7 ilustradoras que você precisa conhecer

Nós somos apaixonadas por todos os tipos de arte. Principalmente, quando se trata de arte feita por mulheres talentosíssimas ao redor do mundo. Por isso, selecionamos aqui 7 ilustradoras que você PRECISA conhecer e seguir hoje mesmo.

  1. Sally Nixon: @sallustration Nós já falamos sobre o trabalho dela, aqui. Sally é americana e retrata através de ilustrações a rotina e situações que toda mulher já passou ou ainda passará pelo menos alguma vez na vida. Seja escovar os dentes durante o banho, sair pra jantar com alguma amiga ou apenas ficar em casa, de pijamas.
Sally Nixon

2. Pri Barbosa: @priii_barbosa Uma ilustradora brasileira, que representa o universo feminino, aceitação e a sororidade através de sua arte. As ilustrações da Pri são facilmente conhecidas pelos traços e também pelos diversos tons de rosa predominantes.

Pri Barbosa

3. Bodil Jane: @bodiljane A holandesa Bodil Jane não poderia ficar de fora da nossa listinha. Dentro das suas temáticas favoritas, estão as ilustrações de pessoas, comidas, lugares e animais. Todas lindas, coloridas e cheias de detalhes.

Bodil Jane

4. Oana Befort: @oanabefort A romena Oana Befort também já passou por aqui (e você pode ver uma matéria inteirinha sobre ela, clicando aqui). Seu trabalho é delicado, realista e cheio de cores. Sua especialidade, por assim dizer, são ilustrações de fauna e flora.

Oana Befort

5. Gemma Corell: @gemmacorell Você provavelmente já conhece o trabalho da inglesa Gemma Corell, sem saber. Já viu aqueles cartoons divertidinhos de uma jovem-adulta perdida na vida, ou então gatinhos preguiçosos? Pois é, essa é a arte dela. Tão bonitinho e engraçado, que não poderia estar de fora da nossa lista.

Gemma Corell

6. Andrea Wan: @andrea_wan Braços, pernas, folhas, galhos… a arte da chinesa Andrea Wan é intrínseca, profunda, íntima. Pessoas desenhadas de maneira inusitada e não convencional, são o que deixam tudo ainda mais especial.

Andrea Wan

7. Amélie Fontaine: @bonjourameliefontaine A francesa que ilustra livros infantis com maestria. Tão coloridos e graciosos que dá vontade de voltar a ser criança para colecionar todos. Conheça o trabalho dela e se apaixone, assim como a gente.

Amélie Fontaine

E agora queremos saber, qual ilustradora você acha que precisa fazer parte dessa nossa listinha? Conta pra gente! Adoramos conhecer trabalhos novos, de gente tão talentosa assim. 🙂

Valorize a arte da sua cidade

Os Girassóis de Van Gogh, a Monalisa de Da Vinci… todo mundo já ouviu falar dessas maravilhosas obras e seus mestres, né? Mas você sabia que não precisa viajar para o outo lado do planeta para ver obras de arte extraordinárias? Pois é! Independente de onde você mora, aposto que a sua cidade está cheia de artistas talentosos e que merecem o seu reconhecimento.

Vincent Tantardini

Não consegue lembrar de nenhum? Então chegou a hora de você visitar museus, casas de exposição e feiras, aí da sua região. Aposto que você se surpreenderá com tanta arte bonita. Muitas delas, ainda podem ser regionalistas. Ou seja, em outras partes do Brasil, não terão artes parecidas!

Os artistas consagrados, já possuem muito reconhecimento. Que tal valorizar os pintores, escultores, ceramistas e entre tantos outros artistas da sua cidade? Decore sua casa, presenteie amigos, mostre para o mundo tudo o que você tem aí pertinho de você.

Afinal, o que é arte?

Falar sobre o que é ou o que significa arte é algo muito complicado. Eu diria até, que é um ato que exige coragem e uma certa ousadia. Durantes décadas e décadas, diversos pesquisadores e teóricos tentaram definir, em palavras, o que seria essa “atividade” tão diversa e misteriosa. Coloco “atividade” assim entre aspas, pois a arte está muito longe de ser somente isso, talvez, não esteja nem perto disso.

Anna Kolosyuk

Com o passar dos tempos, estes diversos autores foram compreendendo que talvez a arte não tenha apenas um único significado. E mais, que ela talvez seja algo tão abrangente que a nossa mente lógica é incapaz de catalogar e decifrar de maneira tão simples.

Mas, o objetivo desse texto não é colocar a arte em um patamar acima de nós. Antes de mais nada, ao meu ver, a arte só existe porque nós estamos aqui antes dela. Fomos nós, seres humanos, que começamos a expressar nossos pensamentos e emoções por meio das paredes das cavernas, quando ainda nem se quer havíamos desenvolvido qualquer tipo de linguagem escrita ou falada.

Arte rupestre de caverna francesa de Chauvet (uma dos mais antigas do mundo)

Desde os primórdios da humanidade, o homem vem desenvolvendo inúmeras formas de expressão. Mas, dizer que a arte é APENAS um meio de expressão, também é algo muito limitado, porque com certeza ela também é mais do que isso.

Apesar de todas as limitações na hora de definirmos o que é ou não arte, alguns pesquisadores chegaram em um consenso na hora de criar conteúdos que atendam a esta vasta e densa pergunta. Um livro que explica de forma muito clara e objetiva isso, é o livro “O que é Arte?”, do autor Jorge Coli. Esta “pequena-grande” publicação de apenas 131 páginas, traz de maneira bem sucinta, os principais aspectos que norteiam o significado da arte. Aliás, para quem tiver mais interesse e quiser ir mais a fundo no estudo, é possível baixar o livro em PDF na internet.

O que é Arte, de Jorge Coli

No livro, o autor aborda justamente a questão a respeito da diversidade de significado que a arte possui. E que ao longo dos tempos, estas respostas vão se modificando também. Atualmente, lugares como museus e instituições estabelecem, em sua maioria, o que vem a ser, ou não, arte. O autor comenta:

“Arte são certas manifestações da atividade humana diante das quais nosso sentimento é admirativo. (…) Se não conseguimos saber o que a arte é, pelo menos sabemos quais coisas correspondem a essa ideia e como devemos nos comportar diante delas.” (p. 8)

Samuel Zeller

Apesar de todos estes questionamentos na hora de definirmos o que é ou não arte, é verdade que ela é a grande responsável por ampliarmos a nossa consciência, nossas capacidades de analisar, pensar e acima de tudo SENTIR. Quando falamos de arte devemos deixar o intelecto de lado e simplesmente nos lançarmos em busca de algo que a nossa racionalidade é incapaz de decifrar. 🙂

6 Documentários para assistir e se inspirar muito

Como já falamos por aqui, a inspiração pode surgir por diversos meios como, por exemplo, as músicas que ouvimos, os lugares que visitamos, os pensamentos que temos e também os filmes que assistimos. Com a facilidade da internet, Youtube e também Netflix, é possível alimentar a criatividade quase que diariamente! Tem muita coisa bacana e inspiradora por aí. Por isso, nós separamos aqui alguns documentários, sobre diversos assuntos, que ajudarão você a se inspirar e também viver uma vida melhor.

Freestocks

ABSTRACT: THE ART OF DESIGN: Esse documentário tem o formato de série, com 8 episódios. Em cada episódio, a história de um profissional inovador, de uma área diferente. Ilustração, arquitetura, fotografia, design de tênis e automóveis são só algumas das profissões abordadas na série. A cada episódio, uma aula de arte e inspiração.

MINIMALISM: Nós já falamos anteriormente sobre esse documentário, AQUI. Ele nos faz perceber que o que importa mesmo são as pessoas, e não as coisas. E o mais legal é que esse documentário mostra o estilo de vida de algumas pessoas que são adeptas ao minimalismo. Ou seja, vivem em casas pequeninas, com o mínimo possível. Vale pena assistir e fazer uma análise interior sobre o que nós damos valor em nossas vidas.

EMBRACE: Também já falamos um pouquinho sobre esse documentário, AQUI. Ele trata basicamente sobre as diferenças dos corpos femininos e sobre aceitação. Ótimo para assistir quando precisamos aumentar a nossa auto estima, pois ele nos ajuda a perceber o quão especiais e únicas somos, exatamente do nosso jeito. Esse documentário conta também com lições de vida muito emocionantes.

LIVING ON ONE DOLLAR: Quatro amigos americanos viajam para a Guatemala e passam dois meses vivendo com um dólar por dia, cada. Um documentário legal para quem está precisando aprender (ou reaprender) a dar valor para  o que tem. Vale a pena ser assistido.

TALES BY LIGHT: Para quem ama fotografia, esse documentário é maravilhoso. São duas temporadas, acompanhando fotógrafos famosos nos mais variados lugares, cercados por diversos povos diferentes e muita natureza. É uma aula de cultura!

ADVANCED STYLE: Vovós precisam se vestir como vovós? Errado. O blog que deu origem ao documentário, registra idosas nova-iorquinas pra lá de estilosas e modernas. Esse documentário mostra que cada pessoa é única e  que cada um pode e deve se vestir como bem entender.

E você, tem mais algum documentário inspirador para adicionar à nossa listinha? Então deixe um comentário! Adoraremos aumentar a nossa listinha, com mais documentários inspiradores!

Justyna Wołodkiewicz e seus bordados em 3D

Você já parou pra imaginar bordados em três dimensões? A polonesa Justyna Wołodkiewicz, já. Ela cresceu vendo as mulheres da sua família fazerem trabalhos manuais como costura, crochê e entre outros. Quando cresceu, optou por artes plásticas, porém o bordado acabou entrando novamente em sua vida.

Atualmente, seus trabalhos possuem uma combinação perfeita entre cerâmica plástica e bordado. Esse último, ela aprendeu há mais ou menos um ano, consultando livros para não errar. Ela conta que a ideia do bordado surgiu no meio da noite e no dia seguinte, começou a bordar. Todos os seus trabalhos são desenhados em papel com antecedência. Após, ela cozinha e molda a cerâmica e apenas por último, as linhas são adicionadas. O resultado incrível dessas obras em três dimensões, você confere abaixo:

Acervo pessoal da artista
Acervo pessoal da artista
Acervo pessoal da artista
Acervo pessoal da artista
Acervo pessoal da artista
Acervo pessoal da artista

Incrível, né? Se você, assim como nós, adorou o trabalho dessa artista, pode conhecer um pouquinho mais do trabalho dela, através do Instagram e site.

Colaboradoras #2: O Artista, por Morgana Luz

Artista é uma porção de coisas antes de ser artista. É carregador de carga, caixa de super mercado, advogado, marceneiro, bancário, catador de latinha, contabilista e caçador de estrelas. Tem artista em todo o lugar, exercendo as mais diversas atividades, por gosto, por afinidade ou por necessidade. Raros são os que nascem, vivem e morrem artistas, sem experimentar o “cárcere cotidiano”. 

Muito se fala sobre a falta de espaço para o artista na sociedade atual, sobre como esse artista é visto pelo público que precisa cativar e como se  manter artista. O tanto de resistência que existe em cada um de nós é o que vai determinar o quanto de valor damos a própria arte. Queremos respeito, ser valorizados e espaço nos meios. Mas,  o que fazemos para conquistar este espaço? Que lugar nós ocupamos na nossa vida como artistas e o quanto assumimos esta responsabilidade?

Alguns falam sobre o modo como são tratados e como as pessoas descartam a arte. Porém, eu arrisco dizer que nós artistas, precisamos resistir mais. A partir do momento em que impomos o nosso valor e, por que não, o nosso preço, dizemos que SIM, se vive de arte. E que a arte vale alguma coisa.

Mas, neste ponto  existe um outro tipo de resistência. Se luta para que a arte seja valorizada e vista de outra forma – como mecanismo de regaste, de exteriorizar sentimentos e de compreender  o lugar em que se vive – , mas, se pouco vive isso e por inúmeros motivos. Um deles é o egoísmo.

Se faz arte pra quê? A arte, em si, é egoísta. Fazemos arte para satisfazer o que queremos dizer ao mundo, mas pouco se escuta. É preciso refletir sobre o nosso papel e o quanto ele pode impactar a vida das pessoas e de que forma isso é possível  e transformador dentro da própria arte. Como aquela pintura vai mexer no íntimo do meu espectador? Como a música chega aos ouvidos de quem não ouve nada? Como quem não vê vai enxergar  o que eu quero dizer? Questões para se refletir…

Mas, e agora, como organizar o meio exato da força? É preciso desligar o sensor dos sentidos e dos sentimentos? Não sei. Acredito que seja possível empreender no meio criativo, com base em alguns estudos, podendo assim nortear e sistematizar o caminho a ser seguido. Como se organizar financeiramente, em que investir no campo da arte e como desenvolver o potencial, atendendo ao seu público alvo, são áreas do meio empreendedorismo, mas que não devemos abrir mão se quisermos realmente ser donos do nosso caminho. Talvez não se tenha o “tino” para esse lado tão exato, porém, ele precisa ser desenvolvido, a duras penas, se for o caso.

Nem tudo são flores. Nem sempre elucubraremos 24 horas por dia. São necessários minutos, horas de planejamento e, talvez, um certo esforço nesse sentido, porque correr atrás de estrelas e imaginar universos é muito bonito, mas é incrível poder inspirar pessoas, através da realização dos nossos sonhos.

Resenha: Livro Mostre seu Trabalho

Mostre seu Trabalho, ou “Show your Work” é um livro do americano Austin Kleon (mesmo autor de Roube como um Artista, que você pode conhecer mais clicando aqui). Um livro ótimo para quem está precisando de dicas práticas de como divulgar seu trabalho artístico da maneira mais fácil e eficaz possível.

No livro, Austin sugere que cada artista mostre um pouquinho do seu trabalho, por dia. Seja seu ambiente de trabalho, o processo criativo do trabalho que você está trabalhando, ou até trabalhos de outros artistas que inspiram você. O importante mesmo, é mostrar conteúdo interessante, ou seja, mostrar detalhes que de fato agreguem valor à sua relação com o publico. É bom também ensinar algo para as pessoas.

A pessoa que irá ver o seu trabalho, precisa se identificar também com o que você gosta, com o que você faz e com a maneira que você pensa. Isso tudo cria um vínculo e, todas as pessoas que se identificarem com você e com o que você faz, se tornarão fãs da sua arte.

Outra dica super importante, tem relação com aquela velha frase “quem não é visto, não é lembrado”. E a realidade é essa, mesmo! Se você aparecer um pouquinho por dia, as pessoas não esquecerão de você. Não suma!

O bom é que hoje, com as redes sociais, conseguimos estar presentes a todo instante, mostrando o nosso trabalho até mesmo em tempo real. Um exemplo são os Stories, do Instagram. Por falar nisso, você já segue o nosso? Todos os dias publicamos conteúdo, dicas e muita inspiração! <3

E aí, você já leu esse livro? Nos conte o que achou! E se você ainda não leu, leia! Vale muito a pena! 🙂

Judit Just: Uma explosão de cores e texturas

O plano inicial da espanhola Judit Just era ser uma designer, porém, abandonou a escola de moda para criar seu próprio tecido. Agora, ela trabalha com tapeçaria. Ou melhor, com arte em forma de tapeçaria. Após aprender muito sobre diversas áreas têxteis, como aplicações, bordados, colorações e etc., ela uniu todo o seu conhecimento e habilidade, à diversos materiais e cores. Assim, surgiu o seu fabuloso trabalho:

Acervo pessoal de Judit Just

Uma explosão de cores e texturas nos abraçam a cada imagem. Muita personalidade, técnica e criatividade caracterizam cada foto que vemos em seu Instagram. E o mais legal: Todos feitos à mão e criados unicamente por ela. Surda de um ouvido e com problemas de visão, ela conta que seu sentido mais aguçado é o toque. E só de olhar para os trabalhos dela, temos vontade de tocá-los, né?

Acervo pessoal de Judit Just
Acervo pessoal de Judit Just
Acervo pessoal de Judit Just
Acervo pessoal de Judit Just

Se você também gostou desse trabalho super original e colorido, pode conhecer mais (ou até adquirir) as artes de Judit, aqui está sua lojinha no Etsy.

#Respeitaasmina #3: Elza Soares

Em comemoração/respeito à semana da mulher, desde segunda-feira, estamos fazendo um post por dia com histórias e trabalhos de mulheres incríveis. Se você não viu o que já rolou, clique aqui, e aqui e confira outras duas mulheres sensacionais.

Hoje, vamos falar de uma mulher brasileira de muito talento e força: Elza Soares. Ouzo dizer que poucas pessoas realmente conhecem a sua história. Quem vê essa senhora de aparência diferente e frágil, não imagina tudo o que ela já teve de enfrentar e o que passou em seu passado para chegar onde está.

Elza da Conceição Soares nasceu em 1937, no Rio de Janeiro, e teve uma infância pobre, porém feliz. Aos 13 anos casou-se com o seu primeiro marido, e aos 14 deu a luz ao seu primeiro filho. Aos 15 anos, perdeu o seu segundo filho, e aos 21 anos, tornou-se viúva. Sozinha e com cinco filhos para criar, ela começou a trabalhar como faxineira e empregada doméstica. Porém, sempre quando conseguia, buscava participar de programas de calouros, onde cantava, pois esse havia sempre sido o seu sonho.

Anos mais tarde e já atuando como cantora, Elza conheceu o jogador Garrincha. Como ele era casado com outra mulher na época, Elza foi muito xingada e ameaçada de morte por diversas pessoas, pois segundo elas, ela teria sido a “culpada” pela separação dele. Eles se casaram em 1968 e ficaram juntos por 16 anos.

Elza em uma apresentação

Apesar de se gostarem muito, Elza sofreu bastante com o alcoolismo do jogador, que morreu de cirrose anos mais tarde. O filho deles, que tinha o mesmo nome do pai, morreu em um acidente de carro em 1986, com apenas 9 anos de idade. Esse acontecimento deixou Elza extremamente abalada, o que a fez tentar suicídio, porém felizmente, o pior não aconteceu.

Todas estas infelicidades, jamais deixaram com que Elza desistisse de cantar, ou tirasse o seu sorriso do rosto. Ao longo de sua carreira, ela coleciona diversos prêmios e indicações, e recentemente, foi eleita pela BBC de Londres como “a cantora do milênio”.

Seu mais recente disco, lançado em 2015, se chama “A mulher do fim do mundo”, e olha, QUE ÁLBUM! Mesmo pra quem não curte samba ou MBP, recomendamos fortemente. Principalmente, pela mulher que Elza é, por sua história e claro, talento nato.

O 34° álbum dela traz músicas inéditas de sua carreira, e misturam gêneros como samba, rock, rap e eletrônica, tratando de temas como a violência doméstica, sofrimento urbano, transexualidade, negritude, entre outros. O álbum ganhou o Grammy Latino 2016 na categoria Melhor Álbum de Música Popular Brasileira. A canção “Mulher do Fim do Mundo” faz parte da trilha sonora da série brasileira 3%, da Netflix. Veja o clipe oficial da música logo abaixo.

Álbum “A mulher do fim do mundo”, Elza Soares

É claro que existem muito mais detalhes a respeito da vida de Elza que não foram relatados aqui, senão ficaríamos até amanhã escrevendo, de tanta vida e alma que esta mulher possui. Mesmo assim, o que fizemos foi buscar formular os principais acontecimentos e trabalhos, que fazem desta uma grande mulher uma pessoa singular.

Elza rainha em seu “trono”

Tem alguém que você conhece que gostaria de conhecer um pouco mais sobre ela? Então, compartilha essa publicação! Também queremos saber o que você achou do post e também das músicas da Elza. Portanto, não deixe de comentar. 🙂

Referências: 1 | 2 | 3

#Respeitaasmina #1: Marina Abramović

Dando o pontapé inicial na nossa semana de respeito ao dia da mulher (essa semana teremos um post por dia com mulheres inspiradoras), hoje vamos falar de uma artista sensacional e conhecida pelo mundo todo: Marina Abramović.

Pra quem não a conhece, Marina nasceu em 1946 na Iugoslávia e graduou-se em Bela Artes na Academia de Belas Artes de Belgrado. Seu trabalho passou a ser conhecido na década de 70, e continua sendo lembrado principalmente por suas performances surpreendentes.

“Sempre fui fortemente inspirada pelos primeiros exploradores, pessoas que vão a lugares desconhecidos e realizam viagens que não sabem onde e como terminam.” M.A.

O corpo sempre foi o tema central de suas obras. Desafiando limites físicos e sensações como dor, angústia, entre outros sentimentos, a preocupação de Abramović é com a criação de obras que ritualizem as ações simples da vida cotidiana, como mentir, sentar, sonhar e pensar, buscando uma transformação emocional e espiritual.

Performance “AAA-AAA”
Performance ” A artista está presente”

Em 2016, foi lançado o documentário “Marina Abramović e o Brasil”, com direção de  Marco Del Fiol. Esse filme é um verdadeiro tapa na cara de muitos brasileiros que insistem em desvalorizar o seu próprio país. No auge dos seus quase 70 anos na época, no longa, Marina viaja por lugares místicos do Brasil, pesquisando comunidades espirituais, pessoas e lugares de poder. Um Brasil diferente de tudo o que você já viu. Confira o trailer abaixo:

No seu site, é possível conhecer um pouco mais da história dessa fascinante artística performática. Marina é uma mulher que vai além do que lhe é imposto, supera-se na sua arte, na sua vida pessoal, no trabalho, nas suas relações amorosas e de amizade. Com certeza uma mulher que queremos sempre lembrar e prestigiar nessa semana em homenagem/respeito as mulheres incríveis que conhecemos. E você, qual mulher sensacional vai homenagear hoje?

Referências: 1 | 2 | 3

Exercícios de criatividade para executar hoje mesmo!

Não é raro a gente falar sobre inspiração e criatividade por aqui. (Você pode ler mais sobre esse assunto AQUI). Afinal, o que move as profissões criativas e o nosso fluxo de trabalho, são justamente elas. Mas, como funcionam? O que nos mantém inspirados?

Como surgem as ideias?

Responder essa pergunta, é algo muito complexo. As ideias surgem a partir da nossa criatividade. Ou seja, à partir da nossa capacidade de resolver problemas com o que temos disponível no momento. A criatividade é um conjunto de trabalho duro, domínio de certa técnica, personalidade e tempo/lugar favoráveis. Por exemplo, se sou bom em pintura e vivo em meio à natureza, posso pintar uma tela apenas com tinturas vindas de elementos naturais. (Frutas, seivas, etc). Se moro em um lugar onde as pessoas apreciam arte e natureza, há uma grande chance de minha ideia dar certo, pois essa nova ideia será aprovada pela sociedade. Uma das características mais importantes de pessoas criativas, são a personalidade forte e a curiosidade. Tendo em vista que elas não terão medo de arriscar novas ideias e possibilidades.

Rawpixel

Mas, como alimentar a minha criatividade?

Assim como o nosso corpo precisa de alimento para se manter funcionando e saudável, a nossa mente também precisa de alimento, para estimular nossa criatividade e inspirações. O que isso significa? Significa que, a nossa inspiração é a união de tudo aquilo que vivemos em nosso dia-a-dia. Os filmes que assistimos, as músicas que ouvimos, as pessoas que convivemos, os pensamentos que temos… Cada detalhe fica salvo em nossa mente, para podermos “consultar” quando precisarmos de novas ideias.

Por isso, é importante alimentá-la com coisas boas. Abaixo, uma lista de ideias que podem auxiliar você a estimular sua criatividade e se manter inspirado:

  • Leia bons livros: Variar os gêneros também é importante. Leia livros técnicos, romances, suspenses, biografias e até mesmo livros infantis. O seu cérebro precisa desse alimento! E, com a prática da leitura, até a sua escrita melhorará.
  • Ouça boas músicas: Faça uma playlist com várias músicas diferentes. Feche os olhos e tente imaginar uma cena para cada música. Um passeio pelo campo, enquanto escuta uma música folk, um nascer do sol na praia, enquanto escuta um reggae, até mesmo um chá da tarde com a rainha, enquanto ouve uma música clássica. 
Annie Spratt
  • Visite lugares novos: Conhecer novos lugares, mesmo que seja uma cafeteria nova na sua cidade, ajudará a sair da sua rotina. O ideal é conhecer algo novo ao menos um dia por semana. Você tem feito isso?
  • Saia com amigos e familiares – ouça: Um happy hour com amigos, uma visita a avó… ouça o que as pessoas tem para lhe contar! Absorva conhecimentos, preste atenção nas histórias delas! E lembre-se: cerque-se de pessoas positivas!
Josh Applegate
  • Experimente novas técnicas, novas comidas, novos hobbies: Sair da rotina e aprender algo novo é muito bom. Seja um workshop de marcenaria, uma oficia de culinária, uma palestra sobre filosofia… vá em busca do novo!
  • Fotografe: Um exercício super legal, é ir a um lugar que você já conhece e tentar fazer 5 fotos criativas (mesmo que seja com o celular). Pode ser foto de detalhes, de ângulos inusitados… o importante é, através da fotografia, enxergar o lugar que você já conhece, porém sob um novo olhar. Você irá se surpreender!
Adrian

Inspire-se! 

Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez? Ou então que visitou um lugar novo? Faça algo novo a cada dia, por mais simples que seja, e a sua inspiração agradecerá! Coloque pra tocar o álbum de um artista que você não conhece, agora mesmo! Marque com os amigos de tomar um suco na lanchonete nova do bairro! Se inscreva na aula de violão, que você sempre quis aprender a tocar! 🙂

Afinal, como diz aquela velha frase de Rita Mae Brown: “loucura é fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”. Então, se você quer se manter inspirado e criativo, lembre-se de aprender sempre, arriscar sem medo, procurar por respostas e alimentar sua mente e alma!

As ilustrações de Oana Befort

Oana Befort é uma artista gráfica nascida na Romênia, que agora mora Estados Unidos com seu marido e filhos. Ela trabalha como freelancer e faz ilustrações para livros, estampas, logotipos, etc. A sua arte é delicada, realista e inspiradora, principalmente quando se trata de fauna e flora.

Oana Befort

Oana publica alguns de seus trabalhos em seu BLOG e, a cada publicação, arranca suspiros com sua arte tão bonita.

Oana Befort
Oana Befort

Além disso, ela ainda compartilha imagens e histórias da sua família, da sua casa e seu cotidiano. Fotos pessoais cheias de luz natural, super lindas e minimalistas.

Oana Befort
Oana Befort

E aí, gostou? Quer ver mais e se inspirar? Então conheça mais aqui no Instagram e Facebook da artista. 🙂

Pantone 2018: Ultra Violet – A Cor do ano

A Pantone é uma escala de cores que foi criada nos EUA em 1962. Desde então, se tornou a escala padrão em segmentos como moda, design, decoração, arquitetura e entre tantos outros. Desde 2000, a Pantone vem criando a cor do ano, que nada mais é do que uma cor que se tornará tendência no próximo ano. Vocês lembram do Marsala? do Rose Quartz? Pois então, agora em 2018, a cor que já está aparecendo por aí em diversos lugares, é o Ultra Violet. Uma espécia de roxo (Vocês repararam que é semelhante à cor do nosso logotipo? Será que isso significa que 2018 será o nosso ano por aqui? hahaha).

Divulgação Pantone
  • MODA
Pinterest
Pinterest
Pinterest
  • DECORAÇÃO
Pinterest
Pinterest
Pinterest
  • DESIGN/ FOTOGRAFIA
Pinterest
Pinterest
Pinterest
Pinterest
Pinterest
Pinterest

E você, já está usando a cor do ano em seu trabalho? Envie uma foto de um trabalho seu com o Ultra Violet, que publicaremos em nosso Instagram! 😉

Colab Criativa

Informação e inspiração nunca são demais. É sempre bom conhecer novos trabalhos, histórias e pensamentos. Descobrir opiniões novas e aprender sobre algo que não dominamos tanto quanto gostaríamos. Ainda mais quando nos referimos ao empreendedorismo: é preciso pesquisar e inovar a cada segundo.

Se você, assim como a gente, adora saber mais sobre empreendedorismo e criatividade, não pode deixar de conhecer a Colab Criativa. Um blog recheado de dicas, histórias e inspirações. Tudo sobre esse mundo tão vasto que é o empreendedorismo criativo.

O projeto surgiu em 2016, e foi criado pela Patiara Kucaniz, uma mulher que adora novos conhecimentos e gosta de explorar a vida ao máximo. Em 2017, ela se uniu à Ana Loqueta, que é administradora, empreendedora e  acredita muito no autoconhecimento. Juntas, deixam o blog ainda mais completo e tratam de assuntos como liderança, desenvolvimento humano, histórias inspiradoras de empreendedores e ainda divulgam eventos super interessantes para os criativos de plantão.

Pexels Photo

Não deixe de dar uma passada nesse blog sensacional e conhecer o trabalho incrível, feito por essas duas mulheres mega inspiradoras. Acesse também as redes sociais do projeto, abaixo. Tem muita coisa bacana por lá! 🙂

SITE | FACEBOOK | INSTAGRAM  ▪

As palavras de Roberta Cruz

Poder mudar a visão do mundo através de traços. Já parou para pensar que este pode ser o objetivo da pessoa que faz trabalho de lettering? Pois bem, hoje vamos apresentar o trabalho da querida Roberta Cruz.

Roberta tem 24 anos, reside em São Caetano do Sul/SP e trabalha com lettering e ilustrações, além de outras atividades e projetos criativos. Tendo estudado Design e Publicidade e Propaganda, Roberta utiliza todo seu conhecimento e, principalmente, sua sensibilidade para participar de momentos importantíssimos na vida das pessoas.

Já teve a oportunidade de participar de casamentos, pedidos de namoro, noivados, aniversários, e muitos outros momentos marcantes que ficaram – e ficarão – na memória de seus clientes.

Como já podemos perceber, ela diz que o que mais lhe motiva é ver a sua verdade refletir nos sorrisos das outras pessoas. Lindo saber que o coração da Roberta está em cada traço feito em seus trabalhos, né?

Conheçam um pouco mais do lindo trabalho de Roberta, acessando seu portfólio virtual AQUI.

As ilustrações de Sally Nixon

O que as mulheres fazem quando estão sozinhas e ninguém está olhando? A artista Sally Nixon nos mostra o cotidiano feminino, através de ilustrações delicadas e coloridas. A ideia inicial de Sally era criar 365 imagens, uma para cada dia do ano. Porém, a medida que os dias foram passando, ela viu que era complicado criar algo novo para cada dia e decidiu de inspirar em sua própria rotina. Confira abaixo um pouquinho do trabalho de Sally e, assim como eu, identifique-se com diversas ilustrações!

E aí, gostou? Que tal conhecer um pouco mais desse trabalho lindo? Acesse o Instagram e o Etsy da Selly! 🙂