As ilustrações de Sally Nixon

O que as mulheres fazem quando estão sozinhas e ninguém está olhando? A artista Sally Nixon nos mostra o cotidiano feminino, através de ilustrações delicadas e coloridas. A ideia inicial de Sally era criar 365 imagens, uma para cada dia do ano. Porém, a medida que os dias foram passando, ela viu que era complicado criar algo novo para cada dia e decidiu de inspirar em sua própria rotina. Confira abaixo um pouquinho do trabalho de Sally e, assim como eu, identifique-se com diversas ilustrações!

E aí, gostou? Que tal conhecer um pouco mais desse trabalho lindo? Acesse o Instagram e o Etsy da Selly! 🙂

O que acontece quando tiramos os homens do poder?

Infelizmente, a maioria dos cargos de poder ainda são ocupados por homens. Aquela cena bem clássica, do homem alto e engravatado, com barba bem aparada e voz grave, impondo respeito. Mas está na hora de mudar um pouco essa situação, não é mesmo?

Pensando nisso,  A revista ELLE do Reino Unido decidiu impactar, criando uma campanha chamada “More Women” (ou Mais Mulheres, em português). Ela consiste em um vídeo bem curtinho, que nos mostra a quantidade de homens x mulheres presentes em cargos de poder e alto escalão.

É triste constatar que o número de mulheres ainda é bem baixo, comparado ao número de homens. Porém, precisamos fazer a nossa parte para mostrar ao mundo a quantidade de mulheres poderosas que temos por esse mundo afora!

Lembrando que a dica de pauta é da nossa leitora Maiara De Almeida Ellwanger.

Os graffitis empoderados de Panmela Castro

Panmela Castro é uma artista e ativista feminista carioca, que utiliza da sua arte para comunicar questões ligadas ao feminismo pelo mundo. Com apenas 32 anos, ela possui um trabalho que busca provocar e polemizar as relações do corpo feminino, sexualidade da mulher, subjetividades, entre outros diversos assuntos. Ela é formada em Pintura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e, é Mestre em Artes pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) na linha de processos artísticos contemporâneos.

No graffiti em especial, Panmela dá um show! Atuando como professora há mais de 14 anos, ela ministra workshops e palestras de graffiti e igualdade de gênero para a Secretaria de Segurança Pública, Petrobrás e Academia Brasileira de Letras. Ela também é idealizadora, fundadora e presidente da Rede NAMI, uma organização de gênero que usa as artes urbanas para promover os direitos das mulheres. Bora conferir o que ela tem feito por aí?

Edmonton, USA
Madison, USA
Miami, USA
Paris, França
Rio de Janeiro, Brasil
Santiago, Chile
Jerusalém, Israel
Cochabamba, Bolivia
São Paulo, Brasil
Linãres, Espanha

Que tal conhecer os outros trabalhos da Panmela e seguí-la nas redes sociais? ?

Site/Portfólio | Facebook | Instagram | Intagram Portfólio | Rede NAMI

P.s: todas as informações e imagens foram retiradas diretamente do site e das redes sociais da artista.

O Clube do Bordado

Quem acha que bordar é passatempo de vó, está muito enganado. O bordado, além de ser uma arte, pode ser considerado também uma terapia, que trabalha concentração e paciência, e também um modo de comunicação e expressão. Diversos tipos de pontos e técnicas, nos permitem criar uma infinidade de ideias.

O coletivo Clube do Bordado surgiu em 2013 com a junção de 6 amigas e bordadeiras que resgataram a cultura dos trabalhos manuais e uniram bordado ao empoderamento feminino. As sócias talentosas, além de vender trabalhos autorais e originais como pingentes, camisetas e patches (tudo muito lindo! <3), ensinam bordado livre e outras técnicas em cursos pelo Brasil afora e também através de vídeos online em suas redes sociais.

Conheça mais sobre esse coletivo super especial! Inspire-se, tire aquele bastidor do armário, compre materiais de bordado (que aliás, elas vendem kits fofíssimos pelo site), e coloque a mão na massa! Você pode acessar o site do Clube do Bordado aqui e também o Facebook e Instagram. Tem muitas ideias e sonhos esperando para serem bordados! <3