5 Grandes mulheres empreendedoras para você se inspirar

Quem acompanha o nosso trabalho, sabe que estamos o tempo todo falando de mulheres e empreendedorismo, e em como estas duas palavras juntas combinam muito! Já havíamos comentado aqui sobre os números existentes nesse setor. Você sabia que apesar das mulheres criarem mais empreendimentos, elas ainda possuem mais dificuldade para se manter no mercado? Pensando nisso, elaboramos este post com 5 GRANDES EMPREENDEDORAS MULHERES para você se inspirar e quem sabe, colocar o seu empreendimento em prática também. 🙂

  • PAOLA CAROSELLA

A nossa primeira DIVA da lista cresceu em meio pomar, rodeada de galinhas e coelhos. Começou a trabalhar cedo em cozinhas de restaurantes da Argentina, e hoje, é uma grande chef internacional. Ficou conhecida principalmente ao se tornar jurada da versão brasileira do programa Masterchef, transmitido pela Band. Atualmente, é dona do restaurante La Guapa. Veja mais detalhes da sua trajetória aqui.

  • PAULA ABREU

A Paula Abreu é principalmente conhecida pelo programa Escolha Sua Vida. Suas trajetórias profissionais e pessoais nos ensinam que é preciso ter garra todos os dias para enfrentar o desconhecido. Advogada por formação, a Paula largou o mundo corporativo para viver daquilo que mais amava: escrever. E tem dado muito certo até hoje. Conheça parte da sua história aqui. 

  • RAFAELA CAPPAI

A Rafa Cappai é mesmo uma empreendedora criativa de mão cheia. Jornalista por formação, é também atriz, bailarina, empreendedora, escritora, professora, mestre em empreendedorismo criativo. A gente já falou bastante dela por aqui em outros momentos. Atualmente, ela é a comandante de Espaçonave, além de liderar diversos outros projetos e iniciativas criativas mundão a fora. Clique aqui para ver o site dela e conhecer mais dessa mulher incrível.

  • ANA FONTES 

Pra quem não sabe, Ana Fontes é a grande mulher por trás da Rede Mulher Empreendedora (RME), a primeira plataforma de apoio ao empreendedorismo feminino no Brasil. Tudo começou porque um dia Ana foi descriminada por ser mulher numa entrevista de emprego. O entrevistador viu o seu currículo e disse: “É fantástico. É igual à vaga. Pena que você é mulher. Quero alguém que seja forte, que seja macho e que brigue com os funcionários e você tem cara de muito boazinha” (Fonte). Na hora, Ana não achou que aquilo era discriminação, mas depois ela começou a perceber como isso era frequente, e passou a defender outras mulheres que viriam a passar pela mesma situação. Vale muito a pena ler mais sobre a sua história!

  • LUIZA HELENA TRAJANO 

Luiza Helena Trajano nasceu em 1951 e é a grande mulher que comanda a rede de lojas Magazine Luiza. Hoje em dia, sua rede é uma das maiores e mais conceituadas do mercado de varejo. Há mais de 25 anos sendo a líder, essa mulher é uma inspiração para todas que desejam alcançar sucesso e estar a frente de grandes empresas. Leia mais aqui.

5 provas de que boas fotografias fazem a diferença na hora de vender o seu produto

A fotografia pode ser um item determinante para quem vende produtos online. Infelizmente, é comum acessarmos sites e redes sociais de determinadas marcas ou empresas e encontrarmos fotos que “deixam a desejar”. Sejam fotos feitas por celular, tremidas ou de má qualidade, se um possível comprador está em dúvida na hora de adquirir um produto, uma foto bem feita provavelmente o convencerá de que o produto vale a pena (e vice versa). Não há dúvidas: uma boa fotografia, vende. Quer saber porque? Abaixo, listamos 5 motivos que comprovarão isso:

  • BOAS FOTOGRAFIAS PASSAM CREDIBILIDADE: Quem faz vendas online, precisa passar confiança ao cliente, pois ele não conhece o produto pessoalmente e não quer ser enganado, comprando algo que não cumpra com as suas expectativas. Uma foto bem feita, que mostre todas as características do produto, ajudarão o seu cliente a acreditar que o seu produto possui qualidade, que é bem feito e que você e sua empresa são sérios.
  • BOAS FOTOGRAFIAS REPRESENTAM CAPRICHO: A foto pode ser simples, mas precisa ser bem feita. Iluminação, enquadramento, cenário…são inúmeros detalhes que ajudam a mostrar para o seu cliente que você se importa. Fotos tortas, tremidas ou mal iluminadas passam a sensação de que foram “feitas de qualquer jeito”.
Annie Spratt
  • BOAS FOTOGRAFIAS REPRESENTAM ESTILO/PERSONALIDADE: Uma foto pode dizer muito sobre o estilo, personalidade e valores da sua empresa. Se as fotos forem feitas no campo, por exemplo, os clientes já perceberão que é uma empresa que se importa com o meio ambiente. Não adianta fazer milhões de fotos em estilos diferentes, pois assim você confundirá a todos e não conseguirá atingir o público ideal.
  • BOAS FOTOGRAFIAS DEMONSTRAM O SEU COMPROMETIMENTO COM A SUA EMPRESA: Uma boa seleção e curadoria, na hora de publicar as suas fotos, mostram cuidado e comprometimento, pois seu cliente verá que você cuida de tudo, até dos mínimos detalhes. Lembra daquilo que falei sobre “fazer de qualquer jeito”?
  • BOAS FOTOGRAFIAS APAIXONAM QUEM AS VÊ: Quem nunca viu uma fotografia de bolo e sentiu vontade de comê-lo? Ou então viu uma foto de praia e sentiu vontade de viajar? Fotografias possuem esse poder!
Jesse Orrico

E você, está precisando de boas fotografias? Seja foto de produtos, fotos corporativas suas ou até mesmo um editorial, nós, do Pagu, agora realizamos esse serviço. Entre em contato com a gente, para saber mais. E deixe o seu site, portfólio e até mesmo as redes sociais, ainda mais bonitos e cativantes.

Como comecei a empreender criativamente

Semana passada fizemos algumas enquetes no nosso stories do Instagram (se você ainda não nos segue, fazfavô de seguir jááá 😀), e uma das perguntas que fizemos tinha a ver com empreendedorismo, mais precisamente, o tal do empreendedorismo criativo. A maioria das pessoas votaram que gostariam de ver mais conteúdos assim, então, pode saber que estamos trabalhando muito para isso. 🙂

Rawpixel

Aproveitando a deixa, gostaria de falar um pouco mais sobre a minha história com o empreendedorismo. Não lembro muito bem quando comecei a me interessar pelo tema. Acredito que tenha sido quando comecei a me decepcionar com várias empresas em que trabalhei. Eu sou daquelas pessoas que foi criada com a famosa equação profissional: estudar + arrumar emprego em uma grande empresa corporativa + trabalhar nesse mesmo local até se aposentar. Vocês sabe do que eu estou falando? Acredito que sim.

A verdade é que a maioria de nós cresce tendo como base esse “estilo profissional”. Crescemos vendo nossos pais dizendo que esse é o caminho certo para uma vida abundante e próspera. O único problema, ao meu ver, é que esse é um modelo de carreira que já não está mais fazendo tanto sentido hoje. Um modelo baseado em uma era com uma enorme herança industrial, sem internet, e com oportunidades profissionais diferentes daquelas que temos hoje.

Matias Rengel

Como comentei no início do post, ao poucos, fui me decepcionando com a maneira com que algumas empresas em que atuei funcionavam. Quanto decidi entrar para a graduação em Artes Visuais em 2012, eu tinha 22 anos e já trabalhava na área. Eu era assistente de fotografia em um estúdio voltado para a área publicitária. Apesar de amar o que fazia, eu sentia que para trabalhar com arte, eu precisava antes de tudo, de liberdade de criação. Por isso, não fazia sentido, trabalhar em um local onde eu tivesse que bater ponto das 8h as 18h, e ainda ganhar advertência caso chegasse 5 minutos atrasada. E acredite, eu fiz isso por muito tempo.

É claro que essa regra não serve para todas as pessoas. Devo deixar claro que não estou condenando o trabalho para grandes empresas. Nesse texto aqui, eu falei sobre trabalhar com que se ama, e sendo assim, como eu defendo o empreendedorismo, mas sempre com consciência e significado. Eu mesma, ainda hoje, não me considero “100% empreendedora”, mas, explicarei isso em outro momento.

Spencer Kaff

Aos poucos, mais precisamente por volta de 2014, comecei a pensar qual seria a melhor forma de combater essa falta de liberdade que eu sentia em relação as empresas. Eu simplesmente não tinha vontade de levantar e trabalhar. Conforme fui tendo mais contato com a arte dentro da universidade, eu também sentia que dificilmente encontraria toda essa “expressividade artística profissional” que eu tanto buscava, em alguma empresa corporativa. Por isso, comecei a buscar formas diferentes de trabalhar, e foi aí que eu me deparei com o empreendedorismo, mais precisamente, com o empreendedorismo criativo.

Empreender começou a fazer sentido porque, além da liberdade de criar que eu poderia ter, eu tinha a possibilidade de ser a minha própria chefe e explanar minhas opiniões e ideias sem ser julgada. Poderia ter liberdade de fazer meu próprio horário, minha rotina, desenvolver os trabalhos que tanto preenchem o meu coração, como por exemplo, esse blog que você está acessando agora. 🙂

Emma Matthews

É claro que nem tudo são flores, e se você já me conhece, sabe que eu sempre procuro trazer os dois lados das coisas. Empreender também exige muita, mas MUITA responsabilidade, e definitivamente não é fácil (principalmente no início, que é a fase que me encontro agora). Mas, isso já é assunto para um próximo post.

E você? Quero sabe: qual é a sua história com o empreendedorismo criativo? Conta pra gente aí nos comentários e não esquece de compartilhar o texto com quem está precisando também.  🙂

Colab Criativa

Informação e inspiração nunca são demais. É sempre bom conhecer novos trabalhos, histórias e pensamentos. Descobrir opiniões novas e aprender sobre algo que não dominamos tanto quanto gostaríamos. Ainda mais quando nos referimos ao empreendedorismo: é preciso pesquisar e inovar a cada segundo.

Se você, assim como a gente, adora saber mais sobre empreendedorismo e criatividade, não pode deixar de conhecer a Colab Criativa. Um blog recheado de dicas, histórias e inspirações. Tudo sobre esse mundo tão vasto que é o empreendedorismo criativo.

O projeto surgiu em 2016, e foi criado pela Patiara Kucaniz, uma mulher que adora novos conhecimentos e gosta de explorar a vida ao máximo. Em 2017, ela se uniu à Ana Loqueta, que é administradora, empreendedora e  acredita muito no autoconhecimento. Juntas, deixam o blog ainda mais completo e tratam de assuntos como liderança, desenvolvimento humano, histórias inspiradoras de empreendedores e ainda divulgam eventos super interessantes para os criativos de plantão.

Pexels Photo

Não deixe de dar uma passada nesse blog sensacional e conhecer o trabalho incrível, feito por essas duas mulheres mega inspiradoras. Acesse também as redes sociais do projeto, abaixo. Tem muita coisa bacana por lá! 🙂

SITE | FACEBOOK | INSTAGRAM  ▪

Vídeo #6: Organização no home-office, com Dani Müller

Olá gente! Estavam com saudade dos nossos vídeos? 😀 Dessa vez nós conversamos sobre organização no home office junto com a nossa queridíssima Dani Müller, do blog Alternativa Aleatória. Pra quem não lembra da Dani, ela participou do nosso bate-papo nº 1 aqui do blog (sim, ela foi a nossa primeiríssima, a nossa COBAIA hahaha :P), clique aqui para ver e relembrar a nossa conversa. Dessa vez, ela veio fazer um vídeo conosco, em um bate-papo super descontraído e pra lá de especial! Confere abaixo! 🙂

Ah, e se você ainda não se inscreveu no nosso canal, clique AQUI e vem fazer parte da nossa txxxurma!

Por que o setor criativo vem crescendo cada vez mais

Dias deses fiz um post falando sobre empreendedorismo criativo. Se você não leu, clique aqui para ver e ficar por dentro. Nesse texto eu falo exatamente o que vem a ser esse tipo de empreendedorismo e mais, qual a diferença da economia criativa em relação as outras economias convencionais, e qual a sua relação com o empreendedor criativo.

Mia Baker

Dando sequência a esse tema, resolvi fazer este post para destacar os principais motivos do setor criativo estar crescendo cada vez mais e mais. YES! Chegou a nossa vez, caras criativas! A era industrial que atingiu o seu ápice no mundo no século XX, começou aos poucos a perder espaço para as tecnologias da era digital. Hoje em dia, a globalização e principalmente, a nossa grande e amada internet, vêm sendo os grandes responsáveis por darem espaço as pessoas e as pequenas empresas. Lugares que antes eram ocupados exclusivamente por donos de fábricas (em geral homens bracos vestidos de terno e gravata). Se antes, o conhecimento estava atrelado aos maquinários e aos donos das fábricas, hoje, ele é compartilhado por todos em qualquer lugar, basta que a pessoa tenha interesse por determinado assunto.

Segundo dados atuais, estima-se que o setor da economia criativa mundial movimente cerca 1.8 TRILHÕES de dólares por ano, ou até mais que isso. No Brasil, até mesmo com a nossa tão falada crise, especialistas estimam que o PIB do setor cresceu cerca 70% em uma década. Segundo matéria publicada no jornal O Globo, no começo de 2016, destaca:

“O PIB da indústria criativa brasileira chegou a R$ 126 bilhões no fim de 2013, ou o equivalente a 2,6% do total produzido no país naquele ano. Representa avanço de 69,8% em dez anos, acima dos 36,4% registrados pelo PIB nacional no mesmo período, mostra pesquisa da Firjan do fim de 2014. Não há dados mais recentes, mas especialistas afirmam que essa tendência se mantém.” (Fonte)

Brooke Lark

Apesar dos números estarem crescendo cada vez mais, isso não é sinal para nos acomodarmos e entrarmos no modo aletório. Temos muito trabalho pela frente! Principalmente, no que diz respeito a valorização das áreas criativas como um todo. Apesar dos números apontarem um futuro positivo, muitas pessoas ainda não compreendem esse avanço tão significativo (ou fingem não compreender).

Em nosso país, em 2012 foi criada a Secretária da Economia Criativa (SEC), vinculada ao Ministério da Cultura, que tem como missão planejar, promover, implementar e coordenar ações para o desenvolvimento da economia da cultura no País. Como empreendedoras criativas, devo dizer que é nosso dever acompanhar tudo o que é desenvolvido na secretária, e mais, estar atentas ao que de novo surge no horizonte, propondo mudanças para essa área tão abrangente.

Diego Ph

Resumindo, é possível chegar as seguintes conclusões quando o assunto é o crescimento dos setores criativos:

◾ O setor criativo está crescendo a passos largos, e uma das grandes ferramentas responsáveis por isso é a internet;

◾ A criatividade vem sendo a nossa principal aliada na expansão de diversas ideias em meio a crise;

◾ O conhecimento agora está em todos os lugares, não apenas na mão dos donos de fábricas. Qualquer um pode ter acesso a ele, se persistir;

◾ É preciso que saibamos absorver todos os novas ideias com sabedoria e não entrarmos no modo aleatório;

◾ Apesar da grande demanda, é preciso mantermos a postura profissional, e saber valorizar todas as profissões deste setor. Apesar do enorme avanço, há muito o que ser conquistado ainda.

Num momento onde vemos somente notícias ruins por todos os lados, é muito bom saber que estamos no caminho certo, trabalhando com o que amamos, e ainda sendo reconhecidas por isso. Isso significa que cada vez mais, as pessoas estão olhando para esse setor, que antes não era tão valorizado, e aos poucos, estão compreendendo que as pessoas criativas têm muito valor sim, assim como suas profissões! ?

O que acontece quando tiramos os homens do poder?

Infelizmente, a maioria dos cargos de poder ainda são ocupados por homens. Aquela cena bem clássica, do homem alto e engravatado, com barba bem aparada e voz grave, impondo respeito. Mas está na hora de mudar um pouco essa situação, não é mesmo?

Pensando nisso,  A revista ELLE do Reino Unido decidiu impactar, criando uma campanha chamada “More Women” (ou Mais Mulheres, em português). Ela consiste em um vídeo bem curtinho, que nos mostra a quantidade de homens x mulheres presentes em cargos de poder e alto escalão.

É triste constatar que o número de mulheres ainda é bem baixo, comparado ao número de homens. Porém, precisamos fazer a nossa parte para mostrar ao mundo a quantidade de mulheres poderosas que temos por esse mundo afora!

Lembrando que a dica de pauta é da nossa leitora Maiara De Almeida Ellwanger.

Motivação, qual é a sua?

Ontem à noite, comparecemos ao evento “Motivação, qual é a sua?” promovido pelo Núcleo da Mulher Empreendedora da CDL Novo Hamburgo.  Além da palestra da empresária Faby Hoff, (que foi super motivadora e emocionante), o evento contou com a exposição de jóias da H. Maria, além de troca de informações e conhecimentos. E, não podíamos deixar de registrar tudinho pra mostrar por aqui! Esperamos que gostem! 🙂

Ah, e também já estamos ansiosas pelo próximo evento!

Tudo Orna: Conheça as irmãs empreendedoras que conquistaram o Brasil

Difícil de acreditar, mas ainda há muitas pessoas por aí que não levam a sério profissões criadas na “era digital”. Ter um blog, por exemplo, pra muita gente é coisa de quem ainda não sabe o que quer da vida. Quer a prova de que essas pessoas estão muito enganadas?

Conheça Bárbara, Débora e Júlia Alcantara. Elas são três irmãs de Curitiba que, em 2010, criaram um blog chamado Tudo Orna. Nele, publicam conteúdos sobre moda, decoração e beleza. Tudo com muito capricho e bom gosto.

Acervo Pessoal

Além de influenciar e inspirar milhares de mulheres pelo Brasil afora, elas também são proprietárias da Orna Concept (sua marca própria de bolsas), Orna Makeup (sua marca de maquiagens) e também da Orna Café (sua própria cafeteria, em Curitiba).

Acervo Pessoal

Isso nos prova que, se houver dedicação e trabalho árduo, cada projeto e cada blog pode vir a ter sucesso. Você precisa acreditar no seu projeto, traçar metas e seguir em frente. Ah, e se estiver precisando de uma inspiraçãozinha extra, conheça mais alguns projetos das Irmãs Alcantara, abaixo. Vale a pena!

Blog Tudo Orna | Instagram | Júlia Alcantara | Bárbara Alcantara | Débora Alcantara | Apartamento 33