Por que o setor criativo vem crescendo cada vez mais

Dias deses fiz um post falando sobre empreendedorismo criativo. Se você não leu, clique aqui para ver e ficar por dentro. Nesse texto eu falo exatamente o que vem a ser esse tipo de empreendedorismo e mais, qual a diferença da economia criativa em relação as outras economias convencionais, e qual a sua relação com o empreendedor criativo.

Mia Baker

Dando sequência a esse tema, resolvi fazer este post para destacar os principais motivos do setor criativo estar crescendo cada vez mais e mais. YES! Chegou a nossa vez, caras criativas! A era industrial que atingiu o seu ápice no mundo no século XX, começou aos poucos a perder espaço para as tecnologias da era digital. Hoje em dia, a globalização e principalmente, a nossa grande e amada internet, vêm sendo os grandes responsáveis por darem espaço as pessoas e as pequenas empresas. Lugares que antes eram ocupados exclusivamente por donos de fábricas (em geral homens bracos vestidos de terno e gravata). Se antes, o conhecimento estava atrelado aos maquinários e aos donos das fábricas, hoje, ele é compartilhado por todos em qualquer lugar, basta que a pessoa tenha interesse por determinado assunto.

Segundo dados atuais, estima-se que o setor da economia criativa mundial movimente cerca 1.8 TRILHÕES de dólares por ano, ou até mais que isso. No Brasil, até mesmo com a nossa tão falada crise, especialistas estimam que o PIB do setor cresceu cerca 70% em uma década. Segundo matéria publicada no jornal O Globo, no começo de 2016, destaca:

“O PIB da indústria criativa brasileira chegou a R$ 126 bilhões no fim de 2013, ou o equivalente a 2,6% do total produzido no país naquele ano. Representa avanço de 69,8% em dez anos, acima dos 36,4% registrados pelo PIB nacional no mesmo período, mostra pesquisa da Firjan do fim de 2014. Não há dados mais recentes, mas especialistas afirmam que essa tendência se mantém.” (Fonte)

Brooke Lark

Apesar dos números estarem crescendo cada vez mais, isso não é sinal para nos acomodarmos e entrarmos no modo aletório. Temos muito trabalho pela frente! Principalmente, no que diz respeito a valorização das áreas criativas como um todo. Apesar dos números apontarem um futuro positivo, muitas pessoas ainda não compreendem esse avanço tão significativo (ou fingem não compreender).

Em nosso país, em 2012 foi criada a Secretária da Economia Criativa (SEC), vinculada ao Ministério da Cultura, que tem como missão planejar, promover, implementar e coordenar ações para o desenvolvimento da economia da cultura no País. Como empreendedoras criativas, devo dizer que é nosso dever acompanhar tudo o que é desenvolvido na secretária, e mais, estar atentas ao que de novo surge no horizonte, propondo mudanças para essa área tão abrangente.

Diego Ph

Resumindo, é possível chegar as seguintes conclusões quando o assunto é o crescimento dos setores criativos:

◾ O setor criativo está crescendo a passos largos, e uma das grandes ferramentas responsáveis por isso é a internet;

◾ A criatividade vem sendo a nossa principal aliada na expansão de diversas ideias em meio a crise;

◾ O conhecimento agora está em todos os lugares, não apenas na mão dos donos de fábricas. Qualquer um pode ter acesso a ele, se persistir;

◾ É preciso que saibamos absorver todos os novas ideias com sabedoria e não entrarmos no modo aleatório;

◾ Apesar da grande demanda, é preciso mantermos a postura profissional, e saber valorizar todas as profissões deste setor. Apesar do enorme avanço, há muito o que ser conquistado ainda.

Num momento onde vemos somente notícias ruins por todos os lados, é muito bom saber que estamos no caminho certo, trabalhando com o que amamos, e ainda sendo reconhecidas por isso. Isso significa que cada vez mais, as pessoas estão olhando para esse setor, que antes não era tão valorizado, e aos poucos, estão compreendendo que as pessoas criativas têm muito valor sim, assim como suas profissões! ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *