Pagu – Mulheres Criativas

Antigamente era melhor?

Qual é o papel da mulher no mundo contemporâneo? Qual é o papel do homem? Essas perguntas podem ser um pouco mais difíceis de serem respondidas do que há alguns anos atrás. As responsabilidades dentro e fora da casa já estiveram bem definidas e uma rápida busca em propagandas e comerciais antigos deixa isso bem claro. Afinal de contas, a mídia tem a função de vender produtos tomando por base conceitos da atualidade que têm apelo entre seus consumidores e suas consumidoras. Veja a propaganda abaixo, por exemplo:

"O Chef faz tudo, menos cozinhar – é para isso que servem as esposas!"

É interessante notar que ser Chef – assim com letra maiúscula mesmo – está reservado ao homem por representar prestígio, e não pelo fato de que esta pessoa está preparando a refeição. Cozinhar não faz parte do trabalho do Chef porque não há prestígio nisso. O que há de bonito em cortar cebolas e alho e ficar cheirando mal? À mulher, está reservado o direito de usar o chapéu do marido para posar para a foto, feliz da vida de unhas e boca vermelha o que, convenhamos, é até um pouco surreal. O trabalho de verdade é obrigação das esposas.

Surreal é também essa propaganda da Volkswagen, veiculada nos anos 60:

Apesar do aparente surrealismo, ela reflete um pensamento e uma sociedade que propagou (ou propaga?) aquele velho ditado “mulher no volante, perigo constante”. Além disso, a propaganda sugere que a mulher só poderia usar o carro para ir ao shopping e que a responsabilidade de cuidar do veículo é somente do homem. Veja como ela dirige o texto ao homem o tempo todo.

Numa galáxia (ou num reino) não tão distante assim, mesmo com uma pequena mudança do papel da mulher e, consequentemente, do homem, dentro da sociedade, alguns comerciais e propagandas ainda insistiam na famigerada fórmula “mulher objeto = venda certa”. Principalmente marcas de cerveja, é claro.

Essas propagandas são da década de 90 (1990, não 1890, por incrível que pareça). Propagandas como essas seriam provavelmente criticadas e talvez denunciadas e banidas da mídia nos dias atuais, haja vista a reação de muitas pessoas em relação a uma campanha recente da marca Skol:

Algumas reações aos comerciais machistas podem vir de outras fontes. O artista libanês Eli Rezkallah conta que ouviu seus tios comentando que as mulheres estariam numa situação melhor cozinhando, tomando conta da cozinha, ou cumprindo suas “tarefas de mulher”. Aquela conversa o surpreendeu principalmente por mostrar que muitos homens ainda defendem essas ideias. Diante desse desconforto, ele decidiu criar uma série de imagens fictícias baseadas em anúncios reais da década de 60. Achei um trabalho excelente e resolvi traduzir alguns dele para que mais pessoas pudessem aproveitar o resultado (você pode acessar o site do artista e curtir todo o projeto aqui).

"Se seu/sua marido/esposa descobrir que você não está fazendo o teste para trazer café mais fresco… se ele/ela descobrir que você ainda está arriscando comprar café velho e sem gosto… pobre de você! Hoje existe uma forma segura de testar o frescor antes de comprar"

“Não se preocupe meu bem, você não queimou a cerveja!”

"Mulheres não saem da Cozinha! Nós todos sabemos que o lugar da mulher é em casa, cozinhando uma deliciosa refeição para um homem. Mas se você ainda está aproveitando a vida de solteiro e não tem uma senhorita esperando por você, então venha até o Hardee’s comer alguma coisa rápida e sem frescura." //  "Homens não saem da Cozinha! Nós todos sabemos que o lugar do homem é em casa, cozinhando uma deliciosa refeição para uma mulher. Mas se você ainda está aproveitando a vida de solteira e não tem um jovem senhor esperando por você, então venha até o Hardee’s comer alguma coisa rápida e sem frescura."

Aspectos da sociedade ultra-machista persistem e estas propagandas são os exemplos mais escancarados. O verdadeiro desafio é detectar a mensagem quando ela está no nível microscópico, propagando ideias e mensagens que ainda colocam a mulher em situações ou posições inferiores ao homem. Se você souber de alguma recente, compartilhe aqui nos comentários! 

Mulher: de quem é o seu corpo?
5 Séries com mulheres incríveis para você assistir
Golden Globes e o movimento #timesup