ao que ocorre na música no nosso país. Mas, sabe, quando vi essa mulher cheia de atitude, negra, de cabelo curto, falando de sexo oral na mulher sem tabu por aí, cara… fui OBRIGADA a parar e escutar. E poxa, devo dizer, essa ela me conquistou demais. ❤

Seja pelos seus clipes lacradores ou pela sua coragem de expor a sua arte, suas músicas exaltam a força da mulher na sociedade.

Sua história de vida e nas artes é a mesma que muitas de nós. De origem humilde, sempre teve afinidade com a música desde jovem, porém, em um meio de poucas oportunidades. No inicio da sua vida adulta, ainda ficou grávida do seu primeiro filho, Jorge, o que foi uma grande surpresa na sua vida. Mãe, mulher, negra, feminista, Karol mesmo assim fez questão de continuar investindo nos seus talentos, e não deu outra, virou esse grande sucesso que é hoje!

Bora ouvir?

https://www.youtube.com/watch?v=9bY4qEFgOrE

A letra dessa última é demais, da uma olhada:

Você me subestima, eu continuo nem aí
Vivo na brisa e o que me incomoda deixa de existir
Se apavora ao ver que cada vez mais posso progredir
Passa, ignora e percebe que não tem pra onde fugir

Vejo você cair, querendo admitir
Que o meu processo apesar de ser lento pode fluir
Herdeira dos meus ancestrais, cultivando a paz, que o verde me traz
Espalho minha mensagem e nada mais (…)

Você demorou muito tempo pra perceber
Que ficar me julgando só te levou a perder
Nessa vida não basta querer ser
Tem que tá na veia, saber fazer

Mas você se distrai, confunde o meu valor
Sai falando demais, fica puto enquanto eu vou
Pronde você não vai, você não vai
Pronde você não vai, você não vai

❤❤❤

Curtiu também? Então siga a cantora nas redes sociais: Facebook | Instagram | Twitter 

Mulher, previna-se! (Outubro rosa)

Queridas leitoras! Hoje o papo é sério aqui no blog. Pra quem não sabe, Outubro foi eleito o mês internacional de prevenção e combate ao câncer de mama. Nesse período, vocês já devem ter notado que diversos veículos de comunicação colocam as suas principais imagens na cor rosa. Inclusive, nós também embarcamos nessa. Esse ato pode até parecer um pouco bobo num primeiro momento, afinal, vocês devem pensar: “o que de fato uma foto na cor rosa na rode social pode mudar no mundo?”. Pois bem, talvez a resposta inicial não seja muito animadora. Mas, como nós acreditamos muito nas pequenas atitudes em prol dos feitos maiores, e compreendemos que as imagens podem mexer com o inconsciente das pessoas, a gente também apoia essa causa. E se a imagem rosa no nosso perfil ao menos lembrar uma mulher apenas, de realizar os exames de prevenção, nós já ficaremos super felizes!

Para trazer um pouco mais de consciência e historias reais pra vocês, nós convidamos a Eloisa Navacosta (que é mãe da Verlisa), para fazer uma entrevista pra gente, e nos contar um pouco sobre como foi a sua experiência com o câncer de mama. Pra quem não sabe, já fazem mais de 15 anos que ela venceu a doença, e agora, vai nos relatar os principais desafios para que possamos ficar atentas também e nos prevenirmos. Vem conferir!

Pagu – Mulheres Criativas: Eloisa, como você descobriu que estava com câncer de mama, e quais foram os seus primeiros sentimentos/pensamentos?

Era final do ano de 1999, e eu havia comprado um sutiã com armação na parte de baixo. Esse tipo de roupa íntima havia acabado de entrar em moda na época, e resolvi experimentar também. Logo que comecei a usá-lo, senti um certo desconforto na parte de baixo do meu seio esquerdo. Apalpei a região mas não encontrei nada. Como eu já tinha o costume de fazer exames rotineiros de prevenção uma vez por ano, imaginei que esse fosse um bom motivo para retornar ao médico. Chegando ao ginecologista, ele também não encontrou nada que fosse aparentemente grave, e me perguntou se eu gostaria de fazer uma ecografia da região para ter certeza de que não havia nada estranho ali. Nesse momento (seja por sorte ou ação divina), eu optei em dizer SIM para fazer o exame. Foi quando naquela mesma semana mais tarde, descobri que se tratava de um câncer de mama. Duas semanas depois da descoberta, eu já estava em cirurgia para a retirada do seio.

No início, meu sentimento por incrível que pareça, foi apenas de questionamentos. Como o médico havia dado primeiro a notícia ao meu marido, e ele havia ficado realmente abalado, eu estava mais preocupada em consolá-lo, do que com a minha própria doença. Devido a minha pouco idade (estava com 36 anos na época), e o fato de que o câncer de mama não ser tão comentado como é hoje, eu acho que também não tinha muita ideia de como as coisas seriam. Eu sabia que era uma doença bem grave, e como o médico havia dito, 99% do meu seio já estava comprometido. Mas, mesmo assim, consegui me manter serena na medida do possível.

Pagu – Mulheres Criativas: Qual foi a parte mais difícil em ter essa doença? (Se é que é possível escolher apenas uma). 

Com certeza a parte mais difícil foi a quimioterapia. No meu caso específico, foram feitas 4 sessões de 21 em 21 dias, que duraram aproximadamente 4 meses. O efeito que os remédios causaram no meu organismo foram devastadores. Eu sentia muitos enjoos, tive feridas na garganta, tinha fome, mas na hora que ia comer, era como se nenhuma comida tivesse sabor. Tinham dias que eu me sentia muito cansada, como se uma gripe muito forte tivesse tomado conta do meu corpo. Era difícil até mesmo ficar em pé. Depois, veio a radioterapia, e as coisas foram um pouco melhores, mas também bastante estressantes. Foram 30 sessões ao todo, onde eu tinha que me descolocar todos os dias até Porto Alegre. Durante a radio, a pele da região fica queimada, e é necessário usar roupas mais leves e cremes, para que a pele não fique pior.

Pagu – Mulheres Criativas: Em relação a estética, como foi lidar com a perda do cabelo durante a quimioterapia, e também em relação ao seio? 

Eu nunca tive uma preocupação exagerada com a aparência, mas é claro que como toda mulher, você sente como se o seu “lado feminino” não existisse mais. Além de você estar com a cara abatida, cheia de olheiras e marcas em consequência dos remédios, você também se vê careca e sem um seio (no meu caso). Você se sente muito feia e fora dos padrões. Mas, como uma pessoa que perdeu um braço ou uma perna, eu acredito que não ter um seio é uma deficiência como qualquer outra. Ainda tem o lado bom que você pode disfarçar com enchimento no sutiã, e não ser alvo dos olhares das outras pessoas. Quem não sabe da minha história, não faz ideia que tenho apenas uma mama. Tem algumas pessoas que acabam reconstruindo depois, mas sinceramente, não quero mais mexer nessa região. Já passei por muita coisa, então esta bem viver assim.

Pagu – Mulheres Criativas: O que mudou na sua vida depois da doença? Como é a sua rotina de prevenção hoje em dia? 

Com certeza muita coisa mudou. Não apenas em relação ao meu corpo, mas principalmente, em relação a minha mente. Antes, eu me preocupava com coisas bobas, que depois da doença passaram a não ter mais tanta importância na minha vida. Passei a dar mais valor pra vida como um todo, e aproveitar os momentos.

Quanto a minha rotina de prevenção, depois que me curei 100%, fui fazendo um distanciamento aos poucos dos exames. Hoje em dia, minha rotina é normal, vou ao ginecologista e faço mamografia 1 vez ao ano, assim como é recomendável a todas as mulheres. Neste caso, é importante salientar que somente o exame do toque em casa não é suficiente para a prevenção completa. No meu caso, o que havia no meu seio eram calcificações malignas, e não nódulos (os famosos caroços). Ou seja, este tumor não era detectável pelo toque. Por isso, é sempre bom lembrar que é essencial ir ao médico pelo menos uma vez ao ano, para fazer exames mais completos e conversar com um profissional. 

Pagu – Mulheres Criativas: Qual a mensagem que você gostaria de deixar para as mulheres que estão passando pela mesma situação que você, ou para as pessoas que estão próximas a alguém que esteja passando por isso? 

Acho que o principal é ter fé acima de tudo, e manter a mente sempre positiva. Em nenhum momento da minha doença eu pensei em morte, ou imaginei que isso pudesse acontecer. Eu sempre procurei me manter tranquila e positiva, apesar de tudo. Eu sabia que aquela era apenas uma fase pela qual estava passando. Algo que me ajudou MUITO foi começar a frequentar a Liga Feminina de Combate ao Câncer aqui da minha cidade. Lá eu encontrei mulheres que estavam passando pela mesma coisa que eu, e outras que já haviam passado e estavam totalmente curadas. Durante o tempo que estive lá fiz muitas amizades, passeios, e até mesmo recebi ajuda financeira para realizar exames. É muito bom se sentir acolhida assim, e receber carinho de quem entende o que você esta passando.

Caso você esteja passando por isso agora e lendo essa entrevista, meu recado é: tente sempre se cercar de pessoas e que realmente lhe coloquem pra cima. Não dê ouvidos a todo mundo, existem pessoas que vão lhe colocar pra baixo, mesmo que de maneira inconsciente. Dê ouvidos aos seus médicos e faço tudo o que eles pedem. Eles são profissionais e estudaram para isso, portanto, sabem o que estão fazendo.

Se você está próximo(a) de alguém que esta passando por esse momento, procure não falar de exemplos ruins, ou de pessoas que morreram por causa do câncer. Também não tenha pena da pessoa doente, simplesmente AJA NORMALMENTE. É claro que não se deve ignorar o fato, mas, tente não ficar falando somente sobre isso, ou procure trazer exemplos positivos para a pessoa. O que uma pessoa com câncer mais precisa é de apoio, e sentimentos positivos incondicionalmente, seja alguém assim. ❤

E aí, o que acharam da entrevista com a Eloisa? Que história não é? Devemos lembrá-las também que até hoje os médicos ainda não descobriram o que realmente causa o câncer. Segundo dados do INCA, o câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres, depois do de pele do tipo não melanoma, correspondendo a 28% de casos novos a cada ano. E nos homens, são 1% do total de casos da doença.

No entanto, ter uma vida saudável e equilibrada (fisicamente e mentalmente) é fundamental para o não surgimento de qualquer tipo de doença. Mesmo assim, ter um câncer (seja de mama, ou de qualquer outro tipo), não é o fim do mundo. Hoje em dia, e cada vez mais, as tecnologias estão aí para nos auxiliar na cura de diversas doenças, o importante, acima de tudo, é nunca perder a esperança! 😀

Já sabe como fazer o autoexame? Veja a dica abaixo!

A felicidade que está dentro de nós

Todas nós queremos ser felizes, isso é fato. O problema é quando depositamos toda essa alegria em coisas, pessoas ou situações que estão além de nós mesmas. Pensamentos como “eu só serei realmente feliz quando conseguir aquela promoção”, ou “só serei uma pessoa feliz de verdade quando emagrecer 10 quilos”, “só serei plena e linda quando achar um emprego novo”, “começarei a cuidar mais de mim mesma depois que eu encontrar um namorado”, etc, etc, etc. Certamente, muitas de vocês já passaram por isso. A verdade é que essa felicidade em longo prazo nunca chega a existir de verdade.

Jiří Wagner

Aprendemos durante toda a nossa vida que finais felizes existem, os filmes nos mostram muito bem isso. A mocinha que sofreu durante toda a sua vida e no fim encontra no seu melhor amigo, o seu príncipe encantado. A professora que passa o diabo nas mãos dos alunos, mas no fim, aleluia! Consegue colocá-los nos eixos, e todo mundo se abraça e comemora chorando. O garoto que sofreu durante toda a sua a infância, mas no fim, cresce alguém super inteligente e determinado, e finalmente pode mostrar a todos que lhe fizeram sofrer o quanto venceu na vida. Que alegria seria se toda a nossa vida se resumisse apenas a uma história de ficção. Só que não. 

Mas, e depois? O que acontece após o fim do filme com aqueles personagens, quando o letreiro sobe, a televisão se desliga e nós (pobres mortais) voltamos para as nossas vidas comuns e rotineiras? A verdade é que a felicidade não é um sentimento final e permanente, daqueles que encontramos após duas horas de filme. Mas, sim, um estado momentâneo, e que precisa, a todo momento, ser estimulado por nós mesmas.

Allef Vinicius

O meu conselho, após todas essas palavras aparentemente desanimadoras é: não deposite toda a sua felicidade em situações, coisas ou pessoas que estão além de você mesma. Isso pode parecer bem clichê num primeiro momento, tipo papo de auto-ajuda. Mas, só quem já passou pela situação de ter todas as suas expectativas jogadas por água abaixo, sabe o quanto a base da nossa felicidade não deve, nunca, estar apoiada em nada, nem ninguém. Aprenda a se amar, e a nutrir suas próprias expectativas, e acima de tudo, a ser a única responsável pela sua felicidade. Você verá que tudo vai ficar mais leve!

Haley Phelps

Você não precisa ser salva

Eu nunca fui muito fã de contos de fadas. Assisti a muitas narrativas conhecidas, como Branca de Neve, Cinderela, Rapunzel, e muitas outras. Mas, me lembro de questionar essas histórias ainda muito jovem, por volta dos meus 10 ou 11 anos, bem na época em que minha mãe (minha grande referência de vida) lutava contra um câncer de forma corajosa. Uma das pessoas mais importante da minha vida estava ali, sozinha, lutando bravamente contra um ser estranho em seu corpo, e vencendo mais esta, entre suas diversas batalhas da vida. Então, eu me perguntava: por que afinal aquelas mulheres das histórias precisavam de alguém que as salvassem?

Olhe ao redor! Dê uma olhada com mais atenção! Veja quantas moças, meninas, mulheres, mães, filhas, tias… estão diariamente escalando montanhas em suas vidas, completamente sozinhas, e de forma determinada. Não estou aqui dizendo que podemos dar conta de tudo de maneira solitária, muito pelo contrário. Mas sim, estou querendo chamar a atenção para a situação de que muito tempo de passou desde a criação destes contos de fadas, e muita coisa no mundo mudou depois disso. Aquela cena clássica da donzela em perigo, e que bravamente é salva por um homem (geralmente branco e loiro), não faz mais parte dos nossos dias. Talvez nunca tenha feito.

Foto de Jerry Kiesewetter

Daí agora você vai me dizer: “Mas Verlisa, os contos de fadas nunca foram reais! Tratam-se apenas de histórias antigas e que não têm nada a ver com a realidade!”. Sim, é exatamente isso, você está certa. Mas, agora me responda: o quanto será que você consegue assistir a uma história dessas e não se identificar com alguma personagem? O quanto você olha um filme e não se imagina nele, ou consegue não fazer associações com a sua vida? É difícil né? Eu sei. Nós estamos o tempo todo fazendo isso, e sempre de maneira inconsciente. Não somente com os contos de fadas, mas com todas as ficções em geral. Meninas crescem lendo histórias de princesas que precisam ser salvas, e por isso acreditam que nas suas vidas será assim também. Acredite, você não deve e não precisa ser salva. 

Foto de Tamarcus Brown

Nós mulheres conquistamos direitos e deveres que nos possibilitam ser mais independentes e principalmente, desenvolver a nossa capacidade de lidarmos com os problemas sozinhas. Assim também, como é essencial que possamos distinguir o momento exato de pedir ajuda, quando necessário. Ter alguém na vida que nos acompanha e nos apoia nos momentos difíceis é essencial, e todo ser humano precisa ter, seja um(a) amigo(a), um(a) companheiro(a), familiares, até mesmo um animal de estimação. Porém, independente da dor que você tem, ou a causa pela qual você está lutando, independente do fardo que você carrega, devemos sempre lembrar que ninguém poderá lhe salvar, a não ser você mesma. Por mais que as pessoas que estão ao seu redor lhe ajudem, é essencial que você aprenda a estar consigo, aceitando suas qualidades e defeitos para que saiba também lidar com os seus problemas de forma independente. Só quem aprende também a estar consigo, sabe o quão gratificante e libertador essa atitude pode ser. Pense nisso.

A rotina matinal – Detalhes que fazem diferença

Eu não sou e nunca fui uma pessoa matutina. Desde muito pequena, durante a época de escola, acordar cedo me deixava muito mau humorada. Com o passar do tempo, descobri que esse desânimo pela manhã só vinha a me prejudicar, pois acordar com o “pé esquerdo” acaba refletindo durante todo o dia. E ninguém gosta de azedar o dia todo por causa de uma bobagem dessas, né? Pensando nisso, resolvi compartilhar por aqui algumas dicas que me ajudam a acordar mais disposta e alegre. O que, claro, aumenta a minha capacidade de produzir, pela manhã.

COLOCAR SUA MÚSICA FAVORITA COMO ALARME DO DESPERTADOR: Nada como acordar cantando uma música que você tanto gosta, né?

ALONGAR TODO O CORPO E ESPREGUIÇAR: Além da sensação de bem estar, esticar os músculos ativa a circulação sanguínea, “acordando” o cérebro.

Alexander Possingham

AGRADEÇA PELO NOVO DIA QUE SE INICIA E MENTALIZE CINCO COISAS BOAS: Se você acordar pensando que seu dia será uma droga, assim será. Agora, se você acordar pensando em coisas que tornarão seu dia melhor, assim será também!

TOME UM BANHO QUENTINHO, PERFUME-SE E VISTA SUA MELHOR ROUPA: Três passos que levarão o seu astral lá pra cima!

Karla Alexander

BEBA UM COPO D’ÁGUA: Beber água pela manhã ajuda a purificar e “acordar” seus órgãos internos. A sua saúde agradece.

TOME UM CAFÉ BALANCEADO: Nada de sair de casa sem tomar café da manhã, ok? Sei que muitas vezes não dá tempo ou vontade. (Eu, por exemplo, não sinto fome pela manhã). Mas ao menos uma xícara de café e uma banana, não tem desculpas! Rsrsrs.

Megan Savoie

PLANEJE O SEU DIA NA NOITE ANTERIOR: Dessa maneira, você não perde tempo com imprevistos e consegue planejar e organizar as tarefas que tem pela frente.

VIVA UM DIA DE CADA VEZ: Aproveite cada minuto do seu dia, pois ele é único. Lembre-se também de que nenhum dia é igual ao outro (e essa é a beleza da vida!).

Gostou das dicas? Então bora acordar super animada e pronta pra o que vier!

8 ideias de home office para você se inspirar

Quem trabalha em casa certamente já passou pela situação de ter que adaptar um cômodo da casa como espaço de trabalho. O home office está se tornando um espaço cada vez mais comum nos dias de hoje, visto que empresas do mundo inteiro estão aderindo ao estilo. Além de trazer aconchego (pois trabalhamos em nossa própria casa), o home office é também uma ótima opção para quem quer gastar menos e não ter que se estressar com o ritmo frenético das ruas das grandes cidades. Pensando nisso, separamos 8 ideias de decoração para inspirar você!

Todo home office que se preze, precisa ser um espaço tranquilo e de aconchego. Não é porque você trabalha em casa, que não possui regras e prazos para cumprir. Uma boa ideia é usar itens de decoração sóbrios e inteligentes, com alguns itens coloridos. Um sofá para relaxar também é válido, afinal, descansar para renovar a energia também é essencial!

Outro fator importante para quem deseja ter um espaço de trabalho em casa, é ter alguns itens que tenham a sua cara e que lhe tragam boas lembranças. Bora colocar aquela foto de família no porta-retrato? E aqueles enfeites que você comprou quando vez certa viagem?

Plantas e animais são sempre uma ótima pedida. As plantas alegram o ambiente. E os animais, não precisamos nem comentar, né? Já pensou poder trabalhar com o seu animalzinho de estimação aconchegado pertinho de você?

E aí, que tal colocar em prática algumas ideias e transformar o seu cantinho preferido da casa? Ah, e também queremos conhecer o seu cantinho. Nos envie fotos do seu home office, vamos adorar!

E quando tudo dá errado?

Este não é um blog de autoajuda, tampouco pra falar sobre os nossos problemas pessoais. Porém, precisamos falar também sobre quando as coisas parecem dar errado. Como se manter firme e motivado quando parece que tudo ao nosso redor está desabando?

A vida é como o trajeto de uma montanha-russa. Tem as subidas, as curvas, as descidas e até o friozinho na barriga é o mesmo. A vida jamais será uma linha reta. Até porque, se fosse assim, não teria graça alguma viver.

Durante a nossa trajetória, tem também aqueles momentos de “descida”, onde parece que nada vai dar certo. Seja na vida profissional ou pessoal, todos já nos deparamos com alguma situação difícil de enfrentar. Mas, como lidar da melhor maneira quando nos deparamos com esses momentos?

Francisco Moreno
  • Pense positivo: Sempre nos dizem que atraímos aquilo que pensamos, né? Portanto, chegou a hora de pensar positivo! Filtre tudo o que pensar, focando somente em coisas positivas. Nada de ficar pra baixo e deixar a tristeza/raiva dominar seus pensamentos e coração!
  • Nada de catastrofismo: Nessas situações, seja realista. Pense claramente a pior hipótese que poderia acontecer. Reflita quais as chances de isso acontecer verdadeiramente e o que você faria para driblar o problema. Após, você verá que não é um bicho de sete cabeças e que com certeza há solução.
Ian Schneider
  • Faça uma prece/medite: Se você pertence a alguma religião ou possui alguma fé, nada mais justo do que fazer uma oração. Conversar silenciosamente com alguém ou com o nosso interior, nos ajuda a clarear os pensamentos e possivelmente encontrar soluções.
  • Cuide de você: Apesar dos problemas que você estiver enfrentando, lembre-se que a sua saúde é muito importante! Portanto, tome um banho relaxante, se alimente bem e tenha boas horas de sono. Além de mais energia e disposição para enfrentar o que vier, você também estará mentalmente saudável.

Lembre-se: todos temos fases boas e fases ruins na vida. E aí, preparado para encarar os problemas de frente?