5 provas de que boas fotografias fazem a diferença na hora de vender o seu produto

A fotografia pode ser um item determinante para quem vende produtos online. Infelizmente, é comum acessarmos sites e redes sociais de determinadas marcas ou empresas e encontrarmos fotos que “deixam a desejar”. Sejam fotos feitas por celular, tremidas ou de má qualidade, se um possível comprador está em dúvida na hora de adquirir um produto, uma foto bem feita provavelmente o convencerá de que o produto vale a pena (e vice versa). Não há dúvidas: uma boa fotografia, vende. Quer saber porque? Abaixo, listamos 5 motivos que comprovarão isso:

  • BOAS FOTOGRAFIAS PASSAM CREDIBILIDADE: Quem faz vendas online, precisa passar confiança ao cliente, pois ele não conhece o produto pessoalmente e não quer ser enganado, comprando algo que não cumpra com as suas expectativas. Uma foto bem feita, que mostre todas as características do produto, ajudarão o seu cliente a acreditar que o seu produto possui qualidade, que é bem feito e que você e sua empresa são sérios.
  • BOAS FOTOGRAFIAS REPRESENTAM CAPRICHO: A foto pode ser simples, mas precisa ser bem feita. Iluminação, enquadramento, cenário…são inúmeros detalhes que ajudam a mostrar para o seu cliente que você se importa. Fotos tortas, tremidas ou mal iluminadas passam a sensação de que foram “feitas de qualquer jeito”.
Annie Spratt
  • BOAS FOTOGRAFIAS REPRESENTAM ESTILO/PERSONALIDADE: Uma foto pode dizer muito sobre o estilo, personalidade e valores da sua empresa. Se as fotos forem feitas no campo, por exemplo, os clientes já perceberão que é uma empresa que se importa com o meio ambiente. Não adianta fazer milhões de fotos em estilos diferentes, pois assim você confundirá a todos e não conseguirá atingir o público ideal.
  • BOAS FOTOGRAFIAS DEMONSTRAM O SEU COMPROMETIMENTO COM A SUA EMPRESA: Uma boa seleção e curadoria, na hora de publicar as suas fotos, mostram cuidado e comprometimento, pois seu cliente verá que você cuida de tudo, até dos mínimos detalhes. Lembra daquilo que falei sobre “fazer de qualquer jeito”?
  • BOAS FOTOGRAFIAS APAIXONAM QUEM AS VÊ: Quem nunca viu uma fotografia de bolo e sentiu vontade de comê-lo? Ou então viu uma foto de praia e sentiu vontade de viajar? Fotografias possuem esse poder!
Jesse Orrico

E você, está precisando de boas fotografias? Seja foto de produtos, fotos corporativas suas ou até mesmo um editorial, nós, do Pagu, agora realizamos esse serviço. Entre em contato com a gente, para saber mais. E deixe o seu site, portfólio e até mesmo as redes sociais, ainda mais bonitos e cativantes.

Como utilizar as redes sociais a favor do seu negócio?

Sim, eu sei. Quando falamos em redes sociais, a primeira coisa que vem à nossa cabeça, é um feed cheio de pessoas tentando mostrar como suas vidas são legais, né? Mas você sabia que essas ferramentas podem ajudar a alavancar as vendas da sua empresa? Atualmente, muitas das grandes empresas têm investido em marketing através do Facebook, Instagram, Twitter e entre outros.

Quer saber como? 

Alguns pequenos detalhes podem transformar as suas contas das redes sociais em grandes canais comunicadores, ao invés de simples páginas. Prepara aí o papel e a caneta, para anotar as diquinhas:

  • CONTEÚDOS RELEVANTES: Sim. As pessoas querem aprender algo. Publicar dicas ou inspirações são muito mais relevantes do que uma simples imagem de “bom dia”.
Kaylah Otto
  • SUAS PUBLICAÇÕES PRECISAM PASSAR ALGUMA MENSAGEM: De preferência, a mesma mensagem que os valores da sua empresa, passam aos consumidores. Passe informações que seu público-alvo ficará interessado em saber.
  • O SEU FEED DEVE SER ORGANIZADO E BONITO: Não basta largar muitas imagens sem sentido, ou sem conexão entre si. Principalmente no Instagram, seu feed precisa gerar impacto visual nas pessoas. Já falamos sobre isso AQUI.
Brooke Lark
  • NÃO FAÇA PROMOÇÕES MIRABOLANTES: Cuide ao criar promoções em suas redes sociais. Elas podem gerar a impressão de que seu produto o serviço não possui o valor que deveria.
  • FAÇA LIVES E STORIES REAIS: As pessoas gostam de ver quem é você, quem é a pessoa responsável pela criação dos produtos que ela utiliza. Apareça! Mostre sua rotina real! Isso gera engajamento.
  • NÃO SE META EM CONFUSÕES: Nas redes sociais, é muito fácil assumirmos opiniões sobre política, religião, comportamento, ou até mesmo futebol. Não exponha suas opiniões tão abertamente, evite as famosas “tretas”.
Anete Lusina
  • EVITE O FAMOSO “SIGO DE VOLTA”: Afinal, você precisa angariar seguidores e curtidas de pessoas que se identificam com o que você faz, que são ou poderão se tornar seus clientes. Não atire para todos os lados, apenas para ter mais curtidas.
  • ESCREVA CORRETAMENTE: Sim, gente. Parece óbvio, mas não é. Você está lidando com clientes, não com amigos íntimos. Por isso, uma boa escrita e um bom comportamento podem fazer a diferença.

E aí, gostou das nossas dicas? Quais delas você já pratica e quais começará a praticar a partir de agora? E se tiver alguma nova dica, não hesite em escrever pra gente aqui nos comentários!

5 Dicas para descobrir sua paixão e fazer dela um negócio

Você já sabe o que realmente gosta de fazer? Qual a sua maior paixão? Já se imaginou trabalhando e ganhando dinheiro com isso?  Pois é, nós já havíamos falado sobre trabalhar com o que se ama neste vídeo aqui. Porém, esse é daqueles assuntos que nunca se esgotam, né? E hoje, temos algumas dicas práticas para compartilhar e ajudar vocês a descobrirem suas vocações profissionais. Let’s Go!

1- OBSERVE SUAS APTIDÕES: O que você tem facilidade em fazer? Escrever? Se comunicar? Desenhar? Quais os sites que você mais acessa? Em quais artistas você se inspira? É importante reservar um tempinho para fazer essa auto análise.

2 – ANALISE O QUE VOCÊ FAZ NAS HORAS VAGAS: Quando estamos relaxados e distraídos, podemos aprender muito a nosso respeito. Observe aquilo que você gosta de fazer nos finais de semana, por exemplo. Você gosta de assistir a filmes? Gosta de conhecer lugares novos? Gosta de frequentar museus? Gosta de passear e fotografar com o celular?

Hannah Busing

3 – FAÇA UM DIÁRIO DE ANOTAÇÕES: Que tal anotar tudo aquilo que você observou sobre si mesmo? Vá registrando durante um mês, por exemplo, tudo aquilo que você gosta de fazer. Faça uma lista do que te dá prazer. A partir dessas simples anotações, pode surgir alguma nova ideia de trabalho e os resultados podem ser surpreendentes!

4 – FAÇA UMA PESQUISA DE MERCADO: Já chegou a alguma conclusão bacana a partir das suas anotações? Agora é hora de decidir se a sua ideia é viável. Pesquise para descobrir se existe público para o que você pretende fazer. Lembre-se de decidir quem serão os seus consumidores e onde eles estão. (Na sua cidade? Na internet? Em outro local?).

Kinga Cichewicz

5 – DECOLA LAB: Se você ainda não sabe como transformar a sua ideia em negócio, ou então ainda não tem a ideia de negócio, esse curso maravilhoso ministrado pela Rafa Cappai, te ajudará com certeza. Nós falamos um pouquinho sobre a empresa que criou o curso aqui, e em breve teremos mais informações para passar para vocês!

Espaçonave

E aí, gostou das dicas e quer aprender ainda mais? O Decola Lab vai te ajudar a criar um negócio completo de acordo com o seu perfil e ainda ensinar sobre economia criativa, identidade, marketing e muuuuitos outros assuntos. Fica ligadinha aqui com a gente, que na próxima semana estaremos divulgando mais informações.

Os 7 maiores desafios das empreendedoras criativas

Se você acompanha o nosso blog, deve ter visto que dias atrás postei um texto falando sobre minha história com o empreendedorismo criativo. Se você não viu, recomendo que leia agora mesmo. 🙂 Ainda empolgada com esse tema, resolvi fazer esse post com os 7 maiores desafios das mulheres que empreendem criativamente. Vem comigo!

1 | MOSTRAR-SE UMA EMPREENDEDORA DE FATO

Seja você homem ou mulher, mostrar-se um empreendedor “de verdade” é uma dificuldade real que empreendedores criativos enfrentam todos os dias, independente do seu gênero. Porém, quando se é mulher, nós sabemos que as coisas ficam bem mais difíceis.

2 | NÃO SE DEIXAR LEVAR PELAS GRANDES EMPRESAS E INDÚSTRIAS

Se você trabalha de maneira artesanal ou em pequena escala, em algum ponto da sua carreira já se deparou (ou deparará) com a concorrência das grandes empresas. Elas produzem em grande escala e, por isso, acabam diminuindo o preço final de determinado produto. Isso faz com que a pequena empreendedora não consiga competir no mercado e precise encontrar alternativas para poder continuar vendendo seu trabalho.

Daniel Von Appen

3 | SER UMA CONCORRENTE HONESTA

Enfrentamos diariamente uma série de escolhas que precisamos fazer. Nem todas as escolhas honestas, são as mais fáceis. Porém, ser honesto consigo, com o seu concorrente e com o seu cliente, deixa a vida mais leve. Afinal, a vida retribui aquilo que damos.

4 | NÃO PERDER O ENCANTO E A ORIGINALIDADE DO TRABALHO

Fazer algo diferente do que os outros estão fazendo, é sempre um desafio. Constantemente, empreendedoras criativas precisam de um tempo de pausa, para conseguirem recarregar sua energia, sua criatividade e poder continuar dando o melhor de si. (Se você está precisando desse momento de pausa agora, sugiro que leia esse post e também esse outro aqui).

Lauren Roberts

5 | TER UMA COMUNICAÇÃO AUTÊNTICA E CRIATIVA

Uma identidade visual que condiga com o seu trabalho, é um ponto importante para qualquer negócio de sucesso. Empreendedoras criativas devem comunicar exatamente aquilo que querem transmitir, por mais difícil que isso seja.

6 | MANTER-SE CONSTANTEMENTE ATUALIZADA

Muito estudo, dedicação e aprendizado também devem fazer parte da vida de uma empreendedora criativa. Afinal, não basta apenas criar. É preciso também entender de finanças, vendas, novas técnicas, etc.

Rawpixel

7 | SER ÚNICA

Talvez um dos desafios mais difíceis. Ter um trabalho diferenciado e único, independente do aspecto, é um desafio gigantesco em um mundo onde a concorrência cresce a cada instante.

É claro, existem inúmeros outros desafios que não citamos por aqui. Afinal, não só o empreendedorismo criativo, como também o empreendedorismo convencional, são cercados por “batalhas” diárias, não é mesmo? Mas que todos nós, que empreendemos, possamos ser respeitados e levados a sério, como merecemos!

Como começar a fotografar? (parte 2)

Na semana passada, publicamos um texto falando um pouquinho sobre a parte técnica para quem quer começar a fotografar (que você pode ler AQUI). Hoje, abordaremos outro ponto super importante para quem quer levar a fotografia como profissão: como me colocar no mercado, ficar conhecido e ter clientes.

Sabemos que todo início é difícil. Gerar confiança em pessoas que você ainda não conhece, sobre trabalhos que elas ainda não conhecem, é complicado. Mas algumas dicas abaixo te ajudarão a conhecer mais pessoas. Afinal, não há marketing melhor do que o bom e velho boca a boca.

Alexa Suter

Você já praticou e fotografou bastante? Gerou muito material para publicar? Criou as redes sociais para divulgar seu trabalho? Então vamos para a segunda parte:

  • FAÇA PARCERIAS: Elas ajudam a gerar credibilidade. Se você gosta de fotografar arquitetura, faça uma parceria com arquitetos da sua cidade. Fotografe alguns projetos para eles, em troca de divulgação. (Assim, os clientes deles conhecerão seu trabalho também!). Se você gosta de fotografar gastronomia, fale com cafeterias e restaurantes da sua cidade. Já pensou as suas fotos estarem no cardápio desses lugares? (com os créditos, claro!). O importante é conhecer novas pessoas e que o maior número de pessoas diferentes conheçam o que você faz.
  • SORTEIOS E PROMOÇÕES: Tem muita gente que é contra sorteios e promoções. Mas eu acredito que são maneiras muito válidas de divulgação, no início de qualquer carreira. Mas lembre-se que as promoções e sorteios precisam ser honestas e com fundamento. Não vale fazer promoções muito absurdas, pois assim você perderá credibilidade e as pessoas ficarão com a impressão de que seu trabalho não possui valor. (Se você quer fotografar casamentos, por exemplo: sorteie um ensaio de casal entre as noivas que comprarem seus vestidos com a loja X).
John Schnobrich
  • AÇÕES DE MARKETING: Essa ideia não é válida somente para quem está começando. Ações de marketing são sempre legais e geram um bom retorno. Basta ser criativo! Vou dar um exemplo pessoal: Há alguns anos, criei o “Espalhando Amor”. Vou em algum parque durante um domingo, com minha Instax, e faço fotos na hora de casais (meu público-alvo) que nem conheço. Presenteio os casais com as fotinhos e um cartão meu. Simples assim. Tenho contato com alguns casais até hoje.
  • EXPOSIÇÃO DE FOTOS: Escolha um local que seu público-alvo frequenta, ou que combine com o seu estilo. Converse com os proprietários do local e crie uma exposição de fotos. É uma opção vantajosa para ambas as partes: você leva seus amigos e conhecidos até o local e as pessoas que já frequentam esse local, conhecerão seu trabalho. Restaurantes e Cafeterias são sempre opções interessantes. 😉
Brooke Lark
  • CARTÕES DE VISITA: Sempre, sempre os tenha junto com você. Na última semana pude passar um orçamento para o motorista do Uber que pedi. Estávamos conversando durante o trajeto e casualmente ele estava à procura de um fotógrafo para registrar sua família. Outra opção é deixar alguns cartões em locais estratégicos. Locais que seu público-alvo frequentam.
  • CONTINUE PRATICANDO: Sim, essa dica é válida para a carreira toda, pois nunca paramos de aprender. Até hoje faço projetos e fotografo alguns casais de graça, quando quero aprender alguma técnica nova. Não há nada de errado nisso! Afinal, um fotógrafo só treina fotografando, né? Se você, assim como eu, fotografa casais, escolha casais fora do seu ciclo de amigos. Assim, os casais divulgarão o resultado dos ensaios em suas próprias redes sociais, os amigos deles verão e assim por diante. O importante é que o maior número de pessoas veja o seu trabalho.

E aí, gostou das dicas? Bora colocar em prática? E não deixe de nos escrever, contando quais delas você aplicou, como foram os resultados, etc! E caso você também tenha alguma outra dica que ficou de fora, conte pra gente. Queremos muito saber!

 

Mulheres e o empreendedorismo

Se você acompanha o nosso blog, já deve ter notado que nós simplesmente adoramos assuntos relacionados a mulheres e empreendedorismo. Como empreendedoras criativas teimosas que somos, nós queremos inspirar cada vez mais, diversas mulheres a irem em busca dos seus sonhos e ideais.

Getty Imagens

Todo mundo sabe que a mulher sofreu, e ainda sofre, diversos tipos de preconceitos ao longo da história. Não faz tanto tempo assim, que a mulher era vista como um ser inferior ao homem, e de propriedade exclusiva dele, seja de seu pai, marido, namorado, amigo, colega, ou quem for. Parece que faz mais tempo, mas, foi somente há menos de cem anos que nós conquistamos o direito ao voto. Sim! Algo tão simples, e que devia ser de direito de todo cidadão, mas, simplesmente não era permitido às mulheres.

Nesse texto aqui, a nossa colaboradora Carol escreveu de maneira brilhante sobre algumas questões do feminismo, e também, sobre a sua história. Através dessa análise é possível perceber como a mulher ainda está no começo da sua independência, seja pessoal ou profissional. O que estou querendo dizer, é que nós enfrentamos problemas diferentes dos homens em relação a nossa independência, e que isso acaba se estendendo também ao empreendedorismo como um todo.

Alexis Brown

Segundo matéria da revista Exame de Dezembro de 2017, no ano de 2016, cerca de 51,5% dos empreendimentos foram iniciados por mulheres, em comparação a 48,5% dos homens. No entanto, apesar destes números animadores, quando se trata de dar continuidade a empresa, as mulheres saem perdendo. A auto-estima financeira da mulher, ou seja, a sua segurança em lidar com o dinheiro da empresa, ainda é um caminho a ser trilhado.

O que estou querendo trazer com esse texto, além das diferenças do empreendedorismo entre homens e mulheres, é também mostrar o quanto é importante que nós mulheres continuemos nos unindo e abordando temas como estes, dividindo informações para a construção de um futuro mais igualitário e cheio de oportunidades para todos.

Abaixo, mais detalhes do perfil das mulheres empreendedoras, segundo a matéria:

(Fonte)

É certo que estes números tendem a crescer cada vez mais, ainda mais se trabalharmos juntas. Tem alguma empreendedora incrível que você conhece? Compartilha esse texto com ela, e não esquece de marcar aquelas mulheres que você deseja inspirar também. Aproveita e participa do nosso grupo de mulheres criativas no Facebook, clique aqui. Por lá a gente compartilha muita informação, e materiais bacanas sobre empreendedorismo e empreendedorismo criativo. Seguimos juntas! 🙂

6 Ideias para um ambiente mais criativo

Seja em casa ou no trabalho (ou nos dois caso você trabalhe em home office), ter um ambiente que estimule a criatividade é fundamental, ainda mais se você possui uma profissão criativa. Se você anda enjoada, e gostaria de dar aquele UP em algum ambiente, nós separamos aqui nesse post 5 ideias para que você tenha um ambiente mais criativo, e que podem ser aplicadas em qualquer. Dá só uma espiada!

1 | MENOS É MAIS

Eu adoro essa expressão: “menos é mais”. E muitas vezes, quando queremos criar um ambiente criativo, essa é uma ótima ideia. Afinal, estar em um ambiente minimalista e organizado, pode ser ideal para muitas pessoas colocarem as ideias em ordem e criarem mais. Evite a tentação de colocar muitos itens de decoração em um mesmo espaço. Muitas vezes algumas almofadas coloridas, uma luminária clean, e uma mesinha de centro, já são suficientes para você se sentir confortável e ao mesmo tempo, incentivada a criar. Evite a tentação de exagerar.

2 | INVISTA EM OBJETOS DIFERENTES E CRIATIVOS 

Essa é uma das dicas que eu mais adoro. Pequenos detalhes podem fazer a diferença na hora de proporcionar um ambiente mais atrativo. Invista em objetos ou móveis que sejam criativos e que expressem o que você faz, ou alguma ideia sua. No Youtube, você pode encontrar diversos tutoriais que lhe ensinam a produzir algo bacana sem gastar muito. Vale muito a pena investir.

3 | CUIDE DA ENERGIA DO AMBIENTE

Este item pode parecer besteira para algumas pessoas. No entanto, para quem acredita, a energia do ambiente pode interferir, e muito, na forma como criamos. Se você achar interessante, tenha um cantinho da meditação ou oração no seu ambiente. Alguns itens podem compor esse cenário, como: pedras (muito boas para “sugar” energias ruins), incensos diversos, imagens e/ou figuras de pessoas importantes como Buda, Jesus, ou outro santo que você acredite. Plantas diversas, e por aí vai. Independente da sua religião, essa pode ser uma boa pedida para criar um ambiente mais harmonioso de uma forma geral, e assim aflorar mais as ideias.

4 | TENHA UM QUADRO DE IDEIAS

Extremamente necessário para todos os criativos(as) de plantão. Pode ser no quarto, na sala, ou até mesmo na cozinha (sim, porque não?),  um quadro de ideias vai fazer com que você expresse melhor o que está se passando na sua cabeça. Sabe aquele momento em que você está comendo um simples sanduíche e tem aquela ideia? Então, você poderá usar o quadro para anotá-la. Também é bacana usá-lo para escrever frases motivacionais, caso você sinta necessidade.

5 | PLANTAS SÃO UMA BOA PEDIDA

Eu não sei você, mas eu amo um espaço com muito verde. Ainda mais pra quem vive em grandes cidades, sabemos como é difícil estar perto da natureza muitas vezes. E se você é como eu e sente falta disso, você pode compensar esse sentimento espalhando plantas pelos ambientes. Só não vai fazer como eu e esquecer de regá-las depois. Lembre-se que cada planta tem suas peculiaridades e é importante pesquisar antes de comprar, para saber exatamente que cuidados são necessários com cada uma.

6 | RENOVE SEMPRE

E por fim, mas não menos importante: não tenha medo de renovar. Nossas ideias, assim como os ambientes que frequentamos, precisam de um respiro de vez em quando. Mude, apenas. Troque a mesa de lugar, pendure novos quadros na parede, troque a luminária, invista em um novo objeto que fará seus olhos brilharem sempre que olhar para ele. Mas lembre-se: todas estas ideias são apenas AUXILIARES na hora da sua criação. A sua principal motivação deve sempre vir de dentro para fora, e partir inicialmente de VOCÊ MESMA. Mude, troque, compre novos itens, mas não esqueça que nada disso vai lhe ajudar a criar mais se você não estiver bem consigo mesma. 😉

E aí, gostou das ideias? Tem alguma outra que você gostaria de acrescentar? Escreve pra gente aí nos comentários, e como de costume, não esquece de compartilhar o texto com aquele seu amigo(a)/colega que também está precisando destas dicas. 🙂

Como comecei a empreender criativamente

Semana passada fizemos algumas enquetes no nosso stories do Instagram (se você ainda não nos segue, fazfavô de seguir jááá 😀), e uma das perguntas que fizemos tinha a ver com empreendedorismo, mais precisamente, o tal do empreendedorismo criativo. A maioria das pessoas votaram que gostariam de ver mais conteúdos assim, então, pode saber que estamos trabalhando muito para isso. 🙂

Rawpixel

Aproveitando a deixa, gostaria de falar um pouco mais sobre a minha história com o empreendedorismo. Não lembro muito bem quando comecei a me interessar pelo tema. Acredito que tenha sido quando comecei a me decepcionar com várias empresas em que trabalhei. Eu sou daquelas pessoas que foi criada com a famosa equação profissional: estudar + arrumar emprego em uma grande empresa corporativa + trabalhar nesse mesmo local até se aposentar. Vocês sabe do que eu estou falando? Acredito que sim.

A verdade é que a maioria de nós cresce tendo como base esse “estilo profissional”. Crescemos vendo nossos pais dizendo que esse é o caminho certo para uma vida abundante e próspera. O único problema, ao meu ver, é que esse é um modelo de carreira que já não está mais fazendo tanto sentido hoje. Um modelo baseado em uma era com uma enorme herança industrial, sem internet, e com oportunidades profissionais diferentes daquelas que temos hoje.

Matias Rengel

Como comentei no início do post, ao poucos, fui me decepcionando com a maneira com que algumas empresas em que atuei funcionavam. Quanto decidi entrar para a graduação em Artes Visuais em 2012, eu tinha 22 anos e já trabalhava na área. Eu era assistente de fotografia em um estúdio voltado para a área publicitária. Apesar de amar o que fazia, eu sentia que para trabalhar com arte, eu precisava antes de tudo, de liberdade de criação. Por isso, não fazia sentido, trabalhar em um local onde eu tivesse que bater ponto das 8h as 18h, e ainda ganhar advertência caso chegasse 5 minutos atrasada. E acredite, eu fiz isso por muito tempo.

É claro que essa regra não serve para todas as pessoas. Devo deixar claro que não estou condenando o trabalho para grandes empresas. Nesse texto aqui, eu falei sobre trabalhar com que se ama, e sendo assim, como eu defendo o empreendedorismo, mas sempre com consciência e significado. Eu mesma, ainda hoje, não me considero “100% empreendedora”, mas, explicarei isso em outro momento.

Spencer Kaff

Aos poucos, mais precisamente por volta de 2014, comecei a pensar qual seria a melhor forma de combater essa falta de liberdade que eu sentia em relação as empresas. Eu simplesmente não tinha vontade de levantar e trabalhar. Conforme fui tendo mais contato com a arte dentro da universidade, eu também sentia que dificilmente encontraria toda essa “expressividade artística profissional” que eu tanto buscava, em alguma empresa corporativa. Por isso, comecei a buscar formas diferentes de trabalhar, e foi aí que eu me deparei com o empreendedorismo, mais precisamente, com o empreendedorismo criativo.

Empreender começou a fazer sentido porque, além da liberdade de criar que eu poderia ter, eu tinha a possibilidade de ser a minha própria chefe e explanar minhas opiniões e ideias sem ser julgada. Poderia ter liberdade de fazer meu próprio horário, minha rotina, desenvolver os trabalhos que tanto preenchem o meu coração, como por exemplo, esse blog que você está acessando agora. 🙂

Emma Matthews

É claro que nem tudo são flores, e se você já me conhece, sabe que eu sempre procuro trazer os dois lados das coisas. Empreender também exige muita, mas MUITA responsabilidade, e definitivamente não é fácil (principalmente no início, que é a fase que me encontro agora). Mas, isso já é assunto para um próximo post.

E você? Quero sabe: qual é a sua história com o empreendedorismo criativo? Conta pra gente aí nos comentários e não esquece de compartilhar o texto com quem está precisando também.  🙂

Quem é esse tal de MARKETING e pra quê eu preciso dele?

Para quem não sabe, o marketing é utilizado pra determinar quais são os produtos ou serviços que mais irão interessar os consumidores e, também, para definir quais meios serão usados para tais ações. Ele identifica quem é o público-alvo de uma empresa, quais são as necessidades desse público-alvo e também como satisfazê-las.

Se você pensa que o único objetivo do marketing é vender, está enganado. Ele pode servir para muitas outras finalidades, entre elas a fidelização dos clientes, maior visibilidade da marca, entre outros. Para cada finalidade, há uma categoria diferenciada: marketing digital, marketing direto, marketing de experiência, endomarketing e entre tantos outros…

Rawpixel

Para ter um bom marketing, a empresa precisa ter um bom posicionamento (que significa, ser lembrada logo de cara pelo cliente). Para isso, precisa também saber exatamente quem é o seu público (sexo, faixa etária, renda, escolaridade, etc). Precisa saber também, o que seu público deseja comprar. (você não irá vender um cortador de gramas para alguém que mora em apartamento, né?) e assim por diante. Ah, e lembre-se: marketing não é sinônimo de publicidade. A publicidade FAZ PARTE do marketing. Ele significa conteúdo, passar informações ao cliente, sobre o que ele realmente quer saber.

Por que investir em marketing?

Ele pode ser um dos grandes responsáveis pelo sucesso de uma empresa. Com ele, você pode se tornar referência no mercado, pode aprender melhor a segmentar seu público alvo e seus serviços ou produtos chegarão de forma correta até quem precisa deles. Claro, tudo depende de seu orçamento e planejamento. Algumas opções de marketing que são fáceis e viáveis, são:

  • Anúncios em locais criativos/frequentados por seu público-alvo
  • Uma fachada atrativa, para melhorar a visibilidade do escritório/loja/empresa
  • Parcerias com empresas de segmentos semelhantes ao seu
  • Colocar cartões de visita em pontos estratégicos
  • Criar um blog e publicar frequentemente, com conteúdos relacionados ao que você faz
  • Patrocinar um anúncio nas redes sociais
Rawpixel

O céu é o limite! Existem milhares de possibilidades e ideias de marketing, para diversas finalidades também. Basta estudar a melhor e colocar em prática! O que você faz pelo marketing da sua empresa? Conta pra gente aqui nos comentários!

Vídeo #8: Como melhorar minha empresa? (Mudar é necessário!)

Se você é uma empreendedora criativa, já deve ter percebido que um dos principais desafios em nossa carreira é a tão evitada e temida MUDANÇA. Mudar faz parte da vida e do ser humano, e ela vai acontecer você querendo ou não. Apesar da dificuldade em aceitarmos isso, você já parou para pensar como ela na verdade pode lhe ajudar a melhorar a sua empresa? Nesse vídeo, a gente faz um resumo bem bacana de como mudar pode ser na verdade uma oportunidade de melhorar mais e mais. Confere aí embaixo e por favor, não esquece de se inscrever no canal hein! 😀

O que significa SUCESSO para você?

SUCESSO é uma palavra muito vaga. Pode ter inúmeros significados e definições. Para alguns, pode significar ter uma casa dos sonhos e um carro de última geração. Para outros, pode ser conquistar o cargo mais alto dentro da empresa em que trabalha. Há ainda os que consideram o sucesso como sinônimo de dinheiro. Como disse, cada um de nós pode mensurar e definir “sucesso” da maneira que preferir.

Sharon McCutcheon

VIDA SIMPLES

Esse texto não é uma crítica, muito menos um julgamento. Mas, você já parou pra pensar que o sucesso pode ser muito mais simples do que tudo isso? Pode ser, por exemplo, acordar todos os dias motivado e satisfeito com a sua profissão. Pode ser também, comemorar cada cliente que assina o contrato com você. Sucesso também pode ser o equilíbrio entre trabalho e saúde. (Porque de nada adianta ter muita grana, mas ter que gastar boa parte com remédios, né?! E infelizmente nesse mundo frenético, são poucas as pessoas que conseguem manter esse equilíbrio…)

Brooke Cagle

Talvez seja o momento para parar de perseguir o sucesso como se ele fosse um pote de ouro e perceber que  você já tem sucesso em sua vida profissional. Pode ser que seja um sucesso mais modesto, não tão ambicioso… mas que pode ser igualmente gratificante e motivador.

CONTE PRA GENTE

Analise o momento que você está vivendo e conte pra gente nos comentários: O que significa sucesso para você? Você já o conquistou? Ainda falta muito? Queremos saber!

Sobre trabalhar com o que se ama | Parte 2

Na primeira parte deste post (se você ainda não viu, clique aqui agora mesmo :P), fiz uma reflexão sobre trabalhar com o que se ama. No texto eu falei que essa nem sempre é uma tarefa fácil, e que é preciso se conhecer e se questionar sempre para saber que caminho tomar. Se você chegou a conclusão que é feliz trabalhando em uma emprego das 8h as 18h, batendo ponto todos os dias, nós não estamos aqui para julgar você. Como sempre dizemos: nós acreditamos no trabalho com amor sim, mas sempre com consciência e significado.

Mas então, digamos que você realmente queira trabalhar com o que ama. Que você tem um hobby ou gosta muito de uma área/serviço específico e gostaria muito de ganhar dinheiro com ela, porém, não tem a mínima ideia por onde começar. Primeiramente: muita calma nessa hora. Vamos por partes!

Por que trabalhar com o que se ama é difícil?

Primeiramente, como vocês já devem imaginar, trabalhar com o que mais gosta exige organização, empenho e força de vontade constantes, assim como qualquer emprego no mundo. Muitas pessoas têm a ilusão de que quando trabalharem com aquilo que mais amam, a vida delas irá mudar completamente. Lamento informar, mas isso é a mais pura mentira. Tudo o que envolve ganhar dinheiro exige foco e determinação. Infelizmente, vivemos em uma sociedade que valoriza mais o ter do que o ser, e justamente por conta disso ficamos tão perdidas nessas situações.

Pense comigo: você sai da escola (ensino médio), e então com 18 anos já é forçado a escolher uma profissão que deverá seguir para o resto da vida (argggh! Só de pensar nisso me arrepio). Além disso, você precisa provar para o mundo inteiro o quanto se tornou uma pessoa boa naquilo que faz. Qualidades como criatividade, flexibilidade, bom senso, infelizmente não são muito valorizadas. Ao contrário de palavras como especialização, foco, resultados e metas. Por isso, use sua consciência com sabedoria na hora de escolher um caminho.

Mas olha, não se engane, trabalhar com o que se ama é verdadeiramente uma DÁDIVA. É quase como droga, que num primeiro momento te deixa fora do ar, mas que depois te joga pro mundo real de novo e com toda a força. Ok, talvez esse não tenha sido o melhor exemplo, hahaha. Mas, ao meu ver, toda a canseira (que todo trabalho tem) não fica tão pesada quando seus olhos se enchem de brilho pelas atividades que você mais adora. Quando você vê o seu produto/serviço tomando forma, e claro, tendo retorno financeiro também, é como um momento de alinhamento com o que você é e o que você mais deseja, e eu acho tudo isso particularmente especial. 🙂

Por onde devo começar?

A seguir, destaco alguns itens que considero importantes na hora de trabalhar com o que mais se ama. Se você acompanha o nosso canal no Youtube, tem um vídeo lá que já falamos um pouco sobre isso, clique aqui para ver. Mesmo assim, acho que falar sobre isso nunca é demais não é? Então, segura na minha mão e vem!

DICA 1 | TENHA CERTEZA DAQUILO QUE VOCÊ QUER

Não adianta você querer trabalhar com aquilo que mais ama, se você nem ao menos sabe o que deseja. Por isso, como já disse no texto anterior, autoconhecimento é fundamental para alcançar os seus objetivos. Não só para um carreira profissional, mas também pra vida como um todo. Além disso, nós estamos sempre mudando, e em constante evolução, muitas vezes a pessoa que você era ontem, não é mais a mesma que é hoje. Tenha o autoconhecimento como uma tarefa diária, assim como um exercício físico por exemplo. Pergunte-se: o que alimenta a minha alma? Quais são os meus hobbies? Quais os meus desejos? Gostos? O que não gosto? O que eu faço de olhos fechados? Esteja preparada para responder perguntas como: como você se vê daqui a 10 anos? Lembre-se sempre: pra quem não sabe pra onde vai, qualquer caminho serve. E você não quer ir para qualquer caminho não é mesmo? Pense nisso!

DICA 2 | PLANEJAMENTO, PLANEJAMENTO E PLANEJAMENTO

Pois é, de nada adianta você saber o que mais ama, se na hora do “vamo vê” você fica parada igual uma estátua, sem ação nenhuma, e muitas vezes reclamando da vida. Não seja uma pessoa assim. Coloque-se em ação! Você decidiu que ama muito artesanato e gostaria de trabalhar com isso? Faça um plano de ação. Pesquise na internet, veja Youtube, leia revistas e jornais. Falar que você não fez nada porque não tinha conhecimento suficiente, é praticamente uma obscenidade nos dias de hoje, com tanta informação ao nosso dispor. Pense: qual é o meu próximo passo? O que eu posso fazer HOJE para chegar um pouco mais perto do meu sonho? E FAÇA!

DICA 3 | TRABALHE CONSTANTEMENTE PARA QUE O SEU SONHO SE TORNE REALIDADE 

Talvez eu seja um pouco repetitiva nesse texto, mas eu não vejo outra solução a não ser bater na mesma tecla e escrever: não é fácil, portanto, trabalhe constantemente! Muitas pessoas têm a ilusão de quando trabalharem com aquilo que mais amam, a vida delas será linda, cheia de unicórnios e purpurinas. Se você for uma decoradora de festas, acho até que isso possa se tornar verdade uma vez ou outra, do contrário, sua rotina será tão extensa e cansativa como qualquer outro trabalho. A única diferença, como já falei antes, é que em alguns momentos o seu cansaço será preenchido com a sua alegria de trabalhar com algo que adora tanto. Mas, não pense que por isso o seu corpo também não sentirá os efeitos. Então, não pare nunca. Trabalhe constantemente para colher os frutos mais tarde.

DICA 4 | ESTEJA PREPARADA PARA TRABALHAR DE GRAÇA AS VEZES 

Essa pode ser a dica mais chata de todas, mas é necessária. Quando decidimos trabalhar com o que amamos, principalmente se você resolver se tornar empreendedora, é preciso que você esteja aberta a conquistar alguns de seus clientes trabalhando de graça. Mas calma, não to dizendo que isso é uma regra. Ninguém é obrigado a nada. No entanto, é bem comum isso acontecer, então, o melhor remédio para isso com certeza é o planejamento (dica 2). Busque ter uma reserva financeira guardada, mesmo que pouca, até você conquistar seus clientes de vez, essa atitude poderá lhe evitar muitas dores de cabeça no futuro.

DICA 5 | DÊ O SEU MELHOR APESAR DE TUDO 

E por fim, é claro que essa dica não poderia ser outra. Apesar de todas as dificuldade pelo caminho, dê o seu melhor sempre! Eu diria que trabalhar com o que se ama é ser alguém muito teimoso, mesmo apesar das dificuldades. Por isso, mais uma vez, tenha certeza do que você quer, e corra atrás disso para que se torne realidade. Agende um compromisso com você mesma e cumpra, mesmo que todos ao seu redor lhe digam o contrário. ❣

E aí, gostou das dicas? 😀 Quer que a gente fale mais sobre isso ou sobre empreendedorismo? Deixe aí nos comentários a sua opinião, e não esquece de compartilhar o texto com suas amigas(os). 😉

Como melhorar minha empresa?

Existem pessoas que amam mudar e não suportam a mesmice. (Prazer, eu). Acredito que nós estamos em constante evolução e que precisamos nos adaptar a essas mudanças. Afinal, não somos árvores para criar raízes, né? Acredito também, que as empresas precisam dessa adaptação, porque o mercado muda a cada ano, a visão e missão da empresa também vão mudando, e até mesmo os objetivos sofrem certa metamorfose.

Stil – Unsplash

A minha empresa passou por muitas mudanças nesse último ano. Aproveitei 2017 para me recolher, analisar, reconhecer os meus objetivos, missão, valores. Me descobri como pessoa, como profissional e cheguei a uma conclusão: eu definitivamente não sou a mesma pessoa/fotógrafa de 6 anos atrás, quando iniciei minha carreira.

Se você não está satisfeito com os resultados da sua empresa, ou sente que ela não está mais representando quem você é, talvez seja hora de mudar também. Abaixo, algumas dicas para você perder o medo e se jogar nas mudanças!

  • NOME DA EMPRESA: Uma coisa que aprendi ao longo dos anos: ter uma empresa com seu nome próprio, é uma droga. Você acaba enjoando do seu nome. Sem falar que as pessoas confundem as suas redes sociais pessoais e profissionais O TEMPO TODO. Agora, minha empresa se chama L’essenza Foto (que significa “A Essência”, em italiano). Um nome simples, que diz muito sobre o meu trabalho.
  • OBJETIVO DA EMPRESA: Há seis anos, quando iniciei na fotografia, meu objetivo era ter muitos, muitos, muitos ensaios e eventos para fotografar. Eu queria fotografar 24 horas por dia, 7 dias por semana. Meu objetivo era ter muito reconhecimento (e dinheiro). Agora eu sei que nem todos os clientes possuem um estilo e gosto parecidos com os meus. Meu objetivo atual, é atrair clientes que se identifiquem com a minha maneira de fotografar. (Se identifiquem com fotos criativas, lifestyle e verdadeiras).
  • VALORES: Os valores da empresa também mudaram. Agora, priorizo histórias verdadeiras. Quero fotografar as pessoas da maneira que são realmente. Eu quero ser “eu mesma” com os clientes. Menos fotos posadas e mais carinhos de verdade. Yeah!

    Avrielle Suleiman – Unsplash
  • PREÇOS: Sim, sei que por “valores” você também logo deve ter pensado nos preços. Eles mudaram, também. Claro! Além dos reajustes anuais, (que todas as empresas fazem no início de cada ano), criei também mais opções para os meus clientes. Quero agradar e poder registrar a história daquele que tem pouco dinheiro para investir e também daquele que “dinheiro não é problema”. Não escolho clientes pela classe social, e sim, pela personalidade.
  • REDES SOCIAIS: Agora, as redes sociais possuem uma curadoria melhor. Cuido de cada foto que publico. Todas precisam ter a mesma tonalidade, edição. Escolho 3 fotos semelhantes de cada trabalho, para criar um trio harmonioso no Instagram. Publicar com regularidade também é importante! Não dá pra sair publicando tudo que achar legal, viu? Vale também lembrar de publicar Stories, para que os clientes vejam o que você faz durante o dia, do que você gosta, como você é como pessoa.

    Priscilla du Preez – Unsplash
  • SITE: Às vezes, o site também precisa de uma repaginada. Um site moderno, simples e clean pode ajudar a dar uma nova cara à empresa. Lembre-se: Seu site diz muito sobre o seu trabalho! Vale a pena investir nesse detalhe 😉
  • ESCRITÓRIO: Precisamos trabalhar em algum local que nos traga boas energias. Alguns detalhes que podem dar uma cara nova ao seu espaço de trabalho: Uma pintura nova nas paredes, objetos de decoração que você gosta, e claro, muita organização! Manter o espaço de trabalho arrumadinho ajuda na criatividade e no ânimo. Nada de papelada desnecessária em cima da mesa, tá?

Claro, esses são apenas alguns detalhes que precisam mudar. Não citei aqui o registro da MEI e outras mudanças burocráticas que também são necessárias. Mas, quer uma dica bem sincera? Se você não está contente, MUDE! Arrisque, não tenha medo. Você terá mais gás e inspiração para chegar onde deseja. Ah, e se você quer ler mais sobre mudanças, clique aqui.

Colab Criativa

Informação e inspiração nunca são demais. É sempre bom conhecer novos trabalhos, histórias e pensamentos. Descobrir opiniões novas e aprender sobre algo que não dominamos tanto quanto gostaríamos. Ainda mais quando nos referimos ao empreendedorismo: é preciso pesquisar e inovar a cada segundo.

Se você, assim como a gente, adora saber mais sobre empreendedorismo e criatividade, não pode deixar de conhecer a Colab Criativa. Um blog recheado de dicas, histórias e inspirações. Tudo sobre esse mundo tão vasto que é o empreendedorismo criativo.

O projeto surgiu em 2016, e foi criado pela Patiara Kucaniz, uma mulher que adora novos conhecimentos e gosta de explorar a vida ao máximo. Em 2017, ela se uniu à Ana Loqueta, que é administradora, empreendedora e  acredita muito no autoconhecimento. Juntas, deixam o blog ainda mais completo e tratam de assuntos como liderança, desenvolvimento humano, histórias inspiradoras de empreendedores e ainda divulgam eventos super interessantes para os criativos de plantão.

Pexels Photo

Não deixe de dar uma passada nesse blog sensacional e conhecer o trabalho incrível, feito por essas duas mulheres mega inspiradoras. Acesse também as redes sociais do projeto, abaixo. Tem muita coisa bacana por lá! 🙂

SITE | FACEBOOK | INSTAGRAM  ▪

Sobre trabalhar com o que se ama | Parte 1

Quem nos acompanha aqui pelo blog, sabe que estamos sempre falando sobre trabalhar com o que se ama. Adoramos dar dicas para quem deseja chegar “lá”. Porém, sabemos que esse “lá” nem sempre é tarefa fácil. Ao menos que você tenha “nascido em berço de ouro”, essa é uma condição que necessita planejamento e empenho constantes.

Se você chegou até esse texto, é provável que você esteja infeliz no seu atual trabalho, ou então, em dúvida sobre que caminho tomar.  Atualmente, cerca 72% das pessoas estão insatisfeitas com os seus trabalhos. É muita gente deprimida nesse mundo, não é? 

Sou realmente infeliz no meu trabalho?

Sentimentos como a tristeza são muito comuns e nós realmente sabemos quando estamos sentindo. Não tem como estar “meio triste”, ou você está triste ou não está. Vejo diariamente milhares de pessoas reclamando dos seus empregos, porém, vejo poucas pessoas realmente fazendo alguma coisa para mudar esse cenário.

Se você trabalha em uma empresa e não está satisfeita com a sua atual situação, seja por qual motivo for, pergunte-se: eu realmente estou infeliz aqui? Qual o motivo? É algo que está ao meu alcance melhorar, ou não? Existe algo que eu possa fazer agora para que as coisas que não gosto melhorem? Eu realmente não gosto do que faço ou apenas não gosto do ambiente? Pense, reflita, busque estas respostas dentro de você.

Vivemos tempos em que o conhecimento está apenas a um clique de nós. A internet chegou para mudar completamente o nosso modo de viver e de trabalhar. Se antes, era muito mais difícil para um artista vender a sua arte, hoje com a internet, tudo ficou muito mais simples e prático. Porém, essa facilidade pode ter dois lados.

De um lado, temos milhares de novas ofertas, pessoas que se descobriram empreendedoras, abrindo diversas lojas, criando novas concepções, novas artes, pensamentos, novas formas de viver e trabalhar. Porém, do outro lado, temos também uma concorrência muito maior e consequentemente, alguns trabalhos de pouca qualidade. E é diante desse problema que surgem os famosos coaches e gurus que vendem “fórmulas mágicas e milagrosas”, sobre felicidade no trabalho e estilo de vida perfeitos. Além de muitas vezes estarem totalmente equivocados sobre o assunto, é importante lembrar que nem sempre o que deu certo para uma pessoa, poderá dar certo para você também. 

O intuito desse post não é fazer você desanimar, caso esteja buscando um trabalho com mais amor. Mas sim, fazer com que você reflita sobre os seus reais valores e propósitos. Não tem problema nenhum você ser uma pessoa que trabalha em um escritório das 8h as 18h e bate ponto todos os dias, se isso realmente lhe completa. Quando estamos falando de trabalho, nem sempre é somente a felicidade que importa. Não tem problema nenhum trabalhar em uma grande empresa corporativa. É possível crescer pessoalmente e profissionalmente, trabalhando tanto para si mesmo quanto para os outros.

“Invista em autoconhecimento e descubra o que realmente lhe faz completa.” 

Essa é a minha super dica para quem realmente ainda está em dúvida, se deve continuar investindo no trabalho que tem, ou se deve ir em busca de algo que preenche mais o seu coração. A verdade é que a maioria das pessoas não se conhece, e por isso fica andando em círculos quando o assunto é amor no trabalho. O que quero é lhe fazer pensar, pois trabalhar com o que se ama pode ser MUITO bom sim! Mas, pode ser também um beco sem saída quando você tem uma família grande para sustentar, milhares de contas pra pagar e vários outros percalços (principalmente financeiros) pelo caminho. Nós defendemos o trabalho com amor sim, mas sempre com consciência e significado. 

Caso realmente encontre respostas negativas depois de se analisar e se conhecer melhor, então está realmente pode estar na hora de você mudar. Esse pode ser o momento de buscar novos ares, e quem sabe iniciar uma jornada em um busca de um novo trabalho com mais propósito e significado. Aquela rotina diária que você vai amar, e que apesar do cansaço e dos dias dias difíceis, vai saber como contornar cada situação e tirar o seu melhor dela.

Na parte 2 desse post, eu vou falar sobre os passos que você pode tomar, caso realmente queira trabalhar com aquilo que mais ama. Até lá! 😉

O que a sua empresa faz, que nenhuma outra faz?

Já sei: A sua empresa é a que entrega produtos com a melhor qualidade, né? Mas sabia que seu concorrente fala exatamente a mesma coisa?

Pois é, falar que a sua empresa é a melhor, que seu produto tem qualidade, que você vende os melhores produtos, não é garantia de nada. Qualquer um pode falar isso. Logo, infelizmente, a sua empresa não está fazendo NADA de diferente que as outras não possam fazer.

Soragrit Wongsa

Se você quer ter um diferencial digno de competitividade nesse mercado, comece a pensar: O que a sua empresa faz, que nenhuma outra faz? Se a resposta for “nada”, chegou a hora de repensar. Abaixo, listamos algumas dicas/sugestões que podem te ajudar a usar a criatividade:

  • ATENDIMENTO: O seu atendimento não pode ser bom, tem que ser ÓTIMO. Atendimento ruim, faz as pessoas fugirem. Eu, por exemplo, se sou mal atendida em algum lugar, vou embora e nunca mais volto. O que você pode fazer de diferente no primeiro contato com o cliente, que o encantará? Que tal ao invés de falar que o seu produto tem qualidade, você mostrar isso ao seu cliente? Mostre fotos/vídeos sobre como o seu produto é fabricado. Por exemplo, se você trabalha com peças de roupas tingidas a mão, com elementos naturais, por que você não mostra vídeos para o seu cliente? Ou melhor, porque você não leva o seu cliente para um tour em seu atelier, para que ele possa entender (ou até participar) do processo de fabricação de alguma peça?
Annie Spratt
  • REDES SOCIAIS: Os websites estão ficando pra trás. Hoje em dia, o cliente analisa direto o Facebook e Instagram da empresa, antes de levar uma compra adiante. É indispensável que as redes sociais da sua empresa sejam atualizadas quase que diariamente. E sabe o que os clientes querem? CONTEÚDO. Eles querem aprender, ver como é, como funciona. Não apenas imagens bonitas que não dizem nada. Use o Stories do Instagram para publicar vídeos e fotos reais sobre a fabricação dos seus produtos. Mostre que você é “gente como a gente” e que seus produtos/serviços são feitos por pessoas reais!
  • ENTREGA: Que tal agradar o cliente com um brinde? Mas por favor, esqueça canetas e chaveiros! É hora de pensar fora da caixa e ser diferente. Voltando agora para a hipotética empresa que faz roupas tingidas a mão com elementos naturais: nada a ver presentear o cliente com uma caneta, né? Mas, presentear o cliente com um lápis de madeira de reflorestamento, que tenha na parte de baixo sementes de alguma árvore e, se o cliente fincar o lápis na terra, irá nascer uma plantinha? Muito melhor né? (E aposto que o concorrente não faz isso!) Já imaginou também como a empresa define seu diferencial? “A cada venda, nós ajudamos a deixar o planeta mais verde. Presenteamos nossos clientes com sementes de Ipê Roxo, pois queremos deixar um mundo melhor para as próximas gerações”. E o concorrente? Ainda presenteando o cliente com aquela caneta que sempre falha e a tinta termina logo.
Tom Ezzatkhah

Seja diferente, original! A sua empresa precisa disso, os clientes precisam disso, o MUNDO precisa disso! Que tal colocar a caixola para funcionar? 🙂 Ah, e conte pra gente: O que a sua empresa faz que nenhuma outra faz? Comente! Queremos saber! 🙂