5 Ferramentas digitais grátis para quem deseja empreender

Empreender hoje em dia é muito diferente do que antigamente. Graças a internet, hoje podemos contar com uma imensidão de ferramentas e plataformas que nos auxiliam a alavancar nossos produtos, serviços e vendas. Por isso, resolvemos compartilhar nesse post, 5 FERRAMENTAS DIGITAIS GRÁTIS que poderão lhe ajudar a ter uma rotina mais organizada, e consequentemente, mais produtiva. 🙂

1| TRELLO 

Um dos nossos principais queridinhos, o Trello é uma ÓTIMA ferramenta de gerenciamento de ideias e organização. Nós do Pagu usamos muito para colocar nossas ideias de posts aqui pro blog, metas, plano de negócios, datas das próximas reuniões, etc. Ele é basicamente organizado por quadros, onde você vai inserindo cards conforme as demandas da sua empresa. Existe também uma versão paga da plataforma, onde você pode usufruir ainda mais dos seus benefícios. Acesse o site aqui e crie uma conta agora mesmo!

2 | GOOGLE DRIVE

O Google Drive é certamente uma das melhores plataformas de armazenamento de arquivos grátis. Para você ter acesso a ele, basta ter uma conta de e-mail do Google. Nele, é possível armazenar até 15 GB grátis que podem ser imagens diversas, planilhas, vídeos, fotos, etc. Nós usamos muito para armazenar nossas propostas de serviços, materiais institucionais da empresa como logo, identidade visual, contratos diversos, entre outros. O legal é que você pode acessá-lo de qualquer computador, em qualquer parte do mundo. Acesse aqui e confira.

3 | CANVA

Essa lindeza é com certeza um grande achado da internet! O Canva é atualmente uma das melhores e mais conhecidas ferramentas de design da internet. Está precisando criar algum tipo de layout para a sua empresa e está sem grana no momento? Precisa de cartão de visita? Cards para as redes sociais? Papel timbrado? Infográficos? O Canva com certeza poderá lhe ajudar. A plataforma disponibiliza DIVERSOS templates prontos, que podem ser modificados de acordo com a sua necessidade. É uma imagem mais legal do que a outra! Acesse aqui e experimente.

4 | EVERNOTE

Bastante semelhante ao Trello, o Evernote também irá lhe auxiliar a organizar suas ideias e colocar suas metas no papel. A grande diferença entre eles é que o Evernote é feito para que você possa escrever mesmo, como se fosse um caderno digital. Nele, fica muito fácil criar listas, check-lists, digitar textos, produzir posts, anotar ideias geniais, e por aí vai. No momento nós não estamos utilizando essa plataforma, mas, recomendamos muito para quem deseja tirar as ideias da cabeça e organizá-las da melhor maneira possível. Veja aqui.

5  GOOGLE AGENDA

Outra grande ferramenta da Google, o Google Agenda já salvou nossa pele diversas vezes. Como o nome próprio nome já diz, trata-se de uma agenda virtual disponibilizada pela Google. Assim como o Google Drive, basta você ter um e-mail do Google para ter acesso a ferramenta. O mais legal, é que você também pode acessá-la de qualquer computador, de qualquer lugar.  Além disso, é possível realizar diversas configurações como separar os compromissos por cores, ativar alarmes, programar pautas, unir mais de uma agenda, etc. Uma maravilha não é? 🙂 Acesse aqui.

E você, tem mais alguma ferramenta para nos indicar? Já utilizou algumas destas ferramentas que mencionamos? O que achou? Deixe a sua opinião aqui nos comentário, e não esquece de compartilhar essas dicas com quem está precisando também. 🙂

Como começar a empreender criativamente? 5 dicas práticas para você começar JÁ!

Você é nova por aqui e ainda não sabe exatamente o que significa “empreendedorismo criativo”? Então aproveite para dar uma lida nesse post AQUI. Agora, se você já sabe o que isso significa, morre de vontade de se tornar uma empreendedora criativa mas não faz ideia por onde começar, seu problema terminou! Abaixo, listamos 5 dicas práticas para você começar hoje mesmo, com aquilo que você possui! 😉

Debby Hudson
  1. VOCÊ POSSUI / FAZ ALGUM TRABALHO CRIATIVO? Dentro desta categoria, estão todos os trabalhos que envolvem a criatividade, sejam manuais ou não. Alguns deles são o artesanato, bordado, fotografia, moda, ilustração, design, pintura, etc… Se você executa algum destes trabalhos ou algum outro que também utiliza a criatividade e deseja levá-lo como profissão, este é o primeiro passo para se tornar uma empreendedora criativa.
  2. NÃO TENHA VERGONHA E MOSTRE SEU TRABALHO! Se você não contar sobre a sua arte para o mundo, ninguém saberá o que você faz. Perca a vergonha e mostre aos amigos e familiares o que você gosta de fazer.
  3. DIVULGUE NAS REDES: Atualmente, o Instagram é um excelente canal de vendas. Além de grátis, você pode publicar fotos dos seus trabalhos, vídeos do seu dia-a-dia e também conversar através de mensagens. Outra opção também é criar uma plataforma online, estilo e-commerce.
  4. FAÇA PARCERIAS: Saiba quem é o seu público alvo e faça parcerias com marcas e locais que seu público frequenta. Algumas ideias de parcerias são promoções em conjuntos, editoriais de moda, desconto nos seus serviços para clientes que frequentam o local “X”, assim por diante. São inúmeras parcerias que podem beneficiar você e seu negócio!
  5. NÃO TENHA MEDO DE ARRISCAR: E a última dica, mas não menos importante que as outras: não tenha medo de arriscar, nem medo de críticas. Nem sempre acertamos, nem sempre todos gostam do que fazemos. Mas, só fazendo (e refazendo, e refazendo…) que chegaremos a algum lugar.

E aí, gostou das dicas? Bora começar a empreender hoje mesmo? Tenho certeza que, assim que você começar, não irá conseguir parar.<3

Como conseguir boas parcerias?

16Semana passada foi o dia do amigo, e claro que não poderíamos deixar essa data passar em branco. Empreender criativamente em uma sociedade que não valoriza a arte e a criatividade, pode ser bastante solitário. Ter amigas e parceiras fiéis nesse momento, com certeza faz toda a diferença. Pra quem não sabe, o Pagu nasceu a partir de uma bela amizade. Antes de nos tornarmos parceiras profissionais, éramos amigas há mais de 10 anos. Durante esse tempo, vivemos diversas experiências, que nos reaproximaram e principalmente, nos ensinaram que através da UNIÃO podemos ser ainda mais.

Foto por Danielle Muller

E você? Já parou para pensar na importância de uma parceria? Você sabe como identificar o momento certo de investir em uma? Como perceber se uma união profissional está sendo realmente favorável, ou não? Então, vem dar uma olhada nas DICAS que separamos para conseguir boas parcerias, chega mais! 🙂

1 | UMA PARCERIA DEVE SER SEMPRE UMA VIA DE MÃO DUPLA

Parece óbvio não é? Mas, muitos pessoas se esquecem desse detalhe ao longo do caminho. Não importa o momento ou as circunstâncias: uma parceria deve ser sempre uma via de mão dupla. É muito semelhante a um casamento, sabe? Se um dos lados não está satisfeito com os resultados, é necessário reaver todas as combinações o mais rápido possível. Parceria é sempre uma troca, não se esqueça disso!

2 | SAIBA SEPARAR O PESSOAL DO PROFISSIONAL

Seja em parcerias com diferentes empresas, ou, através de profissionais da mesma empresa, tenha sempre em mente separar o lado pessoal do profissional. O ambiente de trabalho muitas vezes pode ser bastante competitivo e suscitar diversas divergências, mesmo em pessoas que trabalham juntas. Nesse momento, lembre-se sempre da amizade existente entre você e sua parceira, que possivelmente foi o motivo inicial de vocês se aproximarem. Caso a união profissional acabe, você não vai querer perder a sua amiga(o) também não é? Por isso, aja com cautela e saiba separar as duas coisas.

3 | ESTEJA ATENTO AOS SINAIS

Como saber qual é o melhor momento de iniciar uma parceria? Infelizmente, não existe um manual ou alguma maneira de prever o futuro, para lhe darmos uma resposta 100% precisa. No entanto, existem alguns sinais que podem lhe indicar se este é um bom momento, ou não. Em muitos casos, empresas que estão começando, se reestruturando, ou passando por algum tipo de dificuldade, acabam optando por firmar algumas parcerias. O motivo é muito simples: as parcerias nos dão forças e nos auxiliam a crescer (quando são realmente saudáveis). Portanto, se você está começando agora, ou pensa em mudar a estrutura da sua empresa, este pode ser um bom momento para criar uma fusão.

4 | CUMPRA COM SEUS COMPROMISSOS E OBRIGAÇÕES (E SAIBA CEDER TAMBÉM)

De nada adianta você querer cobrar mil obrigações da sua parceira, se nem mesmo você está cumprindo com os seus compromissos também. Caso você não esteja satisfeito com a sua atual união, antes de conversar sobre isso com ela, faça um bom levantamento de tudo o que você tem feito também, e veja se está realmente cumprindo com a sua parte nos acordos. Entenda quando também é o momento de ceder e ser mais flexível. Nem tudo é 8 ou 80.

5 | MANTENHA SEMPRE O DIÁLOGO ABERTO

E por último, mas não menos importante: converse, converse e converse. Se você é uma pessoa que prefere trabalhar completamente sozinha e não tem paciência para trocar ideias, definitivamente uma parceria não irá lhe acrescentar em nada. Ser um parceiro profissional é acima de tudo, conversar e trocar muitas ideias sempre que for necessário. Seja alguém que mantêm o diálogo aberto e saiba comunicar suas sugestões sempre com jeito e cautela. Você verá que ótimas parcerias irão surgir se você se comunicar de maneira inteligente e amistosa. 🙂

E aí, gostou das nossas dicas? Definitivamente, ter uma parceira profissional é uma das coisas mais gostosas do mundo, mas, é preciso também muita responsabilidade e mente aberta na hora de dialogar. E você? Qual a sua opinião sobre as parcerias profissionais? Tem alguma história pra contar pra gente? Escreve tudo aqui nos comentários, e não esquece de compartilhar o texto com as pessoas que estão precisando dele também. 🙂

As redes sociais e o setor criativo

Com a ascensão da internet em nossas vidas, é nítido o quanto ela nos auxilia e oferece diversas facilidades que até então nem imaginávamos que poderiam existir. Junto a isso, as redes sociais também surgiram para facilitar a nossa rotina, e hoje tornaram-se canais fundamentais para o desenvolvimento de nossas relações.

Neste texto aqui, já havíamos dado algumas dicas gerais de como utilizar as redes sociais a favor do seu negócio. No entanto, falar sobre este assunto pensando exclusivamente no setor da economia criativa, é sempre diferente do que falar para outros setores, como por exemplo, o setor médico, o farmacêutico, gastronômico, de imóveis, e por aí vai. Apesar de várias semelhanças, é justamente essa “diferença criativa” que pode tornar a comunicação com o nosso cliente totalmente única.

Rawpixel

Você sabe quem é o seu cliente?

Saber quem é o seu cliente ideal é um dos primeiros passos para construir um marketing de conteúdo atrativo nas redes sociais. Pra quem não tem ideia do que estamos falando, aqui vai uma definição bem legal:

“Marketing de Conteúdo é uma maneira de engajar com seu público-alvo e crescer sua rede de clientes e potenciais clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e assim gerar mais negócios.” (Fonte)

Ou seja, para que isso aconteça, é necessário que você realmente estude e esteja por dentro do que o seu público e cliente ideal querem, caso contrário, programar postagens simplesmente para ter mais conteúdo na internet, não irá lhe gerar nenhum resultado. E quando falamos em resultados, obviamente estamos falando de vendas também.

Rawpixel

 

Envolva o seu público de modo único!

Falar sobre empreendedorismo criativo é falar sobre um mercado novo em ascensão. Pode não parecer, mas muitos pessoas ainda não sabem o que essas palavras significam. Dizer que o setor criativo vêm crescendo cada vez mais, mostrando alguns resultados em números, certamente pode fazer com que os mais desatualizados entendam melhor o que estamos falando.

Mas então, como envolver o seu público de modo único, e ao mesmo tempo, de maneira muito criativa? Aqui vão algumas dicas que podem lhe ajudar:

  • Lembre-se: você trabalha no setor criativo, ou seja, um espaço que vêm crescendo cada vez mais e que lhe da “passe livre” para re(criar) e re(inventar) o tempo todo. Use e abuse disso!
  • Busque comunicar-se com os seus clientes de forma mais descontraída e menos formal. Hoje em dia, cada vez mais, as pessoas desejam ver quem verdadeiramente está por trás das marcas, e isso vale principalmente para quem trabalha com criatividade.
  • Apesar de trabalhar com criação, isso não significa que não existem algumas regras e padrões que você deve seguir, principalmente quando falamos de redes sociais. Estude, planeje e trabalhe bastante para passar a informação de maneira mais clara e direta possível.
  • E por último: tenha sempre boas referências de empresas do mesmo nicho que o seu. Olhe as redes sociais delas e analise como elas conversam com os clientes. Inspire-se e aproveite para turbinar as suas páginas também.

Todas estas dicas que acabamos de passar são bem gerais e servem de base para o marketing de conteúdo voltado para as áreas criativas. Mesmo assim, a definição do público-alvo de uma empresa é sempre um trabalho bem extenso e bem detalhado. Caso você tenha alguma dificuldade na definição do seu cliente ideal e não sabe por onde começar na produção de para as redes sociais, lembre-se que nós aqui do Pagu podemos lhe ajudar com isso. Entre em contato agora mesmo! 😉

E o Pagu completa 1 ano! (Vídeo #11)

Parece que foi ontem. Sabemos que essa frase é bastante clichê, mas não há outra maneira para expressar exatamente o que sentimos hoje. Há cerca de 1 ano atrás, nos encontrávamos para aquele que seria apenas mais um café despretensioso entre amigas. Sem muitas intenções, iniciamos o Pagu com ideias de inspirar e unir mulheres criativas de diversos lugares.

Inicialmente, com o objetivo de realizar bate-papos com mulheres criativas, aos poucos o projeto foi crescendo, e hoje, só temos a agradecer por todo mundo que já nos ajudou, e também, para aqueles que ainda acreditam nas nossas ideias. Desde Maio do ano passado, a gente vem produzindo textos e vídeos com o intuito de ajudar mulheres que, assim como nós, encontraram na criatividade sua maior fonte de expressão pessoal e profissional.

Para animar ainda mais esse post, nós fizemos um vídeo com uma breve retrospectiva, e agradecemos também várias pessoas que passaram por nós. Esperamos que gostem, e não esqueçam também que esse mês será um período totalmente dedicado ao nosso aniversário. Preparem-se que vai rolar VÍDEO TODA SEMANA, e vários outras surpresas que ainda estamos preparando. 🙂

INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL! 

5 Dicas para descobrir sua paixão e fazer dela um negócio

Você já sabe o que realmente gosta de fazer? Qual a sua maior paixão? Já se imaginou trabalhando e ganhando dinheiro com isso?  Pois é, nós já havíamos falado sobre trabalhar com o que se ama neste vídeo aqui. Porém, esse é daqueles assuntos que nunca se esgotam, né? E hoje, temos algumas dicas práticas para compartilhar e ajudar vocês a descobrirem suas vocações profissionais. Let’s Go!

1- OBSERVE SUAS APTIDÕES: O que você tem facilidade em fazer? Escrever? Se comunicar? Desenhar? Quais os sites que você mais acessa? Em quais artistas você se inspira? É importante reservar um tempinho para fazer essa auto análise.

2 – ANALISE O QUE VOCÊ FAZ NAS HORAS VAGAS: Quando estamos relaxados e distraídos, podemos aprender muito a nosso respeito. Observe aquilo que você gosta de fazer nos finais de semana, por exemplo. Você gosta de assistir a filmes? Gosta de conhecer lugares novos? Gosta de frequentar museus? Gosta de passear e fotografar com o celular?

Hannah Busing

3 – FAÇA UM DIÁRIO DE ANOTAÇÕES: Que tal anotar tudo aquilo que você observou sobre si mesmo? Vá registrando durante um mês, por exemplo, tudo aquilo que você gosta de fazer. Faça uma lista do que te dá prazer. A partir dessas simples anotações, pode surgir alguma nova ideia de trabalho e os resultados podem ser surpreendentes!

4 – FAÇA UMA PESQUISA DE MERCADO: Já chegou a alguma conclusão bacana a partir das suas anotações? Agora é hora de decidir se a sua ideia é viável. Pesquise para descobrir se existe público para o que você pretende fazer. Lembre-se de decidir quem serão os seus consumidores e onde eles estão. (Na sua cidade? Na internet? Em outro local?).

Kinga Cichewicz

5 – DECOLA LAB: Se você ainda não sabe como transformar a sua ideia em negócio, ou então ainda não tem a ideia de negócio, esse curso maravilhoso ministrado pela Rafa Cappai, te ajudará com certeza. Nós falamos um pouquinho sobre a empresa que criou o curso aqui, e em breve teremos mais informações para passar para vocês!

Espaçonave

E aí, gostou das dicas e quer aprender ainda mais? O Decola Lab vai te ajudar a criar um negócio completo de acordo com o seu perfil e ainda ensinar sobre economia criativa, identidade, marketing e muuuuitos outros assuntos. Fica ligadinha aqui com a gente, que na próxima semana estaremos divulgando mais informações.

Como superar o medo de empreender?

Empreender é uma caixinha de surpresas. A gente nunca sabe o que vai precisar enfrentar. E é por esse motivo, que muitas pessoas têm medo de começar a jornada empreendedora. Ok, não é fácil, mas, uma coisa te digo: é libertador! Vender uma ideia, produto ou serviço para alguém, poder fazer tudo do seu jeitinho e a cada dia trilhar um pouquinho mais do seu próprio caminho, é a maior recompensa que alguém pode ter na vida profissional. E se você ainda está com medo de embarcar nessa, vou te dar alguns motivos pra mudar de ideia rapidinho:

  • NÃO EXISTE MOMENTO CERTO PARA COMEÇAR A EMPREENDER: Assim como tudo na vida, não existe um momento perfeito para essa situação. A gente começa a empreender na cara e na coragem mesmo, sem caminho trilhado. Precisamos empreender no momento que estamos e com aquilo que temos.
Andrew Neel
  • ESTUDE MUITO: Se você fizer perfeitamente aquilo que se propõe a fazer (ou seja, aquilo que sua empresa faz), as chances de dar errado são bem pequenas. Todo mundo gosta de um trabalho bem feito. Portanto, estude muito! Estude muito sobre a sua área, tudo que você encontrar pela frente.
  • FAÇA UMA PESQUISA DE MERCADO: Antes de abrir um negócio, você precisa saber se tem compradores para o seu produto ou serviço. Fazer uma pesquisa de mercado, para saber se existem pessoas interessadas no que você faz, é essencial! Não adianta vender pranchas de surf em uma cidade que não tem praia, né? 🙂
  • PLANEJE-SE: Faça um planejamento detalhado de como será o seu negócio. Desde o público alvo, até capital de giro. Outra dica importante é ter uma certa quantia para investir no seu negócio. Se você ainda não tem, comece a guardar aos pouquinhos, para poder usá-la quando imprevistos acontecerem e não ser pego desprevenido.
Bruce Mars
  • DESCREVA SUAS METAS E OBJETIVOS: No seu plano de negócio, descreva detalhadamente as suas metas e objetivos para o próximo ano, daqui cinco e também dez anos. Não pense apenas no AGORA, pense a longo prazo!
  • DIFERENCIE A SUA EMPRESA, DA CONCORRÊNCIA: O que a sua empresa faz, que nenhuma outra faz? Se você tiver uma resposta para essa pergunta, já é um bom caminho andado para o sucesso.
  • PROCURE ACONSELHAMENTO: Não tenha medo nem vergonha de pedir conselhos ou ajuda para alguém mais experiente. Seja para algum conhecido que trabalhe com administração ou até mesmo fazendo algum curso do SEBRAE.
Rawpixel
  • NÃO DÊ O PASSO MAIOR QUE A PERNA: Não tenha pressa de crescer! Respeite o limite do seu negócio. E lembre-se: NUNCA gaste mais do que ganha.
  • ACREDITE EM VOCÊ E NO SEU NEGÓCIO: Mantenha o foco e acredite que você irá conseguir. Empreender possui algumas pedras pelo caminho, porém, é uma caminhada muito gostosa, que vale a pena.

E como saber se você está no caminho certo? Se você sente um frio na barriga e tem aquele brilho no olhar, acredite, você está no caminho certo. O frio na barriga vem da incerteza do que virá pela frente, mas o brilho no olhar, vem da satisfação de fazer o que se está fazendo.

Os 7 maiores desafios das empreendedoras criativas

Se você acompanha o nosso blog, deve ter visto que dias atrás postei um texto falando sobre minha história com o empreendedorismo criativo. Se você não viu, recomendo que leia agora mesmo. 🙂 Ainda empolgada com esse tema, resolvi fazer esse post com os 7 maiores desafios das mulheres que empreendem criativamente. Vem comigo!

1 | MOSTRAR-SE UMA EMPREENDEDORA DE FATO

Seja você homem ou mulher, mostrar-se um empreendedor “de verdade” é uma dificuldade real que empreendedores criativos enfrentam todos os dias, independente do seu gênero. Porém, quando se é mulher, nós sabemos que as coisas ficam bem mais difíceis.

2 | NÃO SE DEIXAR LEVAR PELAS GRANDES EMPRESAS E INDÚSTRIAS

Se você trabalha de maneira artesanal ou em pequena escala, em algum ponto da sua carreira já se deparou (ou deparará) com a concorrência das grandes empresas. Elas produzem em grande escala e, por isso, acabam diminuindo o preço final de determinado produto. Isso faz com que a pequena empreendedora não consiga competir no mercado e precise encontrar alternativas para poder continuar vendendo seu trabalho.

Daniel Von Appen

3 | SER UMA CONCORRENTE HONESTA

Enfrentamos diariamente uma série de escolhas que precisamos fazer. Nem todas as escolhas honestas, são as mais fáceis. Porém, ser honesto consigo, com o seu concorrente e com o seu cliente, deixa a vida mais leve. Afinal, a vida retribui aquilo que damos.

4 | NÃO PERDER O ENCANTO E A ORIGINALIDADE DO TRABALHO

Fazer algo diferente do que os outros estão fazendo, é sempre um desafio. Constantemente, empreendedoras criativas precisam de um tempo de pausa, para conseguirem recarregar sua energia, sua criatividade e poder continuar dando o melhor de si. (Se você está precisando desse momento de pausa agora, sugiro que leia esse post e também esse outro aqui).

Lauren Roberts

5 | TER UMA COMUNICAÇÃO AUTÊNTICA E CRIATIVA

Uma identidade visual que condiga com o seu trabalho, é um ponto importante para qualquer negócio de sucesso. Empreendedoras criativas devem comunicar exatamente aquilo que querem transmitir, por mais difícil que isso seja.

6 | MANTER-SE CONSTANTEMENTE ATUALIZADA

Muito estudo, dedicação e aprendizado também devem fazer parte da vida de uma empreendedora criativa. Afinal, não basta apenas criar. É preciso também entender de finanças, vendas, novas técnicas, etc.

Rawpixel

7 | SER ÚNICA

Talvez um dos desafios mais difíceis. Ter um trabalho diferenciado e único, independente do aspecto, é um desafio gigantesco em um mundo onde a concorrência cresce a cada instante.

É claro, existem inúmeros outros desafios que não citamos por aqui. Afinal, não só o empreendedorismo criativo, como também o empreendedorismo convencional, são cercados por “batalhas” diárias, não é mesmo? Mas que todos nós, que empreendemos, possamos ser respeitados e levados a sério, como merecemos!

Mulheres e o empreendedorismo

Se você acompanha o nosso blog, já deve ter notado que nós simplesmente adoramos assuntos relacionados a mulheres e empreendedorismo. Como empreendedoras criativas teimosas que somos, nós queremos inspirar cada vez mais, diversas mulheres a irem em busca dos seus sonhos e ideais.

Getty Imagens

Todo mundo sabe que a mulher sofreu, e ainda sofre, diversos tipos de preconceitos ao longo da história. Não faz tanto tempo assim, que a mulher era vista como um ser inferior ao homem, e de propriedade exclusiva dele, seja de seu pai, marido, namorado, amigo, colega, ou quem for. Parece que faz mais tempo, mas, foi somente há menos de cem anos que nós conquistamos o direito ao voto. Sim! Algo tão simples, e que devia ser de direito de todo cidadão, mas, simplesmente não era permitido às mulheres.

Nesse texto aqui, a nossa colaboradora Carol escreveu de maneira brilhante sobre algumas questões do feminismo, e também, sobre a sua história. Através dessa análise é possível perceber como a mulher ainda está no começo da sua independência, seja pessoal ou profissional. O que estou querendo dizer, é que nós enfrentamos problemas diferentes dos homens em relação a nossa independência, e que isso acaba se estendendo também ao empreendedorismo como um todo.

Alexis Brown

Segundo matéria da revista Exame de Dezembro de 2017, no ano de 2016, cerca de 51,5% dos empreendimentos foram iniciados por mulheres, em comparação a 48,5% dos homens. No entanto, apesar destes números animadores, quando se trata de dar continuidade a empresa, as mulheres saem perdendo. A auto-estima financeira da mulher, ou seja, a sua segurança em lidar com o dinheiro da empresa, ainda é um caminho a ser trilhado.

O que estou querendo trazer com esse texto, além das diferenças do empreendedorismo entre homens e mulheres, é também mostrar o quanto é importante que nós mulheres continuemos nos unindo e abordando temas como estes, dividindo informações para a construção de um futuro mais igualitário e cheio de oportunidades para todos.

Abaixo, mais detalhes do perfil das mulheres empreendedoras, segundo a matéria:

(Fonte)

É certo que estes números tendem a crescer cada vez mais, ainda mais se trabalharmos juntas. Tem alguma empreendedora incrível que você conhece? Compartilha esse texto com ela, e não esquece de marcar aquelas mulheres que você deseja inspirar também. Aproveita e participa do nosso grupo de mulheres criativas no Facebook, clique aqui. Por lá a gente compartilha muita informação, e materiais bacanas sobre empreendedorismo e empreendedorismo criativo. Seguimos juntas! 🙂

6 Ideias para um ambiente mais criativo

Seja em casa ou no trabalho (ou nos dois caso você trabalhe em home office), ter um ambiente que estimule a criatividade é fundamental, ainda mais se você possui uma profissão criativa. Se você anda enjoada, e gostaria de dar aquele UP em algum ambiente, nós separamos aqui nesse post 5 ideias para que você tenha um ambiente mais criativo, e que podem ser aplicadas em qualquer. Dá só uma espiada!

1 | MENOS É MAIS

Eu adoro essa expressão: “menos é mais”. E muitas vezes, quando queremos criar um ambiente criativo, essa é uma ótima ideia. Afinal, estar em um ambiente minimalista e organizado, pode ser ideal para muitas pessoas colocarem as ideias em ordem e criarem mais. Evite a tentação de colocar muitos itens de decoração em um mesmo espaço. Muitas vezes algumas almofadas coloridas, uma luminária clean, e uma mesinha de centro, já são suficientes para você se sentir confortável e ao mesmo tempo, incentivada a criar. Evite a tentação de exagerar.

2 | INVISTA EM OBJETOS DIFERENTES E CRIATIVOS 

Essa é uma das dicas que eu mais adoro. Pequenos detalhes podem fazer a diferença na hora de proporcionar um ambiente mais atrativo. Invista em objetos ou móveis que sejam criativos e que expressem o que você faz, ou alguma ideia sua. No Youtube, você pode encontrar diversos tutoriais que lhe ensinam a produzir algo bacana sem gastar muito. Vale muito a pena investir.

3 | CUIDE DA ENERGIA DO AMBIENTE

Este item pode parecer besteira para algumas pessoas. No entanto, para quem acredita, a energia do ambiente pode interferir, e muito, na forma como criamos. Se você achar interessante, tenha um cantinho da meditação ou oração no seu ambiente. Alguns itens podem compor esse cenário, como: pedras (muito boas para “sugar” energias ruins), incensos diversos, imagens e/ou figuras de pessoas importantes como Buda, Jesus, ou outro santo que você acredite. Plantas diversas, e por aí vai. Independente da sua religião, essa pode ser uma boa pedida para criar um ambiente mais harmonioso de uma forma geral, e assim aflorar mais as ideias.

4 | TENHA UM QUADRO DE IDEIAS

Extremamente necessário para todos os criativos(as) de plantão. Pode ser no quarto, na sala, ou até mesmo na cozinha (sim, porque não?),  um quadro de ideias vai fazer com que você expresse melhor o que está se passando na sua cabeça. Sabe aquele momento em que você está comendo um simples sanduíche e tem aquela ideia? Então, você poderá usar o quadro para anotá-la. Também é bacana usá-lo para escrever frases motivacionais, caso você sinta necessidade.

5 | PLANTAS SÃO UMA BOA PEDIDA

Eu não sei você, mas eu amo um espaço com muito verde. Ainda mais pra quem vive em grandes cidades, sabemos como é difícil estar perto da natureza muitas vezes. E se você é como eu e sente falta disso, você pode compensar esse sentimento espalhando plantas pelos ambientes. Só não vai fazer como eu e esquecer de regá-las depois. Lembre-se que cada planta tem suas peculiaridades e é importante pesquisar antes de comprar, para saber exatamente que cuidados são necessários com cada uma.

6 | RENOVE SEMPRE

E por fim, mas não menos importante: não tenha medo de renovar. Nossas ideias, assim como os ambientes que frequentamos, precisam de um respiro de vez em quando. Mude, apenas. Troque a mesa de lugar, pendure novos quadros na parede, troque a luminária, invista em um novo objeto que fará seus olhos brilharem sempre que olhar para ele. Mas lembre-se: todas estas ideias são apenas AUXILIARES na hora da sua criação. A sua principal motivação deve sempre vir de dentro para fora, e partir inicialmente de VOCÊ MESMA. Mude, troque, compre novos itens, mas não esqueça que nada disso vai lhe ajudar a criar mais se você não estiver bem consigo mesma. 😉

E aí, gostou das ideias? Tem alguma outra que você gostaria de acrescentar? Escreve pra gente aí nos comentários, e como de costume, não esquece de compartilhar o texto com aquele seu amigo(a)/colega que também está precisando destas dicas. 🙂

Como comecei a empreender criativamente

Semana passada fizemos algumas enquetes no nosso stories do Instagram (se você ainda não nos segue, fazfavô de seguir jááá 😀), e uma das perguntas que fizemos tinha a ver com empreendedorismo, mais precisamente, o tal do empreendedorismo criativo. A maioria das pessoas votaram que gostariam de ver mais conteúdos assim, então, pode saber que estamos trabalhando muito para isso. 🙂

Rawpixel

Aproveitando a deixa, gostaria de falar um pouco mais sobre a minha história com o empreendedorismo. Não lembro muito bem quando comecei a me interessar pelo tema. Acredito que tenha sido quando comecei a me decepcionar com várias empresas em que trabalhei. Eu sou daquelas pessoas que foi criada com a famosa equação profissional: estudar + arrumar emprego em uma grande empresa corporativa + trabalhar nesse mesmo local até se aposentar. Vocês sabe do que eu estou falando? Acredito que sim.

A verdade é que a maioria de nós cresce tendo como base esse “estilo profissional”. Crescemos vendo nossos pais dizendo que esse é o caminho certo para uma vida abundante e próspera. O único problema, ao meu ver, é que esse é um modelo de carreira que já não está mais fazendo tanto sentido hoje. Um modelo baseado em uma era com uma enorme herança industrial, sem internet, e com oportunidades profissionais diferentes daquelas que temos hoje.

Matias Rengel

Como comentei no início do post, ao poucos, fui me decepcionando com a maneira com que algumas empresas em que atuei funcionavam. Quanto decidi entrar para a graduação em Artes Visuais em 2012, eu tinha 22 anos e já trabalhava na área. Eu era assistente de fotografia em um estúdio voltado para a área publicitária. Apesar de amar o que fazia, eu sentia que para trabalhar com arte, eu precisava antes de tudo, de liberdade de criação. Por isso, não fazia sentido, trabalhar em um local onde eu tivesse que bater ponto das 8h as 18h, e ainda ganhar advertência caso chegasse 5 minutos atrasada. E acredite, eu fiz isso por muito tempo.

É claro que essa regra não serve para todas as pessoas. Devo deixar claro que não estou condenando o trabalho para grandes empresas. Nesse texto aqui, eu falei sobre trabalhar com que se ama, e sendo assim, como eu defendo o empreendedorismo, mas sempre com consciência e significado. Eu mesma, ainda hoje, não me considero “100% empreendedora”, mas, explicarei isso em outro momento.

Spencer Kaff

Aos poucos, mais precisamente por volta de 2014, comecei a pensar qual seria a melhor forma de combater essa falta de liberdade que eu sentia em relação as empresas. Eu simplesmente não tinha vontade de levantar e trabalhar. Conforme fui tendo mais contato com a arte dentro da universidade, eu também sentia que dificilmente encontraria toda essa “expressividade artística profissional” que eu tanto buscava, em alguma empresa corporativa. Por isso, comecei a buscar formas diferentes de trabalhar, e foi aí que eu me deparei com o empreendedorismo, mais precisamente, com o empreendedorismo criativo.

Empreender começou a fazer sentido porque, além da liberdade de criar que eu poderia ter, eu tinha a possibilidade de ser a minha própria chefe e explanar minhas opiniões e ideias sem ser julgada. Poderia ter liberdade de fazer meu próprio horário, minha rotina, desenvolver os trabalhos que tanto preenchem o meu coração, como por exemplo, esse blog que você está acessando agora. 🙂

Emma Matthews

É claro que nem tudo são flores, e se você já me conhece, sabe que eu sempre procuro trazer os dois lados das coisas. Empreender também exige muita, mas MUITA responsabilidade, e definitivamente não é fácil (principalmente no início, que é a fase que me encontro agora). Mas, isso já é assunto para um próximo post.

E você? Quero sabe: qual é a sua história com o empreendedorismo criativo? Conta pra gente aí nos comentários e não esquece de compartilhar o texto com quem está precisando também.  🙂

Vídeo #8: Como melhorar minha empresa? (Mudar é necessário!)

Se você é uma empreendedora criativa, já deve ter percebido que um dos principais desafios em nossa carreira é a tão evitada e temida MUDANÇA. Mudar faz parte da vida e do ser humano, e ela vai acontecer você querendo ou não. Apesar da dificuldade em aceitarmos isso, você já parou para pensar como ela na verdade pode lhe ajudar a melhorar a sua empresa? Nesse vídeo, a gente faz um resumo bem bacana de como mudar pode ser na verdade uma oportunidade de melhorar mais e mais. Confere aí embaixo e por favor, não esquece de se inscrever no canal hein! 😀

Sobre trabalhar com o que se ama | Parte 2

Na primeira parte deste post (se você ainda não viu, clique aqui agora mesmo :P), fiz uma reflexão sobre trabalhar com o que se ama. No texto eu falei que essa nem sempre é uma tarefa fácil, e que é preciso se conhecer e se questionar sempre para saber que caminho tomar. Se você chegou a conclusão que é feliz trabalhando em uma emprego das 8h as 18h, batendo ponto todos os dias, nós não estamos aqui para julgar você. Como sempre dizemos: nós acreditamos no trabalho com amor sim, mas sempre com consciência e significado.

Mas então, digamos que você realmente queira trabalhar com o que ama. Que você tem um hobby ou gosta muito de uma área/serviço específico e gostaria muito de ganhar dinheiro com ela, porém, não tem a mínima ideia por onde começar. Primeiramente: muita calma nessa hora. Vamos por partes!

Por que trabalhar com o que se ama é difícil?

Primeiramente, como vocês já devem imaginar, trabalhar com o que mais gosta exige organização, empenho e força de vontade constantes, assim como qualquer emprego no mundo. Muitas pessoas têm a ilusão de que quando trabalharem com aquilo que mais amam, a vida delas irá mudar completamente. Lamento informar, mas isso é a mais pura mentira. Tudo o que envolve ganhar dinheiro exige foco e determinação. Infelizmente, vivemos em uma sociedade que valoriza mais o ter do que o ser, e justamente por conta disso ficamos tão perdidas nessas situações.

Pense comigo: você sai da escola (ensino médio), e então com 18 anos já é forçado a escolher uma profissão que deverá seguir para o resto da vida (argggh! Só de pensar nisso me arrepio). Além disso, você precisa provar para o mundo inteiro o quanto se tornou uma pessoa boa naquilo que faz. Qualidades como criatividade, flexibilidade, bom senso, infelizmente não são muito valorizadas. Ao contrário de palavras como especialização, foco, resultados e metas. Por isso, use sua consciência com sabedoria na hora de escolher um caminho.

Mas olha, não se engane, trabalhar com o que se ama é verdadeiramente uma DÁDIVA. É quase como droga, que num primeiro momento te deixa fora do ar, mas que depois te joga pro mundo real de novo e com toda a força. Ok, talvez esse não tenha sido o melhor exemplo, hahaha. Mas, ao meu ver, toda a canseira (que todo trabalho tem) não fica tão pesada quando seus olhos se enchem de brilho pelas atividades que você mais adora. Quando você vê o seu produto/serviço tomando forma, e claro, tendo retorno financeiro também, é como um momento de alinhamento com o que você é e o que você mais deseja, e eu acho tudo isso particularmente especial. 🙂

Por onde devo começar?

A seguir, destaco alguns itens que considero importantes na hora de trabalhar com o que mais se ama. Se você acompanha o nosso canal no Youtube, tem um vídeo lá que já falamos um pouco sobre isso, clique aqui para ver. Mesmo assim, acho que falar sobre isso nunca é demais não é? Então, segura na minha mão e vem!

DICA 1 | TENHA CERTEZA DAQUILO QUE VOCÊ QUER

Não adianta você querer trabalhar com aquilo que mais ama, se você nem ao menos sabe o que deseja. Por isso, como já disse no texto anterior, autoconhecimento é fundamental para alcançar os seus objetivos. Não só para um carreira profissional, mas também pra vida como um todo. Além disso, nós estamos sempre mudando, e em constante evolução, muitas vezes a pessoa que você era ontem, não é mais a mesma que é hoje. Tenha o autoconhecimento como uma tarefa diária, assim como um exercício físico por exemplo. Pergunte-se: o que alimenta a minha alma? Quais são os meus hobbies? Quais os meus desejos? Gostos? O que não gosto? O que eu faço de olhos fechados? Esteja preparada para responder perguntas como: como você se vê daqui a 10 anos? Lembre-se sempre: pra quem não sabe pra onde vai, qualquer caminho serve. E você não quer ir para qualquer caminho não é mesmo? Pense nisso!

DICA 2 | PLANEJAMENTO, PLANEJAMENTO E PLANEJAMENTO

Pois é, de nada adianta você saber o que mais ama, se na hora do “vamo vê” você fica parada igual uma estátua, sem ação nenhuma, e muitas vezes reclamando da vida. Não seja uma pessoa assim. Coloque-se em ação! Você decidiu que ama muito artesanato e gostaria de trabalhar com isso? Faça um plano de ação. Pesquise na internet, veja Youtube, leia revistas e jornais. Falar que você não fez nada porque não tinha conhecimento suficiente, é praticamente uma obscenidade nos dias de hoje, com tanta informação ao nosso dispor. Pense: qual é o meu próximo passo? O que eu posso fazer HOJE para chegar um pouco mais perto do meu sonho? E FAÇA!

DICA 3 | TRABALHE CONSTANTEMENTE PARA QUE O SEU SONHO SE TORNE REALIDADE 

Talvez eu seja um pouco repetitiva nesse texto, mas eu não vejo outra solução a não ser bater na mesma tecla e escrever: não é fácil, portanto, trabalhe constantemente! Muitas pessoas têm a ilusão de quando trabalharem com aquilo que mais amam, a vida delas será linda, cheia de unicórnios e purpurinas. Se você for uma decoradora de festas, acho até que isso possa se tornar verdade uma vez ou outra, do contrário, sua rotina será tão extensa e cansativa como qualquer outro trabalho. A única diferença, como já falei antes, é que em alguns momentos o seu cansaço será preenchido com a sua alegria de trabalhar com algo que adora tanto. Mas, não pense que por isso o seu corpo também não sentirá os efeitos. Então, não pare nunca. Trabalhe constantemente para colher os frutos mais tarde.

DICA 4 | ESTEJA PREPARADA PARA TRABALHAR DE GRAÇA AS VEZES 

Essa pode ser a dica mais chata de todas, mas é necessária. Quando decidimos trabalhar com o que amamos, principalmente se você resolver se tornar empreendedora, é preciso que você esteja aberta a conquistar alguns de seus clientes trabalhando de graça. Mas calma, não to dizendo que isso é uma regra. Ninguém é obrigado a nada. No entanto, é bem comum isso acontecer, então, o melhor remédio para isso com certeza é o planejamento (dica 2). Busque ter uma reserva financeira guardada, mesmo que pouca, até você conquistar seus clientes de vez, essa atitude poderá lhe evitar muitas dores de cabeça no futuro.

DICA 5 | DÊ O SEU MELHOR APESAR DE TUDO 

E por fim, é claro que essa dica não poderia ser outra. Apesar de todas as dificuldade pelo caminho, dê o seu melhor sempre! Eu diria que trabalhar com o que se ama é ser alguém muito teimoso, mesmo apesar das dificuldades. Por isso, mais uma vez, tenha certeza do que você quer, e corra atrás disso para que se torne realidade. Agende um compromisso com você mesma e cumpra, mesmo que todos ao seu redor lhe digam o contrário. ❣

E aí, gostou das dicas? 😀 Quer que a gente fale mais sobre isso ou sobre empreendedorismo? Deixe aí nos comentários a sua opinião, e não esquece de compartilhar o texto com suas amigas(os). 😉

Vídeo #6: Organização no home-office, com Dani Müller

Olá gente! Estavam com saudade dos nossos vídeos? 😀 Dessa vez nós conversamos sobre organização no home office junto com a nossa queridíssima Dani Müller, do blog Alternativa Aleatória. Pra quem não lembra da Dani, ela participou do nosso bate-papo nº 1 aqui do blog (sim, ela foi a nossa primeiríssima, a nossa COBAIA hahaha :P), clique aqui para ver e relembrar a nossa conversa. Dessa vez, ela veio fazer um vídeo conosco, em um bate-papo super descontraído e pra lá de especial! Confere abaixo! 🙂

Ah, e se você ainda não se inscreveu no nosso canal, clique AQUI e vem fazer parte da nossa txxxurma!

Por que o setor criativo vem crescendo cada vez mais

Dias deses fiz um post falando sobre empreendedorismo criativo. Se você não leu, clique aqui para ver e ficar por dentro. Nesse texto eu falo exatamente o que vem a ser esse tipo de empreendedorismo e mais, qual a diferença da economia criativa em relação as outras economias convencionais, e qual a sua relação com o empreendedor criativo.

Mia Baker

Dando sequência a esse tema, resolvi fazer este post para destacar os principais motivos do setor criativo estar crescendo cada vez mais e mais. YES! Chegou a nossa vez, caras criativas! A era industrial que atingiu o seu ápice no mundo no século XX, começou aos poucos a perder espaço para as tecnologias da era digital. Hoje em dia, a globalização e principalmente, a nossa grande e amada internet, vêm sendo os grandes responsáveis por darem espaço as pessoas e as pequenas empresas. Lugares que antes eram ocupados exclusivamente por donos de fábricas (em geral homens bracos vestidos de terno e gravata). Se antes, o conhecimento estava atrelado aos maquinários e aos donos das fábricas, hoje, ele é compartilhado por todos em qualquer lugar, basta que a pessoa tenha interesse por determinado assunto.

Segundo dados atuais, estima-se que o setor da economia criativa mundial movimente cerca 1.8 TRILHÕES de dólares por ano, ou até mais que isso. No Brasil, até mesmo com a nossa tão falada crise, especialistas estimam que o PIB do setor cresceu cerca 70% em uma década. Segundo matéria publicada no jornal O Globo, no começo de 2016, destaca:

“O PIB da indústria criativa brasileira chegou a R$ 126 bilhões no fim de 2013, ou o equivalente a 2,6% do total produzido no país naquele ano. Representa avanço de 69,8% em dez anos, acima dos 36,4% registrados pelo PIB nacional no mesmo período, mostra pesquisa da Firjan do fim de 2014. Não há dados mais recentes, mas especialistas afirmam que essa tendência se mantém.” (Fonte)

Brooke Lark

Apesar dos números estarem crescendo cada vez mais, isso não é sinal para nos acomodarmos e entrarmos no modo aletório. Temos muito trabalho pela frente! Principalmente, no que diz respeito a valorização das áreas criativas como um todo. Apesar dos números apontarem um futuro positivo, muitas pessoas ainda não compreendem esse avanço tão significativo (ou fingem não compreender).

Em nosso país, em 2012 foi criada a Secretária da Economia Criativa (SEC), vinculada ao Ministério da Cultura, que tem como missão planejar, promover, implementar e coordenar ações para o desenvolvimento da economia da cultura no País. Como empreendedoras criativas, devo dizer que é nosso dever acompanhar tudo o que é desenvolvido na secretária, e mais, estar atentas ao que de novo surge no horizonte, propondo mudanças para essa área tão abrangente.

Diego Ph

Resumindo, é possível chegar as seguintes conclusões quando o assunto é o crescimento dos setores criativos:

◾ O setor criativo está crescendo a passos largos, e uma das grandes ferramentas responsáveis por isso é a internet;

◾ A criatividade vem sendo a nossa principal aliada na expansão de diversas ideias em meio a crise;

◾ O conhecimento agora está em todos os lugares, não apenas na mão dos donos de fábricas. Qualquer um pode ter acesso a ele, se persistir;

◾ É preciso que saibamos absorver todos os novas ideias com sabedoria e não entrarmos no modo aleatório;

◾ Apesar da grande demanda, é preciso mantermos a postura profissional, e saber valorizar todas as profissões deste setor. Apesar do enorme avanço, há muito o que ser conquistado ainda.

Num momento onde vemos somente notícias ruins por todos os lados, é muito bom saber que estamos no caminho certo, trabalhando com o que amamos, e ainda sendo reconhecidas por isso. Isso significa que cada vez mais, as pessoas estão olhando para esse setor, que antes não era tão valorizado, e aos poucos, estão compreendendo que as pessoas criativas têm muito valor sim, assim como suas profissões! 💜

Afinal, o que é empreendedorismo criativo?

Se você vem acompanhando nossas postagens aqui no blog, ou nas redes sociais, certamente já percebeu que a principal característica do nosso projeto é levar conteúdo inspirador e de significado para as diversas empreendedoras criativas existentes nesse mundão. São milhares de mulheres cheias de ideias e empreendimentos únicos. Mas, agora eu lhe pergunto: você realmente sabe o que é empreendedorismo criativo? 

Resolvi fazer este post para explanar de forma simples e objetiva o que é o tal do empreendedorismo criativo. Caso você nunca tenha ouvido falar do termo, ou está acessando o nosso blog pela primeira vez, saiba que este setor vem crescendo cada dia mais, assim como a economia criativa como um todo.

Mas calma aí, vamos por partes! Não precisa arrancar os cabelos caso você não tenha entendido nada do que eu escrevi. Eu explico tudinho, vamos lá!

▪ O QUE É ECONOMIA CRIATIVA?

A economia criativa é aquela economia gerada a partir de negócios/carreiras que se utilizam de talentos, ideias, e criatividade das pessoas como matéria-prima na criação de valor pro mundo, através de produtos e serviços. Trata-de um conjunto de setores ou indústrias que consequentemente geram renda, e que incluem o cinema, a arquitetura, as artes cênicas, as artes visuais, conteúdos digitais, o design, a literatura, a moda, o artesanato, a música, a publicidade, entre outros. A economia criativa é fonte inesgotável de estratégias criativas e  de inovação nestes mais diferentes setores, e que podem ser aplicadas em qualquer negócio.

▪ QUAL A DIFERENÇA DA ECONOMIA CRIATIVA E AS OUTRAS ECONOMIAS CONVENCIONAIS? 

A grande diferença neste caso está na determinação do preço através criatividade. Ou seja, os produtos vendidos dentro da economia criativa e que geram valor, têm seu preço calculado com base na sua ideia em si, ou originalidade, e não em outros fatores. Eles carregam consigo essa “aura do artista”, um cuidado especial, e uma história. O que muito provavelmente você não encontrará em produtos feitos em larga escala, de grandes industrias e que na maioria dos casos, possuem a mesma cara.

Entendeu? Não é tão difícil né? Conhecendo um pouco mais sobre a economia criativa, a gente consegue entender também quem são e o que fazem os empreendedores criativos. No nosso caso, empreendedoras criativas, pois falamos especialmente para o público feminino.

Josefa Diaz

▪ O QUE É EMPREENDEDORISMO?

Numa visão mais simplista, podemos dizer que o empreendedorismo é o ato de iniciar algo novo, que ninguém vê. Trata-se da iniciativa de sair do sonho, e do desejo, e partir para a ação. Normalmente, é usado para designar as pessoas que trabalham de forma autônoma, ou que possuem uma empresa e que iniciam ideias na prática. (Fonte).

▪ AFINAL, O QUE É EMPREENDEDORISMO CRIATIVO? 

Agora você já deve ter entendido um pouco mais, que o empreendedorismo criativo nada mais é do que aquelas pessoas que trabalham colocando novas e criativas ideias em prática. Normalmente também, tratam-se daquelas pessoas que trabalham de forma autônoma ou possuem uma empresa que atua dentro da economia criativa, ou indústria criativa.

E aí, gostou das explicações? Ficou mais claro agora? Saiba que tem muita mulher legal por aí desenvolvendo trabalhos espetaculares dentro da economia criativa. Vale a pena entendermos como funciona esse mundo da criatividade. Espero que tenha gostado! Qualquer dúvida escreve pra gente! 🙂